RESENHA | “Sob a Luz da Escuridão” – Ana Beatriz Brandão


Autora: Ana Beatriz Brandão
Editora: Verus
Páginas:
336
Classificação:
3/5 estrelas

O ano é desconhecido. A humanidade já não é mais a mesma. Mutações aconteceram, o mundo como conhecemos foi destruído, e duas garotas vão precisar lutar lado a lado para sobreviver a esse novo cenário em Sob a Luz da Escuridão.

Guerras e destruição, causadas pela ganância de um homem, quase levaram a raça humana à extinção. Com a radiação das bombas nucleares, o DNA humano sofreu mutações e uma nova espécie surgiu: os metacromos, seres especiais, com poderes extraordinários. Em meio ao caos de um mundo pós-apocalíptico, Lollipop e Jazz são resgatadas do instituto onde eram mantidas prisioneiras. Com as memórias apagadas, elas não sabem por que estavam ali nem quem as libertou. E, enquanto buscam respostas sobre suas origens, só lhes resta lutar pela sobrevivência. E é nessa corrida para sobreviver que se deparam com um grupo liderado por Evan, um vampiro milenar que já encontrou Lollipop e dessa vez não está disposto a deixa-la escapar novamente.

Essa é a premissa de uma série cheia de potencial. Temos quatro personagens principais: Lollipop, com poder de telecinese, Jazz, com poder do fogo, Evan, o vampiro controlador de mente, e Sam, que também controla o fogo. Eles se unem pelo único objetivo de sobrevivência em um mundo jogado no caos, mas conforme as páginas passam podemos conferir que o relacionamento entre os quatro vai muito além disso e um laço forte de companheirismo se forma. Aliás, esse laço é uma das características que mais gostei do livro já que não há um personagem que é perfeito e maduro demais para não levar uns conselhos bem merecido ou um simples “se manca”. Apesar de alguns serem mais velhos, ou mais poderosos, os quatro estão em pé de igualdade no que se refere a amizade e isso deu um toque a mais no livro.

Ela me dá essa força que me faz sentir invencível quando estou perto dela.

Claro que nada é perfeito e o livro falha ao não prezar tanto assim seu tema principal: a fantasia. Sim, temos seres humanos com poderes, um vampiro milenar, e um fundo apocalíptico, mas em um livro com pouco mais de trezentas páginas, a fantasia ficou mais de escanteio para dar espaço a uma narrativa divertida e leve, que prezou mais a relação entre os protagonistas e seu desenvolvimento.

Não me entendam errado, Sob a Luz da Escuridão é aquele tipo de livro que você lê de uma tacada só, dá boas risadas e até se apaixona por um ou dois personagens (no caso desse livro, me apaixonei pelos quatro). Foi minha primeira experiência com a escrita de Ana Beatriz Brandão, e já tá meio claro pra mim porque a autora, em tão pouco tempo, se tornou um dos destaques da literatura juvenil, mas como amante de fantasia, seja ela juvenil, épica, ou afins, o que o livro deixou evidente foi que a autora tem muita experiência com romances fofos, mas ainda deixa a desejar no aspecto fantástico — como exemplo posso destacar justamente nosso vampiro, que ainda que tenha milhares de anos, não demonstra isso, a personalidade dele não foi construída para refletir toda a bagagem que o personagem deveria ter. Se ele tem quatro mil anos, como isso é possível, de onde ele realmente vem? Essa e outras particularidades que davam o toque de fantasia à história foram explicadas com um tom de “porque sim” e ponto, não fica crível, e isso pode até não ser um problema tão grande, afinal estamos falando de uma fantasia juvenil, mas (vou me tornar repetitiva agora) como o aspecto fantástico foi pouco desenvolvido, o pouco que apareceu, como nosso vampirinho, acabou por me incomodar um pouco pela falta de base.

Os covardes morrem várias vezes antes da morte, mas o corajoso experimenta a morte apenas uma vez.

Entretanto, se você me perguntar se o livro teria se saído melhor como um simples romance juvenil, sem essa leve base fantástica, eu diria que não. Eu me apaixonei sim pelo romance divertido, pelas protagonistas que precisavam se descobrir enquanto encontravam o primeiro amor, mas também achei gostoso esse leve espaço que a fantasia deu para o leitor se surpreender. A cada página eu me perguntava se alguém iria aparecer com um novo poder ou que nova faceta esse mundo apocalíptico iria mostrar. A maravilha da fantasia é que tudo nela é possível, e no desfecho do livro vemos que a autora pode saber utilizar isso muito bem no segundo livro (que eu espero muito que seja publicado no próximo ano porque já quero!).

Se você está em dúvida quanto a leitura de Sob a Luz da Escuridão, eu indico muito o livro para quem busca uma leitura leve e divertida, com uma trama até que complicada e grandes possibilidades, mas que tenha como objetivo principal proporcionar algumas horas gostosas ao lado de protagonistas carismáticos. O livro é, sem sombra de dúvidas, ideal para amantes de séries como Não Pare e A Seleção.

  • Não indicado para menores de 14 anos.

Gostou? Compartilhe com os seus amigos!

0

Qual sua Reação?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win
Gabrielle

"Guerra é Paz. Liberdade é Escravidão: Ignorância é Força"

Primeiros comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Choose A Format
Quiz Personalizado
Série de perguntas que pretende revelar algo sobre a personalidade
Trivia quiz
Série de perguntas com respostas certas e erradas que pretende verificar o conhecimento
Votação
Votar para tomar decisões ou determinar opiniões
Notícia ou resenha
Texto formatado com incorporações e visuais
Lista
Os clássicos da Internet Listicles
Contagem regressiva
As contagens regressivas clássicas da Internet
Lista aberta
Envie seu próprio item e vote para o melhor envio
Lista Rankeada
Vota ou desce para decidir o melhor item da lista