CITAÇÕES DE LIVROS | “Série Mortal” – J.D. Robb


Nora Roberts é a rainha dos romances, é provável que a autora já tenha escrito para todo e qualquer gênero onde ela pudesse aproveitá-lo e criar algo a partir disso. E então há J.D. Robb, seu pseudônimo criado para expandir todo um mundo envolvendo uma série protagonizada pela Tenente Eve, uma história que me acompanha há anos.

Infelizmente, apesar de amar Eve e Roarke, não sou muito segura ao indicar seus livros. Mortal supera hoje o número de quarenta livros publicados em inglês, e no Brasil nos aproximamos de 30 volumes já traduzidos, o que seria lindo, se não fosse o preço de cada um deles, que pode chegar até a R$55 reais por exemplar. Então, meus amigos, para amar essa série ou você é rico, ou baixa livros ilegalmente, ou junta as moedas para comprar um por ano — e é o que eu faço, sério, chega a ser bizarro. Porque cá entre nós, Eve e Roarke merecem cada centavo do meu dinheiro, mas só de pensar em gastar mais de mil reais em uma única série minha arritmia vem à tona. Mas, na esperança de que algum dia pelo menos os livros cheguem a plataforma Kindle Unlimited e ninguém precise vender um rim para viver a história de Eve e Roarke, agora vou abrir um espaço para um leve resumo e várias citações que ilustram um pouco esse casal — e suas histórias, amores, amigos, etc — maravilhoso.

Mesclando suspense, romance e thriller policial, a série apresenta Eve, uma tenente da polícia de Nova York e, enquanto investiga um assassinato, acaba batendo de frente com o poderoso Roarke, um homem de passado escuso e, agora, um dos suspeitos. A paixão logo se intromete entre eles e, a cada livro, vemos como a relação evolui enquanto homicídios acontecem e Eve precisa colocar sua vida em risco para levar justiça aos mortos. E não, não é só sobre Eve e Roarke, essa série é muito mais do que o romance inesperado entre esses dois.

Eu não percebi que [você] era policial. Isso me perturbou durante um tempo, já que sempre tive orgulho de avistar um policial com 1km de distância. Mas quando eu me virei e vi você, eu não vi uma policial. Eu vi uma mulher. Eu vi a mulher, embora eu não tivesse percebido isso naquele momento. Eu só soube que eu olhei, eu vi você e tudo mudou. Nada mais seria a mesma coisa a partir daquele momento.

– Quem machucou você?
– Não sei. Não me lembro e não quero me lembrar. Fui uma vítima; quando você passa por isso, tem que fazer tudo o que for necessário para que não aconteça de novo.

Quando o vi morrer, pensei, “Ele nunca mais vai fazer isso com outra criança.” E fiquei feliz por ter sido eu a eliminá-lo.

– Fique – pediu ele. – Por favor.

– Isso é um erro.
– Então temos que fazer com que valha a pena.

Ninguém jamais me amou antes de você […] Acho que jamais iria conseguir me acostumar com essa sensação, e talvez não consiga mesmo. Só que agora dependo disso para viver.

– Você me desfaz, Eve.
Ele se sentou, baixou sua testa contra a dela.
– Agradeço a Deus por você. – ele murmurou numa voz ficando crua. – Agradeço a Deus por você.

– Como você faz isso?” -Ela encostou sua testa na dele. – Como você sempre consegue dizer o que eu estou querendo ouvir?

– Não gosto de ser usado para magoar você.
– Você já faz isso muito bem sem precisar de ajuda.

Ele era um idiota, compreendeu. Era humilhante admitir que o amor pudesse transformar um homem em um completo idiota.

Eu quero tudo, Eve – disse de modo direto – ou então não quero nada.

E se ela lhe entregasse tudo e depois o perdesse, não ficaria também em pedaços?

– Um sistema de dados não registrado é uma violação do Código 453-B, parágrafo 35.
– Você não faz ideia de como fico excitado quando você recita esses números de leis e parágrafos de cor, tenente.

Coragem com força total. Foi essa a primeira coisa que admirei em você. Agora é o que me aterroriza.

– Roarke, eu estou tentando.
– Tentando o quê?
– Aceitar o que você parece sentir por mim.
– Então tente com mais força

– Os homens são uns safados.
Dando um passo a frente ele acariciou-lhe o rosto com os dedos
– Minha querida Eve está com ciúme?
– Se eu ficasse verde de ciúme com todas as mulheres com as quais você transou, e mais verde ainda com as que queriam que você dormisse com elas e continuam querendo , iria passar cada minuto da minha vida parecendo a floresta amazônica.

– Você tem certeza de que eu não estava bêbada quando concordei com isso? Palavra de bêbado não vale nada.

Eu preciso de você. Não consigo evitar. Não quero isso.

– Adoro ver você trabalhar – murmurou no ouvido dela. Você é tão… durona! – completou, enquanto a mão descia pelas costas dela, em direção ao seu traseiro.
– Pode parar!
– Viu o que eu quis dizer? – e esfregou a barriga, no lugar que o cotovelo dela atingira. – Bata em mim de novo. Vou acabar gostando disso.

– Como você faz isso? -Ela encostou sua testa na dele. – Como você sempre consegue dizer o que eu estou querendo ouvir?

– Esqueça.
– Não vou esquecer. Nem você. […] Você não vai me esquecer, Eve. Vai pensar em mim, talvez não com carinho, mas vai pensar em mim.

— Vejo que a senhora está novamente atrasada.
— Sim, e eu vejo que você está novamente com a mesma cara horrível. — Pendurou o casaco no pilar da escada. — A diferença é que, no meu caso, talvez eu amanhã consiga ser pontual, mas você vai continuar sendo feio

– E sabe o que mais eu acho, Eve?
– Não faço ideia
– Acho que estou apaixonado por você.

Gosto do seu estilo, Tenente Dallas. Gosto muito. E, a propósito, não estou mais achando que estou apaixonado por você. Agora, já tenho certeza.

Tudo bem, droga, tudo bem. Você venceu. Estou me sentindo podre. Era isso o que queria? Não consigo dormir, não consigo comer. É como se alguma coisa dentro de mim tivesse se quebrado e eu mal consigo desempenhar o meu trabalho.
Está feliz agora?

Será que havia algo mais surpreendente ou mais assustador para um homem, meditou ele, do que uma mulher forte coberta de lágrimas?

– Não vá embora – pediu ela, apertando o rosto contra o ombro dele. – Não vá embora.
– Não estou indo a lugar algum. […] Eu estive aqui o tempo todo. Eu a amo, Eve, mais do que consigo suportar.

Pela primeira vez, ele dormiu antes dela. Eve ficou deitada no escuro, ouvindo-o respirar, roubando um pouco do calor do corpo dele enquanto o dela esfriava. Já que ele estava dormindo, ela acariciou seu cabelo.
— Eu amo você – murmurou ela. -– Amo tanto que em sinto uma idiota por causa disso.
Dando um suspiro, deixou-se acomodar junto dele, fechou os olhos e se obrigou a esvaziar a mente. Ao seu lado, Roarke sorria no escuro. Ele jamais dormia antes dela.

Ela sentiou-o tremer quando apertou a face em seu pescoço.
“Não me deixe novamente. Deus. Deus. Não me deixe novamente.”
“Eu não te deixei.”
“Uma parte de você deixou.” Ele olhou para ela, e seus olhos estavam cheios de emoção. “Parte de você me deixou e eu não pude suportar.”

Sinta saudades de mim.

– Uau. Deus. Roarke.
– Uma frase interessante e um elogio espetacular.

– Posso contar nos dedos de uma só mão as pessoas que têm alguma importância para mim. E isto vale para as pessoas para quem eu significo alguma coisa. Se ele tivesse vindo atrás de mim, como era de esperar, eu teria conseguido lidar com ele. E se não conseguisse…

– Cale a boca. – A mão dele apertou a dela com tanta força que Eve teve de engolir o grito, e viu que os olhos dele se tornaram ferozes e zangados. – Simplesmente cale a boca.

– Claro. Mas, por ora, dá para ser apenas o rico e poderoso Roarke, meu troféu pessoal?
– Ah, que frase machista! Fiquei excitado!

A senhorita é uma mulher forte e confiante, tenente. Deve ser difícil para alguém assim compreender aquelas de nós que não possuem essa força.

– Já rodei muito por aí, Dallas, mas jamais consegui para mim o que você compartilha com Roarke.
– Acho que não é assim que a coisa acontece. Não é você que procura, é o sentimento que encontra a gente, nos agarra pela garganta e não há nada que possamos fazer


Gostou? Compartilhe com os seus amigos!

0

Qual sua Reação?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
1
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win
Gabrielle

"Guerra é Paz. Liberdade é Escravidão: Ignorância é Força"

Primeiros comentários

Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  1. Gabrielle,

    Parabéns por esse post!!! Sou super fã da Nora Roberts e amooooo a Série Mortal, Dallas e Roarke são um casal “Hors concours”.

    Ah, e tenho todos os livros da série lançados no Brasil. 😉

    Bjs.

Choose A Format
Quiz Personalizado
Série de perguntas que pretende revelar algo sobre a personalidade
Trivia quiz
Série de perguntas com respostas certas e erradas que pretende verificar o conhecimento
Votação
Votar para tomar decisões ou determinar opiniões
Notícia ou resenha
Texto formatado com incorporações e visuais
Lista
Os clássicos da Internet Listicles
Lista aberta
Envie seu próprio item e vote para o melhor envio
Lista Rankeada
Vota ou desce para decidir o melhor item da lista