Arquivo da Categoria "Distopia"

[RESENHA SEGUINTE] “Mundo Novo” – Chris Weitz

Postado por Emanuel em 10/10/2014

Autor: Chris Weitz
Editora: Seguinte
Páginas:
328
Classificação:
4/5 estrelas

Assim como muitos leitores, sou um grande fã de distopias e livros onde a trama envolve um cenário pós-apocalíptico. Entrando nessa onda, a Seguinte publicou no Brasil Mundo Novo. Inicialmente pensei que seria, provavelmente, só mais um entre os vários outros livros do gênero já publicados, mas a sinopse me deu a sensação de que haveria algum diferencial e o autor estava disposto a prover algo inovador. Eu não poderia estar mais certo.

Só é o fim do mundo se você não acreditar que existe um futuro.

No livro, a Doença dizimou toda a população adulta do planeta. Dois anos após a Doença, os jovens de Nova Iorque tem vivido em grupos — ou você também pode chamar de tribos, máfia –, mas sobreviver não tem sido fácil. O irmão de Jeff morreu, ou seja, ele terá que tomar seu posto: líder da tribo Washington Square. E em meio ao caos, um dos integrantes da tribo de Jeff acha uma possível pista que levará até a cura, mas para isso eles terão que partir em uma viagem arriscada a territórios perigosos. Quando Jeff resolve partir em busca dessa pista, Donna — que havia prometido proteger Jeff — resolve ir junto. Enquanto os três e mais alguns membros da Washington Square partem nessa viagem incerta, Jeff só que achar uma maneira de declarar seu amor por Donna antes que a Doença comece a  apresentar seus sintomas nele.

[RESENHA JANGADA] “Vortex” – Julie Cross

Postado por Gabriela em 09/09/2014

Autora: Julie Cross
Editora: Jangada
Páginas: 384
Classificação: 2/5 estrelas

Em Vortex, Jackson Meyer já tomou sua decisão: nunca ter conhecido Holly. Ele acha que ao mudar a história ele irá protege-la. Entretanto, Jackson faz algo que ninguém esperava dele ao se tornar um agente do Tempest, uma divisão da CIA. Ao chegar no treinamento, Jackson se vê um peixe fora d’agua, todos acreditam que ele está lá só pelo seu pai e não por mérito. E, olhando o seu histórico, é a mais pura verdade. Jackson não conseguiria entrar na CIA sem seu pai – que se mostra outra pessoa no segundo volume de Tempest. Agora ele se importa com o filho e faz de tudo por ele. Não é o pai frio e distante que conhecemos na primeira obra.

Além disso, vemos pela primeira vez ou conhecemos melhor vários personagens. Como por exemplo a agente Stewart, que se mostra alguém fria e distante mas que na verdade é cheia de sentimentos dentro de si. Gostei do modo como Julie Cross abordou a personagem, porém a grande trama de Vortex é desvendar tudo o que há sobre as viagens do tempo e infelizmente Julie não conseguiu fazer isso. Ela fez um enorme ponto de interrogação na minha mente. E o problema é que Jackson não é Deus. Ele não pode mudar a história. Algumas coisas simplesmente têm de acontecer. Como ele entenderá isso?

Tudo o que qualquer um pode fazer… É amar quem a gente quer amar enquanto essas pessoas estiverem com a gente.

[RESENHA ROCCO] “Scarlet” – Marissa Meyer

Postado por Gabrielle em 05/09/2014

Autora: Marissa Meyer
Editora: Rocco
Páginas:
480
Classificação:
5/5 estrelas

Já aconteceu a você de cair de amores por uma série de livros e ler tudo o que é possível sobre eles em pouco tempo? Algo como uma overdose  literária e você até treme pensando no próximo livro, em ler mais, em saber mais e até em tietar a autora em busca de spoilers? Pois bem, é exatamente isso que aconteceu comigo em relação as Crônicas Lunares, de Marissa Meyer. Dezenas de pessoas me indicaram e agora que finalmente surgiu a oportunidade de lê-lo eu cai de amores, viciei, provavelmente li os dois primeiros livros em 48hrs — apesar da semana de provas, apesar dos compromissos, apesar de ter uma vida e apesar, principalmente, de precisar dormir. Então só posso dizer que sou mais uma na fila de pessoas que indica essa saga com loucura.

Clique e leia a resenha do primeiro livro.

Nesse livro, além de continuarmos a descobrir um pouco mais sobre a história de Cinder, também conhecemos Scarlet, uma garota com uma família desestabilizada que afetivamente depende completamente de sua avó, a mulher que vem cuidando dela nos últimos anos e a ensinou tudo que sabe sobre a fazenda e o cultivo. Entretanto sua grand-mère desapareceu e a polícia não está muito interessada em encontrá-la. Agora está nas mãos de Scarlet e o estranho, ainda que lindo, Lobo trazer a boa velhinha para casa e é nessa busca que Scarlet percebe que não sabia nada sobre a mulher que a criou e sobre sua família.

A burrice não é tentar proteger você. A burrice é que quase acredito que vai fazer diferença.

[RESENHA ARQUEIRO] “O Doador de Memórias” – Lois Lowry

Postado por Gabrielle em 18/08/2014

Autora: Lois  Lowry
Editora: Arqueiro
Páginas: 192
Classificação: 4/5  estrelas

Lançado em 1993 nos Estados Unidos,  O Doador — agora O Doador de Memórias — ganha mais uma edição e é o primeiro volume de uma saga de quatro volumes que já ganhou milhares de leitores pelo mundo, entre eles alguns bem famosos que fizeram do filme uma realidade. E com uma trama forte e  ótima narrativa, não dá para negar que Lois Lowry acertou em cheio.

Eles não sabem de nada.

No livro vigora a Mesmice, e o momento é, por que não dizer, utópico, onde tudo é igual, não existe família e sim unidades familiares, não há fome nem guerra e perguntar pode ser um erro. Mas há duas pessoas que sabem como o mundo era, sabem que há sentimentos, amor, ódio, sabem o que significa possuir uma família e filhos. E apesar de eles serem os únicos que podem perguntar, eles não estão satisfeitos, eles também querem mudanças.

Pensei que só nós existíssemos. Achei que só existisse o agora.

É comum dizer que o mundo é uma balança equilibrada, onde existe bem e mal e sempre que acontece algo que faz a balança pender para um lado, há sempre uma ação em contrapartida para que o equilíbrio retorne, mas em O Doador de Memórias isso não existe, não há equilíbrio porque não há o que pesar.

Apesar de haver  sentimentos, eles são todos mascarados, e com o decorrer da história o leitor se pergunta se é um mundo tão ruim assim ou se o preço a pagar é assim tão caro. Bem, se no leitor há dúvidas, já com o protagonista elas vão embora conforme ele recebe mais lembranças e pouco a pouco começa a ficar disposto a tudo para acabar com a Mesmice.

[RESENHA NOVO CONCEITO] “O Fogo” – James Patterson e Jill Dembowski

Postado por Emanuel em 10/07/2014

Autores: James Patterson e Jill Dembowski
Editora: Novo Conceito
Páginas: 272
Classificação: 2,5/5 estrelas

*a resenha pode conter SPOILERS dos livros anteriores.*

Ainda não resenhei nenhum livro do James aqui no blog, mas uma coisa que vocês devem saber é que eu gosto muitos dos livros do autor e ainda assim essa série definitivamente me frustrou porque esperava muito mais. Definitivamente, fantasia distópica não é para o James.

Nosso mundo não acaba quando você fecha o livro. Nosso mundo é real. Real demais.

O terceiro livro da série Bruxos e Bruxas, intitulado O Fogo traz o mesmo ambiente já enfrentado pelos protagonistas Whit e Wisty nos outros livros, mas deste vez além de fugir do Único que é o Único, os irmãos Allgood terão que enfrentar a Peste Sangrenta. Wisteria está contaminada e se Whit não se apressar ele também a perderá. Talvez para a peste, talvez para os soldados da Nova Ordem.

Depois da Resistência ter se espalhado, ter seus pais mortos e fisicamente e mentalmente debilitados, os irmãos terão que superar seus medos e enfrentar novamente a Nova Ordem, que a cada dia está mais cruel e impiedosa.