Livro: Um Amor, um Verão, e o Milagre da Vida
Autor: Isa Colli
Páginas: 231
Editora: Baldon Editora
Classificação: 3.5/5 estrelas

Muitas pessoas perguntam por que leio tanto. Qual a razão, na opinião delas, de eu perder tanto tempo e dinheiro com livros. Eu dificilmente as respondo. Ler envolve sentimentos e sentimentos são difíceis de converterem-se em palavras. Agora você deve estar se perguntando o que isso tem a ver com Um Amor, um Verão, e o Milagre da Vida. Bem, o mesmo ajuda a explicar meu amor pela leitura, com sua simplicidade e a paixão com que Colli escreve sobre tal assunto, e me evoca tantos sentimentos que é difícil saber por onde começar…

— Quer dizer que você que é a Maria Paula? A menina que roubou o coração de meu neto?
— A senhora está enganada. Se fosse apaixonado, não teria terminado comigo. Foi ele que arrancou meu coração do peito e levou-o consigo, Deus sabe para onde.

A história: eles não sabem, mas estão prestes a se apaixonar e conhecer o milagre da vida. Maria Paula é jovem e rica e, em minha opinião, nada mimada, apenas usufrui do que a vida lhe oferece, seja isso dinheiro ou a chance de amar. E há João Carlos, um jovem totalmente envolvido em viver o que há de melhor no mundo, sol, praia, esportes e a família, claro. E em um verão em que nada é como eles esperavam, ambos se encontram, se apaixonam e, juntos, devem enfrentar uma prova de fogo: o câncer.

Eu tive e ainda tenho mil pensamentos sobre esse livro. Ele me tocou. Apesar de achar que certos trechos do livro ocorreram de forma abrupta,  partes que poderiam ter sido melhor trabalhadas, como personagens secundários, que inicialmente parecem ter papéis importantes, para depois mal darem o ar da graça, e quando mencionados, falam uma frase ou duas, me deixando a sensação de que o livro é um quebra cabeça com peças mal formadas que foram encaixadas precariamente. Ainda assim, eu acredito piamente que a autora, Isa Colli, conseguiu atingir seu objetivo: nos emocionar com os acasos da vida.

A escrita é feita de uma forma simples, sem muito dramas. Afinal, a realidade envolvida no livro já é drama mais do que suficiente, e mesmo quando explicações de procedimentos médicos aparecem, é de fácil entendimento, principalmente para uma leiga como eu. Outros importantes fatores foram envolvidos: a discussão sobre a fé e esperança que envolve uma doença. Quem nunca se perguntou: “Por que, Deus? Por que eu, que nunca fiz mal à ninguém?” O livro, claro, não vai lhe responder essa pergunta mas sim deixar claro que a vida é uma luta, a questão é: você vai lutar ou vai deixar-se ser abatido?

Cadastre-se e receba novidades e ofertas
2719 pessoas visitaram
Publicado em 04/03/2012
Deixe seu comentário com o Facebook
Comentários
  1. Diana Santana disse:

    a capa do livro é linda, mas a história não me agrada. Eu não gosto de livro triste, principalmente que abordem esse tipo de tema, mas é questão de gosto. 🙂

    1. Gabrielle disse:

      Eu nao diria que é triste, pelo contrario, apesar de ter soltado umas lágrimas, o livro é alegre pelas pessoas que são apresentadas, o gosto pela vida que elas tem.

  2. Diana Santana disse:

    a capa do livro é linda, mas a história não me agrada. Eu não gosto de livro triste, principalmente que abordem esse tipo de tema, mas é questão de gosto. 🙂

    1. Gabrielle disse:

      Eu nao diria que é triste, pelo contrario, apesar de ter soltado umas lágrimas, o livro é alegre pelas pessoas que são apresentadas, o gosto pela vida que elas tem.

Deixe um comentário

EDITORAS & PARCEIROS

Copyright © 2016 Livros&Citações. Todos os direitos reservados
Notícias, resenhas e indicações de livros!