O universo expandido de Star Wars é gigantesco, ele está em livros, jogos e desenhos animados, mas o que estava em falta era um filme spin-off que trouxesse para a telona uma história que fugisse dos episódios ligados aos Jedis e skywalkers. Em Rogue One nós temos a história do esquadrão que roubou os planos da estrela da morte que aparecem no Episódio 4 – Uma Nova Esperança. Então a primeira coisa que eu sabia antes de ver o filme era o final, ou seja, a gente só vai descobrir como aconteceu.


A direção é de Garett Edwars, que dirigiu o Godzilla, e que faz um trabalho lindo com a franquia e cheio de fã service. Ele conseguiu fazer um filme com a vibe Star Wars, porém totalmente novo. O filme possui um tom mais pesado que o habitual para a franquia, é praticamente um filme de guerra e espionagem dentro do universo. Eu particularmente adorei a direção dele, cuidou de todos os detalhes com extremo cuidado, o visual é bem semelhante ao do Episódio 4, mas com algumas melhorias. Enfim, visualmente o filme é lindo.

O elenco deste filme é enorme então vou me ater aos personagens principais e aqueles que merecem destaque. Jyn Erso vivida por Felicity Jones tem alguns problemas de inconsistência, a transição dela de uma menina que não queria se envolver na rebelião para uma rebelde é muito brusca e sem sentido até. Diego Luna está muito bom como capitão Cassian Andor, ele é um homem ambíguo e cheio de conflitos internos, e Star wars merecia um leve sotaque mexicano. Já Medhelsohn faz um vilão interessante mas sem muita presença, na verdade ele está bem longe de ser o vilão do filme, mas é um antagonista elegante. Não podemos deixar de destacar o incrível K-2SO, que é um androide reprogramado do império e é super sarcástico e irônico, com certeza um dos meus personagens favoritos. Mas quem rouba a cena é Donnie Yen, que aparentemente só eu não conhecia, ele faz um personagem que acredita muito na força e é um grande guerreiro, mesmo sendo cego. Não tem como você não amar. E, para finalizar, meu crush eterno Mads Mikkelsen que faz um personagem essencial da história e, claro, está maravilhoso como sempre.

Neste filme também temos participações especiais de velhos amiguinhos de outros episódios, eu quase gritei no cinema quando vi um personagem, mas não vou dizer quem para não estragar a surpresa. Dentre essas participações temos nosso velho amigo Anakin-Darth Vader, mostrando toda a sua força, literalmente. Arrepia só de lembrar uma cena envolvendo ele, que foi fã service total, mas não ligo. Sou fã e quero service!

Rogue One é um filme maravilhoso. É o tipo de filme que dá prazer de ver e rever mil vezes, já vi duas vezes no cinema e já planejo a terceira. Para aqueles que não são fãs de star wars esse filme pode confundir um pouco, mas pode ser uma ótima porta de entrada para quem nunca viu nenhum filme da franquia. E espero que mais histórias do universo expandido estejam no cinema nos próximos anos.

Cadastre-se e receba novidades e ofertas
18511 pessoas visitaram
Publicado em 23/12/2016
Deixe seu comentário com o Facebook
Deixe um comentário

EDITORAS & PARCEIROS

Copyright © 2016 Livros&Citações. Todos os direitos reservados
Notícias, resenhas e indicações de livros!