Mentiras que Confortam

Autora: Randy Susan Meyers
Editora: Novo Conceito
Páginas:
368
Classificação:
5/5 estrelas

Na primeira parte de Mentiras que Confortam conhecemos a história de Tia, que está tendo um caso com um cara casado. Ela está se apaixonando por ele e acredita que ele também compartilha do mesmo sentimento e que irá largar a sua família para ficar com ela. Então dá a notícia que abala os seus dois mundos: ela está grávida. Nathan a abandona e Tia decide dar o seu bebê para a adoção. Enquanto isso, conhecemos Juliette, com uma ótima família e alguém que não poderia amar mais o seu marido. Com seus dois filhos, ela tem tudo que sempre quis. Até descobrir que Nathan a traiu. Porém ela conseguiu passar por cima disso, pois, ele havia dito que nunca mais a trairia novamente. E, por fim, Caroline, que vive um casamento perfeito e tem um trabalho que realmente ama, mas, o seu marido insiste em ter um filho e eles decidem adotar uma garotinha.

Você acredita em mim quando digo que sei o quanto te machuquei?

Cinco anos depois, Tia ainda é obcecada por Nathan e não sabe o que fazer de sua vida. Então, toma a infeliz decisão de enviar uma carta para ele, dizendo que ela teve o bebê e a deu para a adoção, incluindo fotos de Savannah. Quem recebe tal carta é Juliette, que é tomada por uma profunda decepção ao descobrir que mais uma vez Nathan escondeu algo dela. Ela conseguiria perdoa-lo por tamanha mentira? E conviver com o fato de saber que seu marido tem uma filha com outra? E Caroline tem de tudo para ser feliz, mas não é esse o sentimento que a preenche todos os dias. Ela não se sente uma mãe verdadeira e a esposa certa para Peter.

A história de cada uma dessas mulheres tem certo efeito na vida de outra. E conforme cada uma toma decisões o rumo do livro vai se alterando. E vemos o que a mentira pode fazer com cada família.

Mentiras que Confortam é um livro com uma trama mais adulta e madura. Cada personagem precisa lidar com temas que podem mudar sua vida para sempre. E que não é apenas sua vida que está envolvida, mas de toda sua família — inclusive suas crianças.

Não é verdade que todos nós passamos por momentos que preferimos esquecer, e pensamentos que desejamos que nunca tivessem passado por nossa cabeça? Falamos coisas ruins demais para nos lembrarmos delas. Quando termos sorte, as pessoas que realmente importam nunca saberão o que dissemos. O que pensamos, ou o que fizemos.

Particularmente a personagem que mais me intrigou foi Juliette. De todas as três, ela me pareceu ser a que tomava decisões mais sensatas e que tinha pensamentos mais “racionais”. Mesmo com todos os problemas que estava enfrentando, com a quebra de confiança do seu marido e como as crianças se sentiam com tudo isso, Juliette conseguiu realmente pensar e fazer o melhor para todos. E, mesmo assim, tirar um lado positivo de toda essa situação e aprender com ela.

Randy Susan Meyers alternou os capítulos do livro entre as três protagonistas com uma narração em terceira pessoa. E, algumas vezes, também tivemos a narração feita por Nathan e, nesse caso, em primeira pessoa. Dessa forma, conseguimos ver todos os lados da história e se familiarizar e simpatizar por cada um deles. Com tal leitura podemos refletir e perceber que os erros não são o fim de tudo, algumas vezes, é só o começo.

Não acho que perdemos uma pessoa por amá-la da maneira certa. Somos uma família. (…) Finalmente, está tudo esclarecido, e podemos ser uma família sem precisarmos nos apoiar nas forças das mentiras.

Cadastre-se e receba novidades e ofertas
2102 pessoas visitaram
Publicado em 05/01/2016
Deixe seu comentário com o Facebook
Deixe um comentário

EDITORAS & PARCEIROS

Copyright © 2016 Livros&Citações. Todos os direitos reservados
Notícias, resenhas e indicações de livros!