Autor: John Green
Editora: Intrínseca
Páginas: 336
Classificação: 4.5/5 estrelas

É muito difícil você não amar um livro do John Green. Ele é o tipo de autor que te prende em qualquer história que faz e Quem é Você, Alasca? já está na lista dos meus favoritos. E eu achando que não poderia gostar tanto de uma personagem como gostei do Gus.

A próxima adaptação do John Green traz a história de Miles, um jovem um tanto chato, que se acha um pouco, mas que começa a ter a sua vida alterada após decidir ir à um colégio interno. Isso mesmo, enquanto a maioria das pessoas fogem desse tipo de escola, lá foi o Miles pedir aos pais para fazer algo completamente diferente.

Miles tem uma certa dificuldade de se relacionar com as pessoas, mas logo que chega em Culver Creek, ele conhece Chip ou Coronel (como vocês preferirem). E é a partir do nosso ‘coronel’ que Miles tem sua vida completamente mudada quando conhece ela: a enigmática Alasca.

– Ótimo. E não me chame de Chip, é Coronel.
Eu segurei uma risada. – Coronel?
– É. Coronel. E seu apelido vai ser… hmm… Gordo.
– Como?
– Gordo, o Coronel disse. – Porque você é magricela. Isso se chama ironia, Gordo. Já ouviu falar? Agora vamos arranjar uns cigarros para não começar o ano com o pé direito.

Através de uma contagem regressiva, pra algo que vai te surpreender, John Green vai contando a história dessas três personagens. Romance, amizade, suspense e essa contagem regressiva que vai deixando todo mundo louco e apreensivo para o que vai acontecer.

Passamos a vida inteira no labirinto, perdidos, pensando em como um dia conseguiremos escapar e em quanto será legal. Imaginar esse futuro é o que nos impulsiona para a frente, mas nunca fazemos nada. Simplesmente usamos o futuro para escapar do presente.

Alasca é uma menina com humor negro, com pitadas de sarcasmo, inteligente e é a pessoa que faz toda a história acontecer. Se eu pudesse definir a personagem em uma palavra, acho que usaria o termo Paradoxo. Enquanto fuma que nem uma caipora, ela sonha em cuidar de crianças e deixa a sua marca por onde (e por quem) passa.

Então voltei para o meu quarto e desabei no beliche de baixo, pensando que, se as pessoas fossem chuva, eu era garoa e ela, um furacão.

É impossível não se sentir um pouco Miles, um pouco Alasca, um pouco Coronel. Ser adolescente é viver e sentir diversos sentimentos. Eles passam por tudo, amor, amizade, inseguranças e representam várias de nossas agonias. Dramático, doloroso, real e incrivelmente lindo. Esse João Verde tem o dom de me deixar apaixonada.

Não quero contar mais, você precisa ler pra crer, precisa entender quem é ‘Alasca’, quem são seus amigos, sentir a pressão da contagem regressiva, que a cada página conseguia me deixar intrigada e se apaixonar por toda história. Só assim você vai conseguir entender o que estou sentindo agora. Um livro inebriante.

Eu sei que ele me perdoa, assim como eu a perdoo. As últimas palavras de Thomas Edison foram: “O outro lado é muito bonito.” Eu não sei onde fica o outro lado, mas acredito que seja em algum lugar e espero que seja bonito.

Cadastre-se e receba novidades e ofertas
1874 pessoas visitaram
Publicado em 04/08/2015
Deixe seu comentário com o Facebook
Deixe um comentário

EDITORAS & PARCEIROS

Copyright © 2016 Livros&Citações. Todos os direitos reservados
Notícias, resenhas e indicações de livros!