Autora: Amy Harmon
Editora:  CreateSpace
Páginas: 333

Escolhi esse livro principalmente por sua sinopse (ok, amo a autora, mas a sinopse contou, sério). A história sobre um bebê que todos adoravam, mas que foi deixado de lado ao crescer e tornar-se uma criança e então virar um adolescente — e ninguém quer adolescentes perturbados -, é tão similar com as discussões envolvendo a maioridade penal que estão sendo debatidas no Brasil que era uma leitura que simplesmente tinha que acontecer. E que leitura, Amy Harmon novamente me surpreendeu.

Esta é minha história e eu não estava preparada.

Moses foi um bebê encontrado em uma cesta, filho de uma drogada que abandonou-o e dias após foi encontrada morta, e ele cresceu para tornar-se um garoto que vê além do que os olhos comuns querem ver. Renegado por suas particularidades, por algo que ele não escolheu ser, é visível que ele sequer teve a chance, ele nunca seria aceito ou se encaixaria no que a sociedade gosta de ditar como correto. E então ele conhece alguém que não liga para rachaduras.

Georgia é uma garota teimosa, uma cowgirl que gosta de enfrentar tudo de frente e desafiar probabilidades. Moses é um garoto que ela sempre assistiu de longe, mas quando surgiu a oportunidade de ser algo mais ela foi em frente apesar de tudo que ele fez para afastá-la. A cada vez que ele lhe virava as costas, Georgia estava pronta para empurrá-lo, jogar por terra cada uma das leis de Moses e desafiá-lo a viver.

Eu quero que ele pegue a vida pelos chifres e monte nela com todo o seu valor.

Como esperado, duas pessoas tão diferentes não saem ilesas de uma relação como essa. Essa pode até ser uma história doce, mas também é trágica. Fofa, engraçada, repleta de sarcasmo, todas essas características fizeram eu me envolver mais com The Law of Moses, e a verdade é que eu também não sai ilesa.

O primeiro livro dessa autora foi minha perdição. Eu amei Beleza Perdida por diversas razões e não esperava encontrar outro livro bom de Amy Harmon tão rápido. O melhor é quão diferente é essa nova história. E especial, tão, tão especial.

Eu simplesmente não amo. Estrou quebrado, eu acho. Rachado.

Essa é uma história de antes e depois, novos começos e continuações; algo louco, sobrenatural, falho, mas acima de tudo uma história de amor. Conhecemos a fase jovem, doce, e adulta, com uma linha traçando a perda da inocência, o sentimento desolador de passar por algo que muda alguém irremediavelmente ao ponto de saber que a dor nunca vai passar.

Meu coração foi parar na garganta tantas vezes com tudo que ocorreu, me surpreendi a cada página e a todo momento me perguntei como algo pode ser tão lírico, como chegou o primeiro amor a ser tão doce, atormentador e belo? Não há frase que eu possa escrever ou destacar desse livro para mostrar o quão grandioso ele é. Esse, meus amores, é mais um jovem adulto que foi além dos preceitos e mostrou um pouco do que a vida é feita. Amy Harmon tem a habilidade maravilhosa de provar que livros são muito mais do que um aglomerado de páginas e há algo a aprender através deles.

Eu não posso pintar. Não sei o que é Vermeer ou Manet. Mas se você acha que simples pode ser bonito isso me dá esperança. E talvez em algum momento você vai pensar em mim quando você precisar de uma fuga da dor em sua cabeça.

Em The Law of Moses, aprendi que a beleza em pequenas coisas, no cotidiano, e que mais tarde vou perceber como coisas do dia a dia, na verdade, não são algo pequeno ou corriqueiro. Não será o dia, a semana ou um ano que trarão lembranças mas sim uma marca, um cheiro, uma risada ou até uma discussão. Esse livro trouxe todos esses sentimentos nostálgicos à tona. Eu diria que foi uma experiência agridoce e só desejo que mais pessoas possam sentir isso. Apesar do romance ter algo próximo ao sobrenatural, são poucas as vezes que encontrei uma trama tão próxima da realidade.

“Eu acho que estou rachado.”

“Ok. Talvez estejamos todos rachados. Ou tortos. Eu, inferno, com certeza estou.

Cadastre-se e receba novidades e ofertas
16367 pessoas visitaram
Publicado em 01/01/2016
Deixe seu comentário com o Facebook
Comentários
  1. Joyce disse:

    Eu simplemente amei Beleza Perdida,uma leitura new adult que não precisou ter nada no sentido erótico para que seja perfeito. Adorei a escrita da Amy e amei a resenha e é óbvio que irei ler The Law of Moses *-*. Sabe se vai sair no Brasil??

    1. Gabrielle disse:

      Oi, Joyce. Beleza Perdida foi muito amor mesmo, NA perfeito! Então, quatro livros da autora foram comprados para o Brasil, até o momento esse não está entre eles pois é algo mais recente, mas tudo leva a crer que sim <3

  2. Joyce disse:

    Ah que maravilha assim que lançar todos irei comprar kk *-*

  3. Luana disse:

    Livro simplesmente épico. Não tenho palavras pra descrever. Li em inglês mesmo, e gente, fiquei sem folego quando cheguei na ultima página. Amy realmente sabe o que faz, ela escreve pra marcar você permanentemente. com certeza vou lembrar desse livro pro resto da vida.

    1. Gabrielle disse:

      Viu que já saiu Song of David? Tô louca pra ler, essa mulher ainda me mata

  4. Ana disse:

    Acabei de ler a história de Georgia e Moses e foi tocante como a autora contou tudo de uma forma linda, dramática e sobrenatural também. Adorei o livro e Amy vem me surpreendendo em cada livro seu que leio.Leitura recomendada. Bjs Ana.

  5. Nívia disse:

    Comprei beleza perdida e infinito + um, mas ainda não consegui ler. Estou empacada com “O livro da vida”.
    Estou ansiosa pelos próximos lançamentos dela.

  6. Mariana disse:

    Eu achei que nenhum outro livro dela ia superar beleza perdida. Aí li Law of Moses e fiquei passada, que livro maravilhoso! Um daqueles livros que você fica mega triste em acabar, pq ele marca muito. O que eu gosto na Amy é que ela cria histórias tão profundas e complexas, tão diferentes uma da outra! Li “A Different kind of Blue” que é mt bom tbm, e tou lendo The Song of David, que mesmo não me empolgando mt quanto Law of Moses, tem uma história bonita e tou curiosa pra ver onde chegará, pq eu não faço ideia. Com certeza quero ler os outros livros dela <3

    1. Gabrielle disse:

      Eu senti o mesmo quanto a The Song of David no início, não gostei da forma como tudo foi narrado, só quando entendi tudo no final que me acabei toda

  7. Isabella disse:

    A unica coisa que posso dizer é: minhas cinco grandes para esse livro: inesquecível, persistência, lágrimas, cores e ressaca literária.

Deixe um comentário

EDITORAS & PARCEIROS

Copyright © 2016 Livros&Citações. Todos os direitos reservados
Notícias, resenhas e indicações de livros!