Essa nova coluna, similar aos lançamentos da semana no exterior, vai focar principalmente no que está saindo lá fora e está sendo muito aguardado por leitores gringos.

Obviamente, o primeiro livro mais comentado do mês é a sequência de O Sol é para Todos. A pré-venda bombou e é a maior desde Harry Potter. O livro vai centrar-se na vida de Scout duas décadas após os acontecimentos de O Sol é Para Todos e como ela é forçada a lidar com questões pessoais e politicas enquanto tenta entender as atitudes de seu pai diante da sociedade, e seus próprios sentimentos sobre o lugar onde nasceu e passou sua infância;

Go Set a Watchman (To Kill a Mockingbird #2), de Harper Lee

Maycomb, Alabama. Jean Louise Finch – ‘Scout’ -, com vinte e seis anos, retorna ao seu lar na cidade de New York para visitar seu pai, o advogado Atticus Finch. Ela se vê forçada a lutar com questões pessoais e políticas enquanto tenta entender a atitude de seu pai em relação à sociedade e seus próprios sentimentos sobre o lugar onde ela nasceu e passou sua infância.

Eu sou realmente uma big fã da próxima autora, mas confesso que somente sua série mais famosa realmente funcionou para mim. Porém, em razão dos homens com ternos na capa, já topei ler sua nova série;

The Bourbon Kings (The Bourbon Kings #1), de J.R. Ward

Por gerações, a família Bradford carrega o manto de reis na capital mundial do Bourbon. Sua riqueza duradoura tem lhes oferecido prestígio e privilégio — bem como uma divisão vem se alastrando em sua propriedade, Easterly. No topo, uma dinastiaque segundo as aparências joga pelas regras de boa fortuna e bom gosto. Embaixo, uma equipe que trabalha sem descanso para manter a fachada dos impecáveis Bradford. E os dois nunca devem se unir.

Para Lizzie King, jardineira-chefe de Easterly, cruzar essa divisão arruinou sua vida. Apaixonando-se por Tulane, o filho pródigo da dinastia Bourbon, não era nada que ela queria ou pretendia — e a separação amarga apenas serviu para provar que seus instintos estavam certos.

Agora, depois de dois anos permanecendo longe, Tulane está finalmente voltando para casa, e ele está trazendo o passado com ele. Ninguém será deixado sem marcas: Não a linda e impiedosa esposa de Tulane; nem seu irmão mais velho, cuja amargura e o rancor não conhecem limites; e especialmente não o patriarca mão de ferro dos Bradford, um homem com pouca moral, escrúpulos, e muitos, muitos segredos terríveis.

Enquanto as tensões — profissionais, familiares e íntimas — inflamam, Easterly e todos os seus habitantes se lançam nas garras de uma transformação irrevogável, e somente a astúcia sobreviverá.

Este próximo lançamento é mais uma distopia composta por três livros. O burburinho com o gênero já passou, estou saturada com esse tipo de leitura, mas as opiniões são bem positivas quanto a esse livro;

Alive (The Generations Trilogy #1), de Scott Sigler

Uma jovem desperta presa em um lugar fechado. Ela não tem ideia de quem é ou como chegou ali. Com somente seus instintos para guiá-la, ela escapa de seu próprio confinamento — e descobre que não está sozinha. Ela libera outros de suas prisões e os leva para um caminho cheio de restos de uma antiga guerra. Quanto mais viajam, pior são os horrores que encontram. E enquanto lentamente eles começam a entender o que a prisão é, eles também percebem que as piores e mais estranhas possibilidades que imaginaram não chega nem perto da realidade.

Acompanhei Rachel Caine por anos com sua série The Morganville Vampires. Adoro sua escrita, o humor e a aventura, mas confesso que detesto a longevidade de suas séries;

Ink and Bone (The Great Library #1), de Rachel Caine

Em uma nova série emocionante, a autora best-seller do New York Times Rachel Caine reescreve a história, criando um mundo perigoso em que a Grande Biblioteca de Alexandria sobreviveu ao tempo. …

Impiedosa e extremamente poderosa, a Grande Biblioteca é agora uma presença em cada grande cidade, regendo o fluxo de conhecimento para as massas. A alquimia permite que a Biblioteca entregue o conteúdo das maiores obras da história instantaneamente, mas a propriedade pessoal dos livros é expressamente proibida.

Jess Brightwell acredita no valor da Biblioteca, mas a maioria de seu conhecimento vem dos livros ilegais obtidos por sua família, que está envolvida no próspero mercado negro. Jess foi enviado para ser espião de sua família, mas sua lealdade é testada nos meses finais de seu treinamento para entrar para o serviço da Biblioteca.

Quando ele inadvertidamente comete heresia através da criação de um dispositivo que poderia mudar o mundo, Jess descobre que aqueles que controlam a Grande Biblioteca acreditam que o conhecimento é mais valioso do que qualquer ser humano – e logo tanto hereges quanto livros irão queimar…

O próximo livro é para quem gosta de “dramas doces” e definitivamente o romance de estreia mais cobiçado do mês;

Paperweight, de Meg Haston

Stevie está presa. Em sua vida. Em seu corpo. E agora em um centro de tratamento para disturbios alimentares na periferia empoeirada do deserto do Novo México.

A vida no centro é regimentada e intrusiva, um pesadelo ganhando vida. Enfermeiras e terapeutas assistem Stevie na hora da comida, acompanham-na ao banheiro, e desafiam ela a comer alimentos que ela trabalha duro para evitar.

Seu pai assinou um contrato de sessenta dias de tratamento. Mas ninguém sabe que Stevie não planeja ficar tanto tempo. Faltam apenas 27 dias para o aniversário da morte de seu irmão Josh — a morte que ela causou. E se Stevie conseguir o que deseja, há somente 27 dias para que ela termine com sua vida também.

Nesse emocionalmente assombroso e belo romance de estreia juvenil, Meg Haston se aprofunda no impacto devastador do trauma e perda, enquanto questiona: Por que alguns são consumidos pela culpa e depressão enquanto outros embarcam em um caminho para a cura?

Esse livro já era um mega sucesso antes mesmo de lançar, talvez anteriormente tenha sido uma fanfic ou publicado na surdina ou simplesmente seja muito bom mesmo, mas vou conferir e tirar a prova.

Ruin & Rule (Pure Corruption MC #1), de Pepper Winters

“Nos conhecemos em um pesadelo. Na época em que o tempo não tinha poder sobre a razão. Nos apaixonamos. Muito. Mas então acordamos. E tudo acabou…”RUIN & RULE

Ela é uma mulher dividida. O seu passado, presente e futuro estão tão confusos quanto à mentira que ela viveu nos últimos oito anos. Desesperada para descobrir a verdade, ela deve procurar pelo homem que pode ser o seu maior inimigo…
Ele é o presidente da Pure Corruption MC. Um ciclista sem coração e retribuição. Ele não aceita regras, não obedece ninguém, e vive apenas para fazer vingança com aqueles que são contra ele. E agora ele roubou seu coração e alma.
Uma mulher atormentada pelo mistério pode se apaixonar pelo homem que nega encarar a verdade? E um homem inundado na escuridão pode renunciar seu instinto por vingança e finalmente encontrar redenção?

Paula McLain tornou-se um sucesso com seu livro que conquistou milhares de leitores, porém no Brasil ela nunca teve seu bum!. Eu realmente adorei a sinopse e o potencial desse novo livro. Uma mulher forte, apaixonada por cavalos e pela vida. Espero fortemente que uma ótima editora publique essa história aqui também.

Circling the Sun, de Paula McLain

Paula McLain, autora do best seller The Paris Wife, agora volta com seu novo romance, transportando os leitores para a Kenya colonial no ano de 1920. Circling the Sun traz a vida uma mulher sem medo e cativante — Beryl Markham, uma piloto recordista que se encontra em um triângulo amoroso com o caçador Denys Finch Hatton e Karen Blixen, que, como, Isak Dinesen escreveu o livro clássico de memórias, Out of Africa.

Ainda criança foi trazida do Kenya para a Inglaterra e, depois, abandonada pela mãe. Beryl é criada por seu pai e a tribo nativa, Kipsigis, que mora em seu estado. Sua educação nada convencional transforma Beryl em uma mulher forte com um grande amor por coisas selvagens e uma compreensão inerente do delicado equilíbrio da natureza. Mas mesmo a criança selvagem precisa crescer, e quando tudo que Beryl conhece e confia se dissolve, ela se vê em uma série de relacionamentos desastrosos.

Beryl molda o seu caminho como uma treinadora de cavalos, e o seu estilo incomum atrai o olhar de Happy Valley, uma comunidade de europeus que também vivem e amam conforme seu próprio conjunto de regras. Mas é o carismático Denys Finch Hatton que ajuda Beryl navegar o território desconhecido de seu coração. A intensidade do amor deles revela à verdadeira Beryl e o seu destino: voar.

No cenário majestoso da África no inicio do século XX, o conto poderoso de McLain revela as aventuras extraordinárias de uma mulher antes do seu tempo, e a isolação da liberdade e os seus custos, e a tenacidade do espírito humano.

Mary Kubica promete com seu novo drama. Mesclando mistério e suspense, seu novo livro apresenta uma história densa e não é difícil ver porque ele está entre os mais aguardados do mês;

Pretty Baby, de Mary Kubica

Um encontro casual desperta uma teia de mentiras nesse implacável novo suspense da autora best seller Mary Kubica.

Ela vê a adolescente na plataforma do trem, em pé na chuva, segurando um bebê em seus braços. Ela embarca em um trem e é levada para longe. Mas ela não consegue tirar a garota da sua mente…

Heidi Wood sempre foi uma mulher caridosa: ela trabalha em uma organização sem fins lucrativos, pega gatos sem donos. Ainda assim, seu marido e filha ficam horrorizados quando Heidi volta pra casa um dia com uma jovem chamada Willow e o seu bebê de quatro meses. Despenteada e aparentemente sem casa, essa garota poderia ser uma criminosa – ou pior. Mas apesar das objeções de sua família, Heidi convida Willow e o bebê para se refugiarem em sua casa.

Heidi passa os dias posteriores ajudando Willow se estabilizar, mas conforme pistas sobre o passado de Willow começam a aparecer, Heidi é forçada a decidir quão longe ela está disposta a ir para ajudar um estranho. O que começa como um ato de bondade rapidamente se transforma em uma história muito mais complicada do que qualquer um poderia imaginar.

Um dos romances de estreia mais comentados do mês, o plot parece bem comum então estou curiosa para conferir a escrita da autora. E homens super protetores nunca é demais, então com certeza está na lista de próximas leituras;

Damage Done, de Amanda Panitch

22 minutos separam Julia Vann de antes e depois.
Antes: Julia tinha um irmão gêmeo, um namorado e uma melhor amiga.

Depois: Ela tem uma nova identidade, uma nova cidade, e lembranças daqueles 22 minutos que se recusam a voltar. Pelo menos, é o que ela conta para a polícia.

Agora que é Lucy Black, ela pode começar de novo. Ela está até mesmo acostumada ao quarto vazio onde seu irmão deveria estar. E o seu novo começo atraiu a atenção de um dos caras mais lindos da escola, um garoto que fará de tudo para protegê-la. Mas quando alguém muito mais perigoso aparece, Lucy é forçada a confrontar os segredos obscuros que ela imaginou estarem seguros no passado.

Uma coisa é clara: O dano que foi feito nunca mais pode ser apagado. Está apenas começando…

Taylor Jenkins Reid tem ganhado destaque após a atriz que estrela em Cinquenta Tons topar também estrelar em uma adaptação de um de seus livros. A Record publicará Forever, Interrupted e deve ficar também com esse novo drama.

Maybe in Another Life, de Taylor Jenkins Reid

Da aclamada autora de Forever, Interrupted and After I Do chega um romance de tirar o fôlego sobre uma mulher cujo destino depende da escolha que ela faz depois de rever uma velha paixão; em capítulos alternados, vemos dois possíveis cenários se desdobrarem – com resultados diferentes.

Com 29 anos, Hannah Martin ainda não faz ideia do que quer fazer com sua vida. Ela viveu em seis cidades diferentes e trabalhou em vários lugares depois que terminou a faculdade. Com os planos de sair de outra cidade, Hannah volta para sua cidade natal em Los Angeles e mora com sua melhor amiga, Gabby. Logo após voltar a cidade, Hannah sai para um bar com Gaby e encontra seu namorado da escola, Ethan.

Logo após meia noite, Gabby pergunta a Hannah se ela está pronta para ir. Um momento depois, Ethan oferece uma carona mais tarde caso ela queira ficar. Hannah hesita. O que irá acontecer se ela for embora com Ethan?

Em uma história simultânea, Hannah vive com os efeitos de cada decisão. Rapidamente, esse universo paralelo se transforma em histórias radicalmente diferentes com grandes consequências para Hannah, e também para as pessoas em sua volta. Conforme as duas realidades distintas correm o seu curso, Maybe in Another Life cria perguntas sobre o destino e o verdadeiro amor: Alguma coisa já está predestinada? Quanto na nossa vida é determinado pelo acaso? E existe alma gêmea?

Hannah acredita que sim. E, em ambos os mundos, ela acredita tê-lo encontrado.

O próximo livro é uma mescla de distopia sci-fi beeeem fantasiosa e foi o lançamento que mais destoou dos outros. Não é um gênero que está no topo entre os leitores e mesmo assim esse livro está entre os mais aguardados;

Time Salvager, de Wesley Chu

O criminoso James Griffin-Mars não é um herói. Na sua vida, a Terra é um mundo tóxico, abandonado e os seres humanos fugiram para o outros planetas do sistema solar para sobreviver, vivendo condenado a uma frágil existência entre os outros planetas e suas luas. Os responsáveis por atrasar o desaparecimento da humanidade acreditam que viagem no tempo é a chave, e eles classificaram James como um dos seletos e dispensáveis indivíduos para o trabalho mais perigoso na história.

James é um chronman, realizando missões na antiga Terra para recuperar recursos e tesouros sem alterar a linha do tempo. As leis que regem o uso de viagem no tempo são absolutas; quebrar qualquer uma delas, de uma forma ou de outra, marca o fim de sua vida. A maioria dos chronmen nunca chegam à velhice; o estresse de cada salto através do tempo, agravado pelo risco para si e para o futuro, significa que muitos chronmen acabam enlouquecendo, e James Griffin-Mars está se aproximando cada vez mais disso.

Em uma missão final, que irá garantir sua aposentadoria, James encontra Elise Kim, uma cientista intrigante de um século anterior, que está fadada a morrer durante a destruição de uma plataforma oceânica. Contra sua formação e seu senso comum, e em violação da lei suprema das chronmen, James traz Elise de volta para o futuro com ele, salvando a sua vida, mas transformando ambos em fugitivos. Para continuarem livres, eles devem se infiltrar nas partes selvagens e venenosas da Terra, e de alguma forma encontrar aliados, talvez descobrindo que a esperança da humanidade pode ainda estar na Terra.

AIMEUDEUS! Adorei o próximo livro. Sabe aquela frase de que o melhor sempre fica para o final?! Essa publicação é praticamente isso (se você ignorar o fato que só tem livro bom aqui ahhahaa);

Serafina and the Black Cloak, de Robert Beatty

“Nunca se aprofunde na floresta, pois lá há muitos perigos e eles vão seduzir sua alma.”

Serafina nunca teve uma razão para desobedecer seu pai e se aventurar além da propriedade de Biltmore. Há muito o que explorar nos sombrios corretores de seu lar, mas ela deve tomar cuidado para jamais ser vista. Ninguém sabe que Serafina existe; ela e seu pai, o homem da manutenção do local, secretamente viveram no porão há mais tempo do que Serafina pode se lembrar.

Mas quando as crianças da propriedade começam a desaparecer, somente Serafina sabe quem é o culpado: um terrível homem vestido de manto preto que espreita os corredores de Biltmore durante a noite. Seguindo sua própria fuga desesperadora, Serafina arrisca tudo ao unir forças com Braeden Vanderbilt, o jovem sobrinho dos donos de Biltmore. Braeden e Serafina devem descobrir a verdadeira identidade do Homem de Manto Preto antes que todas as crianças desapareçam uma a uma.

A caça de Serafina leva-a diretamente a floresta que foi ensinada a temer. Ali descobre um legado esquecido de magia que está ligado a sua própria identidade. A fim de salvar as crianças de Biltmore, Serafina deve buscar as respostas que solucionará o quebra-cabeça de seu próprio passado.

Inicialmente não entendi muito bem porque o próximo livro estava no topo dos desejados, mas quando fui pesquisar sobre a autora percebi que a mulher tem milhares de fãs e seus livros são sempre bem classificados. Estou curiosa para saber qual é todo o mistério envolvendo o romance agora;

Fighting to Breathe (Shooting Stars #1), de Aurora Rose Reynolds

Lea Lamb e Austin Wolf eram jovens quando se apaixonaram. Eles nunca imaginaram que o futuro poderia ser nada além do feliz para sempre.

Quando o pai de Lea morre em um trágico acidente de pescaria, ela é esmagada pelo peso de sua dor e tem um vislumbre de outro tipo de futuro, um que ela sabe não ser forte suficiente para enfrentar.

Austin está com raiva. Nos últimos 15 anos, ele acreditava que a mulher que ele amava com toda a sua alma o deixou sem sequer olhar para trás.

Quando Lea inexplicavelmente retorna para sua cidade natal, todos os anos de mágoa dentro de Austin borbulham para a superfície, tornando-o cego em sua raiva.

Confrontado com a verdade sobre o passado, um segredo recém-descoberto, os ex-amantes vão aprender que, se quiserem ter alguma chance com o futuro que haviam desistido há tantos anos, eles vão ter que resgatar um ao outro de se afogar em uma dor tão debilitante que vão deixa-los lutando para respirar.

Sou viciada nos livros de Jennifer Lynn Barnes há alguns anos. Salvo engano, devo ter lido seu primeiro livro há oito anos e estou curiosa com essa nova série, a escrita da autora realmente evolui a cada livro e mal posso esperar para ver se ela realmente está em seu melhor.

The Fixer (The Fixer #1), de Jennifer Lynn Barnes

Tess Kendrick, com dezesseis anos, passou toda sua vida no rancho de seu avô. Mas quando sua distante irmã leva-a para D.C., Tess é jogada em um mundo de politica e poder. Ela também começa a Hardwicke Academy, a escola de D.C. para crianças ricas e poderosas, onde ela, sem saber, se torna a solução para ajeitar o ensino médio, solucionando problemas juvenis da mesma forma como sua irmã soluciona os problemas de seus pais.

E quando uma conspiração que envolve o membro de um dos colegas de classe de Tess vem à tona, um triângulo amoroso e inacreditáveis segredos de família vem a luz e a vida se torna muito mais interessante — e complicada — para Tess.

Cadastre-se e receba novidades e ofertas
2676 pessoas visitaram
Publicado em 17/07/2015
Deixe seu comentário com o Facebook
Comentários
  1. Thais disse:

    Eu comecei a ler Morganville quando ja estava no terceiro livro e aguentei ler ate o sexto, ai nao deu mais. Nossa a Rachel estende demais as estórias. Fiquei animada em ver que ela lançou algo novo, mas já estou com um pé atras kkkk

    1. Gabrielle disse:

      ahahaha eu terminei mas não sei se valeu a pena esperar tanto ZzzZzzz

Deixe um comentário

EDITORAS & PARCEIROS

Copyright © 2016 Livros&Citações. Todos os direitos reservados
Notícias, resenhas e indicações de livros!