Autora: Karen Kingsbury
Editora: Verus
Páginas:
336
Classificação:
5/5 estrelas

VIDRADA! É assim que esse livrou me deixou desde o momento em que comecei a lê-lo até terminá-lo. A Última Chance é aquele tipo de leitura fantástica que te suga para dentro da história e te deixa completamente viciado em cada momento, cada personagem. Pior, eu também me debulhei em lágrimas enquanto tudo isso acontecia.

Nunca é tarde para a verdade. Ela vive fora do tempo.

O livro é um romance cristão que gira em torno de vários personagens. Primeiramente há Ellie  e seu melhor amigo, Nolan, um garoto com quem conviveu durante anos e agora nutre uma paixão que é correspondida, entretanto eles serão separados por outro casal, os pais de Ellie, que agora passam por um problema no casamento que separa de vez a família, levando Ellie para outra cidade e uma nova vida que colocara em prova sua fé.

Porém, antes da separação acontecer, Nolan e Ellie  decidiram escrever cartas um ao outro e enterrá-las sob um carvalho. Em onze anos, não importa o que aconteça, eles devem retornar para cada um ler o que o outro escreveu. Eles não imaginam que estarão tanto tempo separados, Nolan quer se casar com Ellie e ele não vai deixar a distância acabar com seus sonhos, mas Ellie, agora em uma nova escola e sendo alvo da amargura de seu pai, pouco a pouco se transforma e não sabe bem se o que ela está se tornando é algo certo para o perfeito garoto de ouro que jurou sempre amar. Será amor suficiente após sofrer uma desilusão seguida de outra? Ellie acha que não e que nem mesmo a fé pode consertar suas más escolhas durante a vida.

Ellie queria se importar, queria se sentir tão ligada a Deus quanto Nolan e os pais dele. Mas, se Deus a amava, por que sua vida estava se despedaçando? Talvez ele amasse apenas algumas pessoas.

A partir disso, acompanhamos o que aconteceu com essas quatro pessoas e como cada uma delas mudou após as atitudes do pai de Ellienão lembro o nome do cara, um cara que se dizia devoto da Bíblia, mas que jamais parou para pensar em suas atitudes em casa e em relação a sua família. Intercalando a visão de cada personagem, é possível criar uma empatia por eles, por menos louváveis que sejam suas atitudes. Nolan pode até ser o cara de ouro, o homem maravilhoso, mas foram pelos personagens mais imperfeitos e perdidos por quem me apaixonei e é ótimo ver como a autora mescla bem o amor e a fé sem pesar muito a mão e deixar tudo em harmonia.

Aliás, esse é o primeiro livro que li de Karen Kingsbury, e agora só posso torcer por mais, principalmente depois de descobrir, após leve pesquisa, que A Última Chance nem sequer é considerado os dez melhores romances da autora. Não sei se meu coração aguenta ler os livros que a maioria julga melhor, mas espero que a Verus esteja disposta a apostar mais nessa autora e nos dar a chance de conferir se Kingsbury consegue mostrar a mesma paixão e esperança em outras obras.

Esse, em suma, é um romance sobre falso moralismo, más escolhas e fé, acima de tudo, para tentar e tentar e acreditar que por linhas tortas Deus sabe o que faz. Me senti tão bem e em paz com a leitura mesmo que várias vezes tenha sentido vontade de chorar e nos outros eu tenha chorado. Talvez romance cristão não seja a sua, mas, assim como Deus, A Última Chance só precisa de uma chance.

Em Cristo, todas as coisas são possíveis.

Cadastre-se e receba novidades e ofertas
2584 pessoas visitaram
Publicado em 28/11/2014
Deixe seu comentário com o Facebook

EDITORAS & PARCEIROS

Copyright © 2016 Livros&Citações. Todos os direitos reservados
Notícias, resenhas e indicações de livros!