Autora: Simone Elkeles
Editora: Globo Livros
Páginas:
360
Classificação:
5/5 estrelas

Acredito que de todas as autoras de NA e YA, uma que sempre me conquista, me faz sofrer, querer atirar o livro longe e depois correr e pegar ele de volta chorando como um bebê, é ela… Simone Elkeles. Após Química Perfeita li 2x, Rules of Attraction li 3x, Paradise Leaving e Return … dois que já li pelo menos umas 4x, ela fez de novo, ela me torturou, me apresentou personagens totalmente apaixonantes, engraçados, fortes, lindos. Enfim, suspiros quero apresentar a vocês os dois personagens que são protagonistas neste livro, dois cabeças duras, sarcásticos e, mesmo diferentes, iguais… com vocês o mundo de Wild Cards, estrelando Ashtyn e Derek.

Se você me chamar de Sugar Pie novamente, eu vou derrubar você.

Ashtyn Parker, única garota no time de futebol americano de Freemont High, abandonada pela mãe, irmã, faz de tudo para conseguir a atenção do pai, para mostrar seu valor, independente, forte, leal, linda, querida, dona do Falkor. Derek Fitzpatric, filho único, o pai é da Marinha e vive mais fora em algum submarino que junto da sua nova família, a mãe morreu de câncer, com segredos, adora pregar uma peça e por causa de uma brincadeira uma histórica por sinal, é expulso do colégio interno em que estudava e é obrigado a morar com a nova esposa do pai e o filho dela.

É aí onde as duas histórias se cruzam, afinal, a nova esposa do pai do Derek por acaso é a irmã da Ash e eles estão indo morar de volta em Chicago, onde os dois se conhecem em uma situação inusitada e por mais que ambos queiram se enganar, tem uma fagulha aí, e um sentimento novo para ambos.

Eu preciso me lembrar de ficar fora da vida dela mesmo que meus instintos me digam o contrário.

Com as narrações intercaladas entre a Ash e o Derek, temos o prazer de conhecer muito bem ambos, de sofrer com ambos, de querer cortar a cabeça do Derek com a Ash, e de tentar derrubar as barreiras que a Ash constrói em volta de si para se proteger de tanta gente que a deixa. E mesmo que os dois neguem, a atração entre eles é clara, e as interações deles hilááárias. Quando não torturantes para leitor, ou ainda lindas.

Ela pega outro biscoito. Eu fico tentado a pega-lo, mas eu não quero seus dedos perto de qualquer lugar próximos aos meus lábios. A regra dela de sem beijos ou toques está gravada minha mente.

Como eu já comentei, Ash é uma jogadora de futebol americano, uma kicker, e alguns dos jogadores são extremamente protetores e leais a ela, Jet, Trey, Vic. E Ash entrou em um acampamento de treinamento e recrutamento de futebol americano, o Elite, onde a seleção é extremamente seletiva. Só que ela não tem mais carona, e depois de tentar todo mundo que poderia ajuda-la, ela se vê obrigada a pedir ajuda ao Derek para ir até o Texas, uma viagem que também acontece por Ash insistir que ele leia a carta que sua mãe deixou para ele e que envolve sua última vontade antes de morrer. A avô do Derek é simplesmente fofa, engraçada, esnobe e ainda suuuuper querida

É bom ter ele aqui comigo agora, mesmo que fisicamente estejamos próximos, racionalmente estamos em mundos separados.

Bom, os dois sozinhos em um carro, vocês já devem imaginar no que vai dar. Mas o que eu posso dizer é que é o início de uma transformação, em ambos. Um processo pelo qual os dois tem de passar para seguir em frente, juntos ou não.

“Quando eu encontrei a Ashtyn, eu não tinha ideia do que ela faria comigo. Toda vez que estou próximo dela, eu quero empurra-la para longe e puxá-la para perto.”

“Eu nunca acreditei em amor à primeira vista, até eu conhecer o Derek. É exigente e delicioso e maravilhoso e excitante. Ao mesmo, me deixa nervosa e auto consciente e emocional. O amor existe. Eu sei que sim, porque eu estou loucamente, profundamente, perdidamente apaixonada.”

O processo de crescimento dos dois, de revelação de segredos, de construção de um relacionamento e de aceitação de coisas de cada um, é lindo e cruel ao mesmo tempo. Derek não leva nada a sério até que a Ashtyn faz com que ele se questione. Já Ash não aceita ajuda de ninguém pois, na verdade, ela nunca pode confiar totalmente em alguém.

Como sempre, a Elkeles me fez gargalhar, chorar, suspirar e … eu não sei, mas ela tem poder. SHE GOT THE POWER Não preciso nem comentar que na minha opinião esse livro é uma leitura que vale muuuito a pena, que mais uma vez ela fez o que muitos não conseguem, e claro, saindo da mesmice, mesmo lidando com temas que podem já ter sido trabalhados. A escrita dela é deliciosa, e eu amo ela. E obviamente, já estou louca pelos próximos livro dessa nova série.

“Você possui um pedaço de mim” ele murmura enquanto me segura.
“Bom.” Eu respondo. “E só para você saber… eu nunca irei devolver.”

Cadastre-se e receba novidades e ofertas
3883 pessoas visitaram
Publicado em 20/08/2014
Deixe seu comentário com o Facebook
Comentários
  1. Luanna disse:

    Acabei de ler o livro, ameeei!
    Como amei tambem o Derek, quero um pra mim já!!! Kkkkk
    Achei o final corrido porem fofo

  2. Tatiane disse:

    Olá!
    Fiquei suuuuuper interessada pelos livros. Você sabe se, além de “Amor em jogo”, algum outro já foi publicado em português?
    Obrigada!

Deixe um comentário

EDITORAS & PARCEIROS

Copyright © 2016 Livros&Citações. Todos os direitos reservados
Notícias, resenhas e indicações de livros!