Autora: Elle Cosimano
Editora: Kathy Dawson Books
Páginas:
400
Classificação:
4.5/5 estrelas
Antes de iniciar esta review, vou pedir permissão de vocês par dar uma ‘surtada’. AAAAAAAAOMFG! Ok, obrigada.

Bom, acredito que tenho de contar como me apaixonei por este livro. Tudo começou no ano passado quando, sabe-se lá como, encontrei ele no GoodReads, eu nem li a sinopse, só marquei ele. A capa, o mistério que ela passava me conquistou. Um belo dia, fui fazer uma limpa no meu GR, e eis que ele surge de novo, dessa vez parei e li a sinopse, meu queixo caiu. Inicio desse ano fiz uma agenda de lançamentos internacionais e a data de lançamento deste ficou gravada na minha cabeça. E eis que surge a data, mas eu não pude ler, só que assim que tive tempo, eu li e juro que quero dar um presente para a Elle Cosimano. Nearly Gone é de longe um masterpiece na minha sincera opinião. Gravem este nome, Elle Cosimano, samulher arrasa!

“A maior parte das leis da ciência podem ser resumidas a uma equação matemática. Se você seguir as regras, alcançará o resultado esperado. Se você se deviar delas, então terá alguma consequência. As regras não se importarão com o motivo.”
Nearly é uma garota comum, bom na verdade não, ela mora em um trailer, seu melhor amigo é filho do senhorio e salva o teto dela diversas vezes, sua mãe é uma stripper, é viciada em ler a seção pessoal dos jornais de sexta feira o ‘Missed Connections’, e tem um segredo que ninguém acreditaria se soubesse, pelo toque ela sabe o que as pessoas estão sentindo. Ah, e Nearly odeia seu nome e se auto nomeou Leigh. Só mais uma coisa, alguém está deixando recados para ela no Missed Connections, recados referentes à assassinatos. Então o que fazer quando só você vê isso e une as peças desse quebra cabeças, o que te faz a única pessoa que pode salvar as vítimas.
“Estava tudo errado. O que eu estava sentindo não era culpa do meu pai. Não estava vindo de dentro de mim. Estava vindo de qualquer pessoa que cheguei perto suficiente para tocar.”
Só que Nearly, preocupada com o que ve no jornal vai até a polícia depois do primeiro ataque e quando aparece outro recado no MC, obviamente eles não acreditam nela, e na pressa de sair acaba esquecendo sua carteira de estudante com o policial com quem falou. Quando volta para buscar ela, escuta o que não deve, mas que pode salvar ela, afinal ela passou a ser a principal suspeita e agora alguém infiltrado na escola dela vai observar ela de perto.
“Eu não tinha mais certeza de quem, ou que, eu estava procurando, mas as vezes eu sentia como se estivesse procurando por um pedaço de mim que estava faltando.”
O problema de saber isso tudo, saber que alguém está de olho, é que ela super analisa tudo, e mesmo não querendo se vê envolvida em segredos e mais segredos. Nearly não sabe para onde correr, o que fazer. O que ela sabe é que não é uma assassina e que somente ela pode salvar a próxima vítima de quem quer que seja que escreve para ela. E entre tudo isso, ela ainda tem de se preocupar com uma concorrência para uma bolsa de estudos, com o melhor amigo, com seu espião, sua mãe e claro, evitar tocar as pessoas e, não menos importante, salvar sua própria vida.
“De alguma forma, isto tudo era sobre mim.”
Não sei nem o que falar sobre esse livro. A história da Nearly me conquistou, o nome dela me conquistou, ela me conquistou. O espião dela também. Os dois são marcantes, instigantes, bem construídos e com histórias que justificam a forma de serem. A narração e escrita da Cosimano me encantaram, e até mesmo me hipnotizaram, ela é mais que fluida, ela lembra um depoimento, é como se a Nearly mostrasse que ela não é assassina, que ela não é culpada e por quê não é uma pessoa normal. Este é um ótimo livro para virar filme, com suspense, mistério, romance, drama, ação e de tirar o fôlego.

“Eu queria apenas ser invisível. Mas eu não podia.
Ele tinha estado observando.
E ele tinha me visto.”

Amo thrillers, são meus preferidos. Mesmo com seus defeitos, pois Nearly Gone tem um defeito pequeno, que não tira o poder do chute que ele te dá. Fui surpreendida, arrebatada e conquistada pela Cosimano. Agora, vou ali começar um agito para que ele vire filme.

“Eu não era quase. Eu era o suficiente.”

Cadastre-se e receba novidades e ofertas
2542 pessoas visitaram
Publicado em 22/05/2014
Deixe seu comentário com o Facebook
Comentários
  1. Nanda disse:

    Mads se amou tanto o livro porq deu 4,5 ? :/

    1. Mads disse:

      Nanda, eu dei 4,5 pois por causa das pequenas e pouquissimas falhas. Que são tão micro, que não tem motivo para não amar, mas que me deixaram muuuuuuito em duvida no momento de dar a nota dele. 😉

  2. Carla disse:

    Nunca ouvi falar… Mas pareceu bom pelo o que vc descreveu!

Deixe um comentário

EDITORAS & PARCEIROS

Copyright © 2016 Livros&Citações. Todos os direitos reservados
Notícias, resenhas e indicações de livros!