Autor: John Boyne
Editora: Cia das Letras
Páginas:
 456
Classificação:
 4/5 estrelas

O Palácio de Inverno conta a história de Geórqui Jachmenev, um jovem que passou grande parte dos seus dezessete anos em uma aldeia e por um golpe de não muita sorte acaba indo trabalhar no Palácio de Inverno a serviço do czar Nicolau II, sendo guarda-costa do filho deste, Alexei. Assim, descobrimos mais sobre as intrigas palacianas e sobre o que possivelmente acontecia na vida da realeza russa nessa tão conturbada época.

Eu tenho muito problema com livros que são quase universalmente adorados, principalmente porque eu tenho medo de acabar não gostando e geralmente isso acaba sendo uma razão de discórdia entre leitores como um todo. Aqui, nós temos a história de John Boyne, autor mundialmente famoso e um dos queridinhos da blogosfera literária, só isso já me deixou apreensiva de ler o livro.

Mas, devo dizer que eu gostei do livro, não virou um dos favoritos, mas foi uma leitura extremamente prazerosa, John tem uma escrita maravilhosa que mesmo não sendo marcante consegue te envolver na leitura de uma forma muito gostosa e com isso o fim do livro vem muito rápido. Além disso, é interessante ver as ideias que o autor tem sobre as pessoas tão importantes e esse momento histórico Russo.

Assim, eu realmente gostei muito dos personagens, principalmente Geórqui Jachmenev, que mesmo me irritando com o seu idealismo e jeitinho de protagonista, ainda conseguiu me conquistar e me fazer torcer por ele. Ademais, as figuras históricas que aparecem são escritas de modo crível, mesmo que ainda consiga-se perceber que alguns foram baseados na opinião que o autor prefere ter sobre elas.

Voltando ao autor, ele realmente consegue retratar bem a visão elitista, o que combina muito bem com as pessoas que estavam envoltos no cotidiano do Palácio de Inverno, o cenário e personagens de uma época pré-revolução encaixaram-se perfeitamente. Além disso, devo dizer que eu realmente amo a Russia e é um país que amaria visitar, assim, esse livro só ajudou a aumentar o sentimento.

Assim, mesmo que ele seja exagerado no clichê, porque é realmente bem previsível, acredito que o livro mereça sim ser lido, principalmente pela escrita maravilhosa de John e pelo oportunidade de conhecer um país tão fascinante que infelizmente não recebe tanta atenção como a França, Inglaterra ou Estados Unidos, mas teve ações fundamentais durante várias guerras, além de possuir uma cultura rica. Então sim, eu recomendo e até daria uma chance para outros livros de Boyne.

Cadastre-se e receba novidades e ofertas
1273 pessoas visitaram
Publicado em 13/02/2014
Deixe seu comentário com o Facebook
Deixe um comentário

EDITORAS & PARCEIROS

Copyright © 2016 Livros&Citações. Todos os direitos reservados
Notícias, resenhas e indicações de livros!