Autora: A. C. Meyer
Editora: Universo dos Livros
Páginas:
 208
Classificação:
 3/5 estrelas

Louca por Você é um exemplo clássico do que pode ser aceitável para o gênero, mas no geral dificilmente deve ser classificado como um bom livro. Confuso? Calma, eu chego lá. O livro, inicialmente autopublicado por A.C. Meyer, possui todos os ingredientes necessários para formar um bom new adult e viciar o leitor, o problema é que muitas vezes esses ingredientes são repetidos, clichês, e até aí tudo bem, mas para formar um bom livro eu acredito que falta mais tempero, uma mistura diferente que distingue um livro do outro ao ponto de meses depois, quando eu tentar lembrar o nome e o autor desse livro, eu não confunda com os vários outros new adults que já li.

Antes de me explicar melhor, vamos a história: a saga gira em torno de um bar, After Dark, formado por um grupo de amigos e cada um deles deve protagonizar um livro. Em Louca por Você,  Daniel é o protagonista e narra parte do livro junto com Julie Walsh, uma mulher que sempre foi apaixonada por ele mas também sempre foi vista como a irmã menor, nunca recebendo uma chance de mostrar que ela é a mulher ideal para seu felizes para sempre.

Entretanto, mesmo Daniel avesso aos namoros e sentimentos, quando ele percebe que Julie não é mais a garotinha que sempre cuidou e está prestes a perdê-la para outro, Daniel finalmente decide tomar uma atitude e lutar pela mulher que quer para si. Mas quando o que Julie quer é amor, será que Daniel é suficiente?

Clichê, clichê e clichê, toda essa introdução deixa isso claro. Se há algum problema com isso? Não, clichê vende, clichê diverte e clichê não cansa, e não quero ser chata ao destacar isso, eu ri tanto com esse livro, há personagens maravilhosos e eu quero mais, mas o que me incomodou foi que a autora se prendeu a outros new adults, não só mencionou vários como muitas vezes seguiu a mesma linha, sem inovar em nada, e não, eu não gostei disso, é simplesmente irritante, uma autora que escreve tão bem não deveria fazer isso e comparo  A. C. Meyer com Kristen Proby, uma autora que não me conquistou tanto inicialmente, mas soube desenvolver seus livros para trazer algo diferente, mesmo que em essência o clichê continue.

Louca por Você é como os filmes de comédia romântica que assistimos mil vezes e continuamos a dar risada em todas elas porque não cansa. Eu recomendo para todos os fãs do gênero, mas destaco que quando você gosta de um livro você deve querer o melhor para a autora e suas sequências. Porque o primeiro pode até ser aceitável, mas se os pontos negativos não são trabalhados o segundo vai cair ainda mais na mesmice e o terceiro provavelmente a maioria nem chegue a ler. Então, por mais que a maioria das críticas quanto ao livro seja algo como “é tão fofo, tão lindo“, eu prefiro dizer “é tão fofo, é divertido, mas não seja só isso“.

Cadastre-se e receba novidades e ofertas
21715 pessoas visitaram
Publicado em 27/08/2014
Deixe seu comentário com o Facebook
Comentários
  1. Anonimo disse:

    Esperei ansiosa pelo livro e ao ler fiquei estremamente decepcionada, além dos clichês já citados na resenha, a autora resolve desenvolver a história em um país que não deve conhecer e sequer pesquisou para fazer a obra, a falta de descrição dos lugares, das cenas, deixa isso bastante claro. Para ser bom, não precisa colocar os personagens com nomes de gringos e fazer essa história se passar longe da realidade do nosso país, recomendo a ela ler os livros da Carina Rissi e Marina Carcalho.
    Pelos quotes que já li do seu segundo livro, Leis da Atração, é só mais uma cópia disfarçada da trilogia Cinquenta Tons de Cinza.
    Enfim, não recomendo a leitura.

    1. Gabrielle disse:

      Sim, eu nem mencionei esses fatos, mas não sei nem dizer onde é o lugar exatamente, os personagens voaram sem cenário. Mas se ela apelou para algo assim é porque tá complicado vender sem algo receita de bolo “new adult” em mãos ;s

  2. Vania Macedo disse:

    Eu li os dois livros da autora, o Louca por você e o conto de Natal que ela disponibilizou na amazon como presente para as leitoras. O livro é clichê? Sim, mas qual comedia romantica não é? Eu achei o livro lindo, bem escrito, fofo demais. O conto é ainda melhor. Tive a sensação de estar dentro do livro, vendo aqueles personagens como se eles pudessem ser meus amigos. George é engraçadissímo e é impossivel não torcer pelo Danny, apesar das besteiras que ele fez, ou ainda suspirar pelo Alan, com seu tipo roqueiro tatuado que eu amo. Eu acho que é um livro p ler e se divertir, dar risadas, suspirar e quando perguntarem sobre ele, imediatamente abrir um sorriso ao lembrar da historia.
    É o primeiro livro dela, então a tendencia é que a cada vez ela vá se aprimorando, e isso a gente percebe nos trechos que ela tem liberado no facebook.
    Além de talentosa, a autora é uma fofa e super querida pelas leitoras que só a chamam de diva.
    Agora quanto ao comentário da anonima, que disse que o livro dois é uma cópia de 50 tons, acho que ela anda acompanhando a autora errada. A propria A. C. já falou varias vezes que o Zach não tem nada de Grey. No bonus que veio no livro tb diz isso. Não tem BDSM, nao tem contrato, nada disso. Zach, pelo que tenho visto, é apenas um macho alpha do tipo que as leitoras do gênero amam.
    A leitura é super recomendada. Eu acho que merecia, pelo menos, 4 estrelas e uma resenha menos contraditoria.
    E a A. C. Meyer já tem lugar cativo no meu coração. O livro é otimo e mal posso esperar para Leis da Atração (o livro do Zach) sair.

    1. Gabrielle disse:

      Onde é contraditória, exatamente? Contraditória com a maioria das opiniões, isso sim, mas contraditória com a minha opinião acredito que não. Como eu disse, não é pecado ser clichê, eu adoro clichê, mas não acho que foi bem escrito, muita coisa se resolveu subitamente, outras enrolaram sem razão nenhuma, a descrição foi nula. Em suma, muito similar a muitos outros do gênero (eu já li mais de trinta NA, então sei quando algo é similar nesse caso) e que continua a vender porque o público em geral de NA só quer algo fofo, mas uma autora só ganha mais terreno quando ela sabe desenvolver a partir disso.

      Eu não digo que a autora não merece o tempo de leitor algum, mas por enquanto ela é só mais uma em uma onda que anda conquistando leitores no mundo todo há quase dois anos. Ela pode ser mais que isso? Espero que sim, ela escreveria um ótimo chick-lit ou qualquer outro gênero com uma pegada divertida, mas somente se melhorar sua escrita.

  3. Thamy disse:

    Oi, onde acho pra comprar esse livro?

  4. juliano cesar de oliveria disse:

    Oi adorei sua resenha!.. muito obrigado…me fez se interessar pelo livro….mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei… se trata de um livro arrebatador…ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos…..e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história…..acesse o link da livraria cultura e digite reverso…a capa do livro é linda ela traz o universo de fundo..abraços. http://www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?

  5. Bianca disse:

    Olá, gostei muito da sua resenha, adoro livros clichês rs, agora se possivel poderia tirar uma dúvida? esse livro faz parte de uma série? e quantos livros seriam ao todo? obrigada pela atenção.

  6. Livro Grifado disse:

    Eu não consegui terminar o livro, parei exatamente na página 73. Acho que o que mais me incomodou mesmo foi o fato da Julie ter 28 anos e agir como se tivesse 18, posso parecer chata pra quem gostou do livro, mas as atitudes, a forma como os amigos tratam ela como ‘garotinha’ e por favor como o Daniel não consegue ver que uma mulher de 28 anos não é sua irmã mais nova?
    Enfim… acho que vou trocar as idades e ler de novo, ahahahaha!!!

  7. Juliana disse:

    O que me incomoda é isto que foi citado, a autora ser brasileira e escrever como se fosse gringa. Fica artificial e parecendo fanfic.

    E Gabi, não acho tão dificil assim vender sem ser new adult e cliche, pois vale lembrar que a Paula Pimenta, a Carina Rissi vendem muito bem e não apelam pra isto.

    No fim, o livro acaba sendo “mais um” e não fica marcante. Ou seja, diverte, mas é esquecível.

    E como vc falou, se a autora escreve bem, porque não trabalhar melhor sua historia para ser algo realmente bom e relevante num mercado tão igual?

  8. laura sued disse:

    Eu gostaria de saber se vc tem esse livro em PDF?
    E se não tiver conhece alguem que tem?

  9. Aline disse:

    Bonzinho, mas nada mais do que bonzinho… Concordo com quem disse que a personagem parece ter 18 anos, porque os questionamentos dela não são de uma mulher de 28 anos. O fato de ela esperar o príncipe encantado no “irmão mais velho” dela já é algo que mostra que tem algo de muito errado. Várias coisas poderiam ter sido melhor desenvolvidas… Como o lance da Johanna aquela com o Zach, que deu bem a entender na narrativa.
    O melhor da história é o George… Sem a menor sombra de dúvidas! É o personagem que mais me cativou e as tiradas dele são excelentes.
    Não gostei do Daniel, e achei que ficou forçada essa coisa dele tratar ela como irmã depois de já ter sido a fim dela… Fora que todas as atitudes românticas que ele tomou beiraram muito o irreal. E eu prezo muito por personagens mais humanizados, por mais que a história contenha clichês.

    Já novelas mexicanas menos açucaradas que esse livro.

  10. Ana disse:

    Pior livro que já li. Não recomendo de forma alguma.
    Sem história nenhuma que prende, é uma imitação barata de outros livros…

Deixe um comentário

EDITORAS & PARCEIROS

Copyright © 2016 Livros&Citações. Todos os direitos reservados
Notícias, resenhas e indicações de livros!