pecame

Autora: Megan Maxwell
Editora: Suma de Letras
Páginas:
 364
Classificação:
 4/5 estrelas

E a última parte da história de Judith e nosso Iceman favorito finalmente chega ao Brasil. Antes de fazer uma leve introdução ao que acontece nesse livro e minha respectiva opinião, preciso deixar claro que li esse livro logo após ler o primeiro quando a editora o enviou. Fiquei tão viciada (até porque já conhecia a escrita de  Megan Maxwell e já esperava gostar, mesmo que dessa vez o livro tratava de um romance erótico), que li tudo de supetão, três livros em dois dias. O problema é que a trama é bem repetitiva e mesmo todo o vício não foi suficiente para deixar os erros de lado, o que me fez, naquela época, classificar o livro como três estrelas. Entretanto, dessa vez, meses depois de lê-lo, minha nota mudou para quatro. Por quê? Porque reler o livro foi melhor, porque a edição nacional é um tanto diferente (os quatro primeiros capítulos do último livro aqui no Brasil na verdade são os últimos capítulos do segundo na Espanha), e principalmente, porque uma saga para ser melhor apreciada talvez necessite um espaço de tempo de uma leitura para outra.

Enfim, voltando ao livro, na edição brasileira de Peça-me o que quiser ou deixe-me, iniciamos exatamente onde parou o segundo livro, com Judith de saco cheio de Eric e disposta a seguir em frente. O problema é que agora é o Iceman que não quer deixá-la, e não importa onde Judith se esconda, ele está disposto a esperar por uma chance de conseguir sua moreninha de volta. Mas será que duas pessoas com personalidades tão diferentes possuem alguma chance de encontrarem a felicidade juntos? Com o ciúme e a superproteção crescendo cada vez mais, um felizes para sempre parece cada vez mais difícil.

Bem, por um lado a existência desse livro é um tanto desnecessária, não adicionou tanto a história — vale levar em conta que era para acabar nos quatro primeiros capítulos, que acontece algo que não vou escrever para não soltar spoiler, mas que acredito que a maioria saiba o que é –, a cena de ciúme armada é quase um copia e cola de outros acontecimentos anteriores e creio que só foi escrita para adicionar mais intensidade, mas é inegável que é um livro que os leitores pediram, precisavam, porque há trechos bem imperdíveis. Por exemplo, o livro dá uma guinada para Sorpréndeme, livro de Björn, pois a mulher que vai ser o par romântico do gostosão aparece e foi ótimo, adorei ela mesmo com o pouco espaço que teve e já imagino que seu livro também superará minhas expectativas. Outro ponto que foi bem explorado foram os personagens secundários, que obtiveram maior espaço na trama, como a doida da irmã de Judith, que é uma novela mexicana ambulante.

E claro, mais uma vez eu amei a escrita de Megan Maxwell, todo o humor, a surubada que em certos trechos atingiu um ponto crítico beirando ao assustador porque há cenas que simplesmente ultrapassam pelo menos o meu limite do erotismo, mas o ritmo fluiu super bem e vou sentir falta desse enredo super louco e dramático, do casal, das brigas e da trilha sonora perfeita. Cheio de erros e acertos, Pídeme lo que quieras é sim uma trilogia erótica que vale a pena para quem gosta do gênero. Ah, Zimmerman, vou sentir saudades…

Cadastre-se e receba novidades e ofertas
7197 pessoas visitaram
Publicado em 31/01/2014
Deixe seu comentário com o Facebook
Comentários
  1. Nivia Alice Sales disse:

    Foi fantastico. Valeu a espera.

Deixe um comentário

EDITORAS & PARCEIROS

Copyright © 2016 Livros&Citações. Todos os direitos reservados
Notícias, resenhas e indicações de livros!