Medo, reverência, terror de Carlo Ginzburg

“O visual nos oferece nossas imagens armazenadas, nossos pontos subliminares de referências, nosso inaudito ponto de contato.” A formulação do historiador britânico Raphael Samuel (1934-96) como que perpassa o método analítico de Carlo Ginzburg nesta reunião de ensaios sobre as faces da política na arte. Tendo como foco principal o papel do medo e paixões a ele relacionadas em obras visuais planejadas para comover politicamente o público a que se destinam – e assim persuadi-lo -, o historiador italiano dá continuidade a uma vertente de interpretação esboçada por Aby Warburg há mais de cem anos. Como demonstram seus manuscritos, esse decano de toda uma geração de eminentes historiadores da arte no século XX foi obcecado pela sobrevivência de certas “fórmulas de emoções” [Pathosformeln] ao longo da história visual dos povos do Ocidente. Por exemplo, as expansões de gozo erótico de uma mênade helenística podem reaparecer, com sentido invertido, nos gestos de dor de uma Madalena ao pé da cruz do Quattrocento florentino. Apesar de não ter se desenvolvido num tratado exclusivo, esse achado de Warburg continua com potencial de fertilizar todo um campo de estudos sobre a visualidade do horror e da dominação em obras artísticas de cunho político. Ginzburg inclui no repertório de Pathosformeln rastreadas desde o gesto acusador de Lorde Kitchener em cartazes de alistamento militar durante a Primeira Guerra Mundial (mais tarde imitado por Tio Sam) até o vanguardismo estético e ideológico de Guernica, passando por seus antecedentes plásticos e literários na Antiguidade clássica, na Idade Média e no Renascimento.


Tudo O Que Sou de Anna Funder

 Durante a curta existência da República de Weimar, Ruth Becker e Dora Fabian defenderam abertamente seus ideais pacifistas e democráticos. Mas em 1933, quando Hitler é empossado chanceler, contrariando as expectativas de toda a militância esquerdista, as perseguições políticas começam a vigorar imediatamente. Expulsam-se dissidentes, prendem-se comunistas, queimam-se livros. Entre as primeiras obras condenadas pelo partido nazista estão as do dramaturgo Ernest Toller. Quase setenta anos mais tarde, a fotógrafa Ruth Becker está à beira da morte em um hospital de Sydney, na Austrália. Ela é a única sobrevivente de um restrito grupo de dissidentes alemães que partiu na primeira leva de exilados para a Inglaterra. Quando Ruth recebe pelo correio uma caixa com os manuscritos inéditos de Toller, encontrados no quarto de hotel em que ele se suicidou em 1939, as lembranças do passado se tornam inescapáveis. Entremeando uma emocionante narrativa pessoal à leitura de trechos inéditos dos escritos de Toller, Ruth irá empregar todos os recursos de sua vigorosa imaginação para refazer os últimos momentos de vida de sua prima Dora, encontrada morta no apartamento londrino de Ruth e a quem o dramaturgo dedicou páginas até então desconhecidas do público. Ela também tentará entender por que se deixou enganar por um homem que mais tarde facilitaria a captura de Dora por agentes de Hitler. Baseado em documentos históricos e depoimentos de Ruth Bratt, professora que inspirou a personagem principal de Tudo o que sou, este romance é a primeira incursão de Anna Funder na escrita ficcional. Aqui, a autora de Stasilândia revisita o tema da invasão de privacidade e da supressão de direitos ao abordar a perseguição a intelectuais dissidentes durante o regime nazista na Alemanha.

Lionel Asbo de Martin Amis

Lionel Asbo sobrevive de negócios escusos no subúrbio de Londres. Mas o que ele mais gosta de fazer mesmo é espancar aqueles que ousam se colocar em seu caminho no distrito de Diston Town, onde mora com o sobrinho Desmond Pepperdine e seus dois pitbulls, Joe e Jeff. A vida na pequena criminalidade é uma verdadeira vocação. Desde a infância, ele acumula episódios de arruaça e passagens por diversas prisões inglesas. Não à toa, decidiu mudar seu registro de batismo, adotando como sobrenome a sigla Asbo (em inglês, Condição de Comportamento Antissocial). Filho caçula de sete irmãos (todos, menos ele e a irmã Cilla, batizados com nomes dos Beatles: John, Paul, George, Ringo e até o “esquecido” Stuart), Lionel tem uma namorada, Cynthia, que conhece desde a infância. Mas a pessoa mais próxima dele é o sobrinho Desmond, em tudo diferente do tio. Se Lionel tem um físico atarracado e pálido, típico dos ingleses de classe média baixa, Desmond chama a atenção por seu porte esguio e por sua pele morena, herdada do pai (um negro que sua mãe não encontrou mais que duas vezes na vida). Sem ter conhecido o pai, Desmond perde também a mãe na adolescência. A partir de então, algumas de suas características se acentuam: a timidez, o romantismo, a dedicação aos estudos e o cuidado com os outros, especialmente com seu tio arruaceiro, que Desmond tenta manter sob controle. Desmond é a esperança da família, ainda que entre os Pepperdine apenas a avó Grace pareça dar a ele o seu devido valor. Para complicar as atribulações de Lionel e Desmond, uma das primeiras namoradas do rapaz é ninguém menos que a própria avó Grace, ainda inteirona na casa dos quarenta anos. A história incestuosa com a mãe de seu tio facínora irá atormentar a consciência torturada e retraída de Desmond, até que um acontecimento imprevisível mudará completamente os rumos desta história: Lionel Asbo ganha 140 milhões de libras na loteria.

O Ladrão do Tempo de John Boyne

John Boyne tornou-se um escritor célebre no mundo inteiro depois do estrondoso sucesso de seu romance O menino do pijama listrado, mas agora o leitor brasileiro tem finalmente o privilégio de conhecer O ladrão do tempo, livro que deu início à brilhante carreira do autor irlandês. O ano é 1758 e Matthieu Zela resolve abandonar Paris e fugir de barco para a Inglaterra, depois de ter testemunhado o assassinato brutal da mãe pelo padrasto. Apenas um garoto de quinze anos na época, ele leva consigo o meio-irmão caçula, Tomas, criança que se vê impelido a proteger. Começando com uma morte e sempre em busca de redenção, a vida de Zela é marcada por uma característica incomum: antes que o século XVIII acabe, ele irá descobrir que seu corpo parou de envelhecer. Sua aparência é de um homem de cinquenta anos, mas o tempo passa e seu físico continua imutável. Ele simplesmente não morre e não faz ideia de qual seja a razão para que isso ocorra. Ao final do século XX, ele resolve olhar para o passado e rememorar sua experiência de vida, incomparável à de qualquer outro ser humano. Da Revolução Francesa à Hollywood nos anos 1920, da época das Grandes Exposições à quebra da Bolsa de Nova York, Zela transitou por inúmeros lugares, exerceu diversas profissões e conheceu pessoas notáveis, além de ter se apaixonado por muitas mulheres. Mas, mesmo séculos depois, ele continua certo de que seu verdadeiro amor foi Dominique Sauvet, uma jovem que conheceu no barco que tomou com o irmão para escapar da França. O trio se uniu para começar a nova vida na Inglaterra e Matthieu se viu totalmente encantado por Dominique. Com uma trama absolutamente instigante de amor, morte, traição, oportunidades perdidas e esperança, John Boyne já anunciava neste primeiro romance o seu talento inconfundível de exímio contador de histórias

Prosa de Elizabeth Bishop

O Brasil teve a sorte de abrigar por muitos anos, entre as décadas de 1950 e 70, a extraordinária viajante que foi Elizabeth Bishop, autora de uma das obras poéticas mais belas e sólidas do século XX. Não menos genial, sua prosa aparece agora reunida neste volume, traduzido e anotado pelo também poeta Paulo Henriques Britto. A edição inclui a maioria dos textos publicados anteriormente em Esforços do afeto e outras histórias (Companhia das Letras, 1996) e acrescenta uma seleção do material divulgado em Prose , livro organizado pelo crítico e poeta Lloyd Schwartz (Farrar, Straus and Giroux, 2011), com artigos que tematizam o Brasil, a correspondência com Anne Stevenson e, para exemplificar a produção juvenil de Bishop, uma análise da poesia de Gerard Manley Hopkins, produzida quando a autora era estudante universitária. Além de um deleite literário – com uma ficção que beira o memorialismo e memórias e ensaios que bem poderiam ser ficções -, este é também um livro indispensável para se conhecer as fontes concretas da poesia de Bishop.

Schmidt Recua de Louis Begley

Albert Schmidt não vai passar o Réveillon de 2008 sozinho. De Paris, sua amiga Alice Verplanck veio aos Hamptons, no estado de Nova York, para ter uma conversa definitiva com ele. Quinze anos antes, Schmidt tinha pedido Alice, viúva de um antigo colega do escritório, em casamento. Os anos se passaram sem que eles se falassem, depois de uma grosseria dele que não foi esquecida nem com flores ou pedidos de perdão. Tanto tempo depois, talvez eles pudessem se acertar. Protagonista de dois outros romances de Louis Begley – Sobre Schmidt (que foi dirigido por Alexander Payne em 2002 e contou com Jack Nicholson no papel principal) e Schmidt libertado -, o advogado percorre neste “terceiro ato” um período de mais de uma década, em que sua história com Alice se desenrola entremeada a confusões familiares. Sua ex-namorada Carrie, quarenta anos mais jovem, dá à luz um filho que pode ser dele ou do atual marido dela, e segue sob os cuidados, agora paternais, de Schmidt. Charlotte, a filha distante, casada com um advogado judeu que Schmidt não suporta, tenta uma reaproximação ao engravidar, para depois levar seu conflito com o pai ao auge. Para afastar a solidão da velhice, Schmidt tenta resolver uma equação que envolve afetos, antigos preconceitos e casos do passado, enquanto lidera uma fundação filantrópica e transita pelo mundo dos endinheirados. Em Schmidt recua, Begley explora mais uma vez a mente do advogado, resgatando episódios do passado de que o Schmidt de 78 anos não pode se esquivar.

Milagre em Joaseiro Ralph Della Cava

Publicado originalmente em 1977 – agora reeditado com nova apresentação do sociólogo Eduardo Diatahy Bezerra de Menezes e prefácio do autor -, Milagre em Joaseiro causou verdadeira revolução nos estudos sobre Padre Cícero. Nas lentes do antropólogo e historiador americano, Cícero não é santo nem impostor. A partir de pesquisas incansáveis nos baús que ocultavam a documentação da intolerância da hierarquia eclesiástica no processo contra o sacerdote – e sem descartar a montanha dos escritos de detratores e apologetas do religioso -, Della Cava soube se posicionar de maneira equidistante das linhas antagonistas de interpretação.
Apoiado em seus conhecimentos de história econômica e política, o brasilianista reconstitui o período longe das explicações simplificadoras e reducionistas em termos de fanatismos e messianismos. Simples e devoto, Cícero aparece no livro como tantos outros sacerdotes do Sertão do século XIX, erigido antes pelas circunstâncias que por qualquer característica pessoal notável a uma das figuras mais polêmicas da história do Brasil. Defensor involuntário de um “milagre”, foi denunciado pela Igreja como impostor, por temerosos coronéis e chefes políticos como perigoso agitador e aclamado pelas massas de sertanejos como santo injustiçado capaz de livrar os pobres e enfermos de suas aflições. Por um complexo jogo de fatores, coube ao obscuro sacerdote desempenhar um papel dos mais relevantes na vida política do Ceará, canalizando os descontentamentos das populações miseráveis e contendo-os, numa região onde já dominavam tendências milenaristas e onde era comum a prática religiosa marcada pela fé ingênua e exaltada e, por outro lado, comandando, em virtude das forças sociais e políticas que despertou, um movimento religioso e popular de grande amplitude.

Tormento de John Boyne

Danny Delaney curtia tranquilamente as férias, até que sua mãe volta pra casa tarde da noite, escoltada por dois policiais. Ele logo percebe que algo terrível aconteceu. A sra. Delaney havia atropelado um garotinho, que agora está em coma e ninguém sabe se vai acordar. Consumida pela culpa, ela se isola de todos ao seu redor. Caberá a Danny e seu pai impedir que a família se despedace.

O Alçapão (Infinity Ring #3), de  Lisa McMann

Depois de lutarem ao lado de guerreiros medievais para corrigir mais uma Fratura, Dak, Sera e Riq retornam aos Estados Unidos e logo se envolvem em uma armadilha mortal. O ano é 1850, um pouco antes da Guerra Civil, quando o país está dividido em relação à escravidão. Nesses tempos sombrios, a Ferrovia Subterrânea é a única esperança de muitos escravos, que conseguem escapar por essa rota secreta. Mas a SQ aos poucos está tomando o controle dos trilhos, colocando a vida de muitos fugitivos em perigo e ameaçando apagar aquela ferrovia da história. Riq é forçado a se separar do grupo e encontrará dificuldades que o levarão a enfrentar seu próprio passado. Dak e Sera, por outro lado, tentam descobrir em quem podem confiar e o que precisa ser feito para consertar mais uma Fratura.

Quando Estou Com Você de Beth Kery

A saga completa. Livros 01 a 08 em versão física. Já em pré-venda. Grande chef e dono de diversos restaurantes e hotéis de luxo, Lucien Lenault é alguém que não se impressiona facilmente. No entanto, fica imediatamente em choque ao ver a nova jovem estagiária contratada para seu moderno restaurante em Chicago. Trata-se de ninguém mais, ninguém menos que Elise Martin, filha de um rico estilista francês e detentora de um segredo que pode acabar a qualquer instante com seus planos cuidadosamente elaborados. Conhecida por seu flagrante exibicionismo e por abalar a imagem respeitável de sua origem aristocrática, o lado selvagem de Elise sempre chocou a maioria das pessoas. Mas não Lucien. Ele se sentia seduzido por aquilo. Vê-la ali, tão linda, mas tão pronta para arrumar uma grande confusão, parecia para ele uma ofensa digna de uma bela punição. Afinal, Lucien não é como a maioria dos homens e certamente não se deixará manipular por Elise. Decidido a controlar aquela tentação desafiadora, decidido a vê-la submeter-se, Lucien será capaz de resistir a essa tentação?

Cadastre-se e receba novidades e ofertas
1636 pessoas visitaram
Publicado em 14/01/2014
Deixe seu comentário com o Facebook
Deixe um comentário

EDITORAS & PARCEIROS

Copyright © 2016 Livros&Citações. Todos os direitos reservados
Notícias, resenhas e indicações de livros!