Autor: Leonardo Alkmim
Editora: Geração Editorial
Páginas: 432
Classificação:
3/5 estrelas

Se você está em busca de um livro de leitura fácil, para ler de uma tacada em um final de semana qualquer e sem tantas reviravoltas, já te aviso que Paralelos provavelmente não é o ideal para você. Com seu enredo denso, o livro é algo completamente novo e surpreendente.

A história girá em torno de Alexandre e Vitor,  irmãos gêmeos que sofrem um acidente de ônibus. Infelizmente, um deles chega a falecer, Alexandre, entretanto pela ordem natural do universo quem deveria ter partido para uma melhor seria Vitor e esse é o pontapé inicial para a grande trama que se estenderá nas próximas páginas. Aliás, por mais que esse ocorrido não seja um spoiler, afinal constava na sinopse o falecimento de um dos irmãos, é algo que me atrapalhou bastante na leitura, pois iniciar o livro já sabendo de antemão metade da obra não é algo que posso classificar como positivo, principalmente porque o enredo é praticamente só isso, é como se o autor desse de mão beijada toda sua história. Mas, claro, há outros pontos que instigam o leitor a ir adiante.

Mesmo a trama sendo um tanto complicada — nos deparamos com termos envolvendo física, química e até biologia –, com tantas explicações cientificas que é difícil vez ou outra não travar na leitura e cansar um pouco, é inegável quão maravilhosa é a escrita de Leonardo Alkmim, é incrível. O autor consegue driblar tantas explicações com pitadas de ironia ou surpreendendo com sua imensa criatividade, e pode apostar que isso ele tem de sobra.

A obra é divida em três partes: a primeira introduz o problema e explica os personagens, a segunda tem como objetivo explicar essa nova mitologia e aprofundar na solução do problema e na terceira parte a solução do problema e o desfecho.

A forma como os personagens vão sendo adicionados a história e ganhando vida é um tanto diferente. Para isso, o autor decidiu dedicar capítulos para alguns, ou seja, um capítulo para o personagem X, o próximo era para o Y e o próximo para o personagem Z. Então, se você se identificar com algum personagem, somente a cada três capítulos você volta  a sentir maior exclusividade no mesmo, o que dá aquela sensação de  “só mais um capítulo” que acaba com você lendo vários.

O personagem principal, Alexandre, é o que mais me agradou. Ele tem um jeito muito peculiar de enfrentar as situações, sem contar a ironia constante nas suas falas e seu jeito atrapalhado de ser. Um típico bobo adolescente.

Também preciso destacar sobre a menção de Deus e anjos na sinopse. O que encontrei realmente são criaturas que não se encaixam tanto com a forma como conhecemos esses seres, e sinceramente prefiro chamar, assim como a maioria da trama, de paralelos.Se você crê ou não em Deus, isso não faz diferença aqui.

Em suma, mesmo a obra me agradando desde o início, não só por sua capa maravilhosa, ótima diagramação e sinopse atraente, algo mais me fez criar expectativas, porém não crie. Se eu tivesse lido de maneira mais despretensiosa com certeza não teria me frustado ao desfecho. Não me entenda mal, não estou dizendo que não é uma leitura válida, porém não vá esperando algo espetacular, especialmente por seu final.

Paralelos é um livro peculiar e, certas vezes, surpreendente. O autor dirigiu grande parte da obra de forma inteligente e sagaz, porém o final mostrou-se previsível, quebrando aquele ritmo de surpresas e deixando um gosto meio amargo após virar a última página.

Cadastre-se e receba novidades e ofertas
2238 pessoas visitaram
Publicado em 04/12/2013
Deixe seu comentário com o Facebook
Deixe um comentário

EDITORAS & PARCEIROS

Copyright © 2016 Livros&Citações. Todos os direitos reservados
Notícias, resenhas e indicações de livros!