Autora: Lucinda Riley
Editora: Novo Conceito
Páginas:
528
Classificação:
 5/5 estrelas

A Garota do Penhasco é a mais nova obra de Lucinda Riley onde podemos encontrar toda fórmula mágica utilizada por ela em A casa das Orquídeas (o único livro que havia lido dela até o momento). Lucinda nos mostrou que o passado tem sim uma grande força sobre o presente, mas quem melhor do que uma criança para quebrar todas essas péssimas memórias e trazer a felicidade a todos os envolvidos?

Todos não procuramos e almejamos a magia do amor na maior parte da nossa vida?

Grania Ryan está profundamente magoada depois de ter perdido seu bebê. Por isso, decide deixar o “marido” Matt em Nova Iorque e voltar à casa dos pais na Irlanda. Depois de passar alguns dias lá, Grania vê uma garota no penhasco e fica preocupada por ter a impressão de que ela irá acabar caindo. Após isso, as vidas de Grania e Aurora se conectam de uma forma inimaginável. Kathleen não quer de forma alguma que sua filha, Grania, tenha qualquer envolvimento com a família Lisle. Mas ela percebe que a filha não mudará de ideia até ela contar o motivo de ter tantas mágoas dessa família.

E, nossa! Que história! Bom, não irei contar o motivo, porque se eu o fizer obviamente irei tirar a graça do livro. Enquanto isso, Matt não consegue entender o porquê sua “esposa” o deixou e está sem esperança alguma em sua vida até que sua melhor amiga de infância, Charley, decide morar com ele até o seu apartamento ficar pronto. Aparentemente, Charley não tem segundas intenções, mas o que se pode esperar de uma ex-namorada que ainda é sua melhor amiga? Na Irlanda, Grania vê sua vida tomando um rumo que não esperava que fosse possível: será que ela realmente tomou a decisão certa?

Como falei no começo da resenha, o único livro que eu conhecia da autora era A Casa das Orquídeas e, por isso, já esperava um livro com drama, história do passando se mesclando a do presente e um romance de fundo. Estava errada? Não. Porém, isso não significa que não é uma boa história, ao contrário disso, é E-X-C-E-L-E-N-T-E. Acho que todos aqui sabem como são aqueles livros que você lê e sente o seu coração se quebrando em pedacinhos? Então você já sabe como será a leitura de A Garota do Penhasco.

Estou começando a entender como a dor nos dá força e sabedoria e faz parte da vida, assim como a felicidade. Tudo tem seu equilíbrio natural, e como saberíamos que somos felizes se não passássemos por algumas tristezas de vez em quando? Ou nos sentíssemos saudáveis se nunca ficássemos doentes?

Senti tantas coisas ao lê-lo… Com um grande número de personagens é difícil destacar todos que achei interessantes, mas tem duas em especial que não posso deixar de comentar: Anna é uma garota que me apaixonei primeiramente, mas que com o desenrolar do enredo, eu fiquei com tanta raiva que fiquei com vontade de entrar no livro e dar uma chacoalhada nela. Como é possível você ter uma mãe que faz tudo por você e depois disso você simplesmente deixá-la de lado? Mas de quem eu gostei muito foi de Aurora. Aurora Devonshi é uma garotinha muito forte que conseguiu sobreviver a todos os problemas de sua família e, que, além disso, tudo trouxe um novo significado à vida de muitos. Amei os capítulos narrados por ela e que ela realmente conversa conosco, os leitores. Como não se apaixonar por ela?

Às vezes sentia certa inquietação pelo rumo que as coisas estavam tomando, mas no fim tudo valeu a pena. Lucinda Riley tem uma narrativa tocante e emocionante. O livro pode ter mil páginas que ainda assim será uma leitura rápida por sua narrativa ser tão envolvente. Por um mundo onde possamos ter mais livros de Lucinda Riley onde encontramos o verdadeiro sentido da vida.

Cadastre-se e receba novidades e ofertas
2637 pessoas visitaram
Publicado em 02/12/2013
Deixe seu comentário com o Facebook
Deixe um comentário

EDITORAS & PARCEIROS

Copyright © 2016 Livros&Citações. Todos os direitos reservados
Notícias, resenhas e indicações de livros!