Autora: S.L. Scott
Editora: S.L. Scott
Páginas: 230

Essa é uma resenha dupla. Em azul, as opiniões de Gabrielle e em preto a de Gabriela.

Às vezes, depois de terminar um livro, fico sem entender o motivo do título do mesmo. O porquê atribuído determinado título à obra. Mas em Naturally, Charlie o título se completa perfeitamente com a história e os personagens. Para que tantas complicações? Se uma história tão simples, tão natural, pode ser tão… perfeita?

Eu gosto desses jogos que jogamos, esses que envolvem nossas cabeças e nossos corações.

Finalmente, finalmente e finalmente (ufa!) um new adult escrito para caber no coração do leitor de uma forma leve, sem forçar os preceitos já conhecidos do gênero. Sim, Naturally, Charlie é apimentado e tem um romance que toda mulher pediu a Deus, mas, como bem diz seu título, é uma história desenvolvida de forma natural. E, ah!, eu amei!

Como não amar? Charlotte Barrow, Charlie, acaba de passar por uma experiência traumática em sua vida e ainda não conseguiu superá-la. Ela era apaixonada por Jim, seu noivo, até pegar ele com outra na cama deles! Foi nada menos que chocante e isso partiu o coração dela. Após seis meses de tristeza profunda, Charlie recebe uma notícia: seu ex-noivo faleceu. Charlie simplesmente não sabe como reagir a isso, logo depois de ter o coração partido descobrir que ele havia partido definitivamente. Ela nunca saberia a verdade do que realmente aconteceu entre os dois.

Charles Adams, Charlie, é um escritor que está cansado da vida de festas e de dinheiro desperdiçado. Ele quer uma vida estável com uma pessoa que ame. Tudo está prestes a mudar quando ele encontra Charlie, desde o primeiro olhar ele já sente algo diferente. Porém, quem vai dar em cima dele é a melhor amiga dela, Rachel. E como Charlie acredita no destino, dá uma pequena chance a Rachel. Mas, logo ambos decidem serem apenas amigos e Charlie decide se aproximar de Charlie Barrow. É incrível a sensação de que a conhece há anos.

Nesse livro, encontramos dois  Charlies, o que pode ser confuso no início, mas não é. E Charlie B, a Charlotte, conseguiu o que toda mulher traída quer: o cara que cometeu o ato agora está morto, mas desejar uma coisa e vê-la acontecer não é algo tão bom assim, e nossa Charlie também não é tão amargurada quanto a maioria das mulheres em uma situação similar. Após esse trauma, ela acredita querer distância de relacionamentos, até outro Charlie aparecer em sua vida. Charlie A, o Charles, é escritor e quando se depara com Charlotte sente uma conexão imediata, mas por razões óbvias eles escolhem que uma amizade seria o melhor para eles, pelo menos inicialmente.

Eu quero dizer que eu me apaixonei a primeira vista. Essa seria a versão romântica, mas não é a verdade. Eu me apaixonei pela mulher que se tornaria meu sol, meu farol, minha bússola, meu tudo quando eu sentei perto dela em um funeral e vi a profundeza da tristeza e a verdadeira beleza pela primeira vez.

E, com o desenrolar da história, você até percebe que o receio tem razão de existir. Por não querer perdê-lo ou estragar o acordo deles, Charlie reprime seus sentimentos. Com ele, ela esquece todos os problemas que a estavam assolando. Mas até quando ela vai conseguir aguentar? E Charlie Adams quer muito mais do que amizade, mas ele irá esperar o tempo que for necessário até sua garota perceber que ela o quer também. Ele é impaciente, mas sabe que valerá a pena.

Lenga lenga é algo que eu não tolero muito, muito menos em livro, já basta minha vida pessoal, e esse era exatamente meu medo no livro de S.L. Scott porque eu queria ver acontecer, e até acontece, mas a autora abordou o romance dos Charlies de uma forma tão, mais tão gostosa, que é difícil resistir.

Antes de mostrar a paixão, eu conferi uma amizade que teve que lidar com tristezas e mais tristezas, um precisou apoiar ao outro para entender o que é verdadeiro amor antes de lutar por isso, e mesmo em alguns trechos eu considerar o livro um tanto água com açúcar, não no sentido de ser bobo, mas daqueles perfeitinhos, que depois de alguns meses vou reler e pensar “ah, como eu queria um desses,” — e quem não quer, não é mesmo? — foi o lado maduro da história que me conquistou.

Também não suporto enrolação, quando leio livros em que os personagens ficam guardando os sentimentos, por achar que vai dar errado, ou que a pessoa vai dar um fora e etc. eu fico um tanto impaciente. No entanto, em Naturally, Charlie essa história de esperar, ser paciente, serem apenas amigos, se encaixou perfeitamente, pois foi assim que eles se apaixonaram, foi assim que se conheceram melhor. Foi como um quebra cabeça que vai se encaixando. E acredito que seja o ponto que mais se destaca nesse enredo.

Eu a beijei, expondo meu passado, dando a ela meu presente, e oferecendo um futuro que poderíamos compartilhar juntos – um beijo que abrange mais do que uma vida. Um beijo que disse a ela que ela é meu futuro e mais um dia.

S.L. Scott, com uma narrativa encantadora, alternou os capítulos entre ambos os Charlies. O que deixou muito mais fácil de entender a história, os sentimentos de ambos os personagens. Alguns personagens secundários também me agradaram muito, como Rachel que faz o papel de cupido rs, uma amiga que todas temos. E, também, da vizinha idosa de Charlie Adams, Veronica. Ela mostrou a ambos o que eles queriam e os fizeram enxergar a verdade que somente ela não conseguia ver. Enfim, um new adult adorável, onde podemos ver o amor na sua forma mais clara e pura. E, o mais interessante, ele acontecendo da forma mais natural possível. Além de ficar babando assim como nós ficamos, esperando um Charlie desse na nossa pobre vida.

Naturally, Charlie, por incrível que pareça, é uma história que é possível ver acontecendo na vida real, talvez não comigo (quem dera!), mas os personagens foram construídos de tal forma que você se encontra comparando-os com alguém e torcendo por eles. É uma história agradável e bonita, ideal para os viciados em new adults, mas também para aqueles outros leitores que fogem do gênero por ser exagerado demais e cheio de draminhas. Nesse livro, eles vão encontrar algo diferente, algo divertido e simples, como a maioria dos grandes amores deveriam ser. 

A agência literária Bookcase está negociando os direitos do livro para o Brasil.

Cadastre-se e receba novidades e ofertas
8786 pessoas visitaram
Publicado em 05/11/2013
Deixe seu comentário com o Facebook
Comentários
  1. Confesso que fui convencida só pelas citações, lindas demaaais. Mas, agora falando sério, não conhecia o livro e gostei muito de tudo que vocês disseram.
    Logo fiquei com medo de enrolação (que como vocês, não curto muito) e fiquei muito feliz em saber que ela não é chata e maçante no livro. Vocês me convenceram, vou ler o mais cedo possível!
    Beijos, http://rehabliteraria.blogspot.com.br/

  2. DanisohDani disse:

    Eu vi e compartilhei no instagram uma montagem com o último trecho que vocês destacaram. Achei lindo demaaaaaaaais! Super pensei que era um poema e vim procurar.. e achei a resenha de vocês!! Agora preciso ler esse livro!! E vou namorar ainda mais o trecho, agora completo, por aqui!! hehehe

    Gabriela: também sou fissurada em VA!! Doida para fissurar todo mundo e o filme fazer mega sucesso para ter os outros!!! rsrs

    bjos

  3. Alice disse:

    Sabem de algum site para comprar este livro?

  4. Alice disse:

    alguem sabe me informar um site para que eu possa comprar este livro ?

    1. Gabrielle disse:

      Amazon tem em inglês, Alice

Deixe um comentário

EDITORAS & PARCEIROS

Copyright © 2016 Livros&Citações. Todos os direitos reservados
Notícias, resenhas e indicações de livros!