Ruínas do Tempo, de Jess Walter

Ano de 1962. Em um trecho rochoso do litoral italiano, um jovem dono de hotel olha para as águas incandescentes do mar da Ligúria e vê uma aparição: uma bela mulher se aproximando em um barco. Ele então descobre que se trata de uma atriz, uma estrela americana, e que ela está morrendo.

A história dá um salto e recomeça nos dias atuais, a meio mundo de distância, quando um idoso italiano aparece em um estúdio de cinema procurando pela misteriosa mulher que ele viu pela última vez em seu hotel décadas atrás.

Gloriosamente inventivo e sempre surpreendente, Ruínas do tempo é uma história de pessoas imperfeitas mas fascinantes, navegando nas costas rochosas da vida, enquanto se apegam a sonhos improváveis.

Histórias de Uma Patinadora Nem Um Pouco Graciosa  (Diário de Uma Garota Nada Popular #4), de Rachel Renée Russell

Nikki Maxwell não ficou totalmente surpresa ao descobrir que sua paixão, Brandon, trabalha como voluntário em um abrigo de animais, pois ele é tão doce que seria mesmo capaz de ajudar aqueles filhotinhos adoráveis! Mas Brandon diz a ela que o abrigo está correndo o risco de fechar, e Nikki sabe que não pode deixar isso acontecer – especialmente após descobrir um segredo chocante sobre Brandon. Então Nikki e suas amigas, Chloe e Zoey, entram numa competição de patinação no gelo para ajudar a levantar recursos para o abrigo, mas Mackenzie, para variar, vai se intrometer e causar problemas no intuito de se passar por solucionadora de todos os problemas. E Nikki terá que pensar em ideias mais criativas desta vez para não deixar isso acontecer de jeito nenhum!

O Mundo Amarelo, de Albert Espinosa

Aos treze anos, Albert Espinosa foi diagnosticado com câncer, algo que mudou sua vida para sempre. Aos catorze, sua perna esquerda teve de ser amputada. Aos dezesseis, o pulmão esquerdo foi removido, e ele tinha dezoito quando parte de seu fígado foi retirado. Quando finalmente disseram que ele estava curado, depois de dez anos entrando e saindo de hospitais, Albert percebeu que havia aprendido uma lição com a doença: triste não é morrer, mas não saber viver.

Albert Espinosa nunca quis escrever um livro sobre o câncer. Em vez disso, ele escreveu um livro sobre o mundo amarelo. O que é o mundo amarelo? É um mundo da cor do sol, que está ao alcance de todos. É o nome de uma forma de viver, de ver a vida, de se nutrir com as lições aprendidas nos bons momentos, assim como nos maus. É o mundo que faz você feliz. O mundo amarelo não tem regras, ele é feito de descobertas.

O Chamado do Anjo, de Guillaume Musso

Nova York, Aeroporto JFK. Na sala de embarque lotada, um homem e uma mulher se esbarram, espalhando suas coisas pelo chão. Após uma discussão banal, cada um segue seu caminho.

Madeline e Jonathan nunca haviam se visto e jamais deveriam voltar a se encontrar. Porém, ao recolher seus pertences, trocaram por descuido os celulares. Quando percebem o engano, já estão a dez mil quilômetros um do outro — ela é florista em Paris, ele tem um restaurante em San Francisco. Não demora muito para ambos cederem à curiosidade, explorando o conteúdo dos respectivos aparelhos. Uma dupla indiscrição, que leva a uma revelação inesperada: suas vidas estão ligadas por um segredo que eles julgavam enterrado para sempre… O chamado do anjo é uma trama magistralmente construída, que passeia entre o romance e o suspense, com um final de tirar o fôlego.

Cadastre-se e receba novidades e ofertas
1447 pessoas visitaram
Publicado em 14/08/2013
Deixe seu comentário com o Facebook
Comentários
  1. Dalila Souza disse:

    Não consigo imaginar um motivo para que O Chamado do Anjo seja ruim.
    Tem São Francisco e tem Paris. Quero mais o quê?

  2. Nath disse:

    quero Ruínas do tempo e O chamado do Anjo.

    acho q serão dois livros fantásticos.
    já conheço o Guillaume Musso e gostei bastante

Deixe um comentário

EDITORAS & PARCEIROS

Copyright © 2016 Livros&Citações. Todos os direitos reservados
Notícias, resenhas e indicações de livros!