Autora: Grace McCleen
Editora: Paralela
Páginas: 312
Classificação: 3/5 estrelas

A realidade de Judith não é muito boa, atormentada por seus colegas e criada com um pai que, com a morte da esposa, se tornou tão rígido que não percebe os problemas da filha. Assim, Judith encontra na Terra Gloriosa um refúgio do mundo externo, então quando coisas começam a acontecer em benefício dela e por causa de sua fé, ela começa a experimentar uma melhora de vida. O problema começa quando os poderes recebidos não são usados como deveriam.

A Menina que Fazia Nevar é o primeiro livro de Grace McCleen e ela faz uma trabalho maravilhosos nele. Sua escrita é poética e faz você ler várias em poucos minutos, mas além disso ela explora de um jeito mais sutil uma realidade diferente da que vemos em filmes ou até em livros sobre o Estados Unidos, aqui vemos que as cidades não são tão perfeitas e que toda essa aura de tudo ser bom lá não é algo muito verdadeiro.

A protagonista foi uma personagem que me fisgou já no começo e me fez sentir muita pena de tudo que ela passava. Uma criança que acaba se privando de uma vida normal por causa do seu pai, que cego pela morte da mulher cria um abismo emocional entre ele a Judith. Assim, é triste ver o quanto ela deseja ter um relacionamento mais afetuoso com ele e começa a achar que ele a odeia.

Além disso, o bullying é uma algo bem presente na vida dela, já que por ser diferente acaba sendo o alvo das brincadeiras más de seus colegas, liderados por Neil. Achei muito interessante o modo como a autora retratou essa questão, como muitas vezes algumas pessoas são omissas ao acontecimentos, como o professor da Judith, ou a vergonha em que uma criança tem em contar esse tipo de problema, principalmente porque ela acha o que o modo como os adultos tratam essa questão não é algo que iria resolver.

Então é um alívio com que o passar do tempo a situação acabe melhorando, com o surgimento de uma nova professora que começa a trazer mudanças na vida de Judith na escola. Assim vemos a menina crescer, perceber mais do mundo e que ás vezes nem tudo é como ela imaginava. Outro ponto que gostei foi a abordagem da greve que aconteceu no livro, isso trouxe uma melhor agilidade a trama e foi possível um pouco mais do pai de Judith, que me traz sentimentos contraditórios, primeiro porque sinto pena dele, perder sua mulher e ter que cuidar de uma criança não deve ser fácil, entretanto o modo como ele trata Judith já vira a balança para um lado mais negativo.

Os personagens secundários são um caso a parte, eu gostei deles, mas como quase não tiveram participações, ou pelo menos não suficiente para que me apegasse a eles, então eu não me importei muito com eles. Acredito que quem mais se destacou mesmo foi a nova professora, que traz uma reforma na vida de nossa protagonista, então é impossível não querer saber mais sobre a Senhora Pew.

Mas nem tudo são flores no livro. Entre as últimas páginas, senti que a autora se perdeu um pouco a ponto de deixar o ritmo um tanto enfadonho e cansativo. No geral, foi um livro que gostei, que faz refletir sem deixar de lado uma trama gostosa.

Cadastre-se e receba novidades e ofertas
3144 pessoas visitaram
Publicado em 19/07/2013
Deixe seu comentário com o Facebook
Comentários
  1. Oliveira disse:

    Gosto de livros que traz uma carga emocional intensa. Que trata de assuntos polêmicos psicológicos. Ela deve sofrer bastante.

  2. Vanilda Procopio disse:

    É a primeira resenha q

  3. Vanilda Procopio disse:

    É a primeira resenha que leio do livro e parece que é uma história com muito sentimento e que trata de assuntos bem delicados. Pena essa “arrastada” que você diz que a autora deu no final. Poderia terminar também de form ágil, mas pelo que você comentou, não interferiu tanto na qualidade da história.

  4. Yasmin disse:

    Eu já havia visto esse livro,mas nunca parei pra ler nada sobre ele.Confesso que gostei da história,fiquei com pena da Judith,mas não me intrigou a ponto de querer ler o livro.Achei que embora a história seja importante,por tratar do bullyng,não achei nada de diferente ou novo no enredo. Bjos 🙂

  5. Taís disse:

    esse parece de cara ser um ótimo livro, vou dar uma conferida dps

  6. Rafaela S. disse:

    Lendo a sinopse eu confesso que não fiquei assim muito interessada não. Mas com a resenha eu pude perceber que ele é bem emocionante, e até gostei da história. Acho que vou ter minha opinião mesmo quando ler. hahah
    Beijos

  7. Gabriella Alvim disse:

    Já tinha visto algumas resenhas do livro e gostei bastante do enredo e tal, mas algumas resenhas me decepcionaram e me fizeram ficar com um pé atrás com o livro. Sua resenha só me confirmou que eu não apreciaria muito a leitura

  8. Naty C disse:

    Apesar de já ter lido várias resenhas positivas e conhecer pessoas que gostaram eu não consegui me animar para ler esse livro. Pelo enredo parece o tipo de livro que eu largaria na metade.

  9. Isabelle disse:

    mais uma resenha positiva desse livro, acho que preciso ler ele mesmo!!

  10. Isabelle disse:

    enredo parece super legal, só receosa com essa tal “perdida” nas ultimas paginas

  11. Nattacha disse:

    Achei o enredo super legal o do livro, porque quando vi a sinopse estava esperando algo beeeem diferente xD fiquei contente em ver que a trama é algo bem profundo assim, assuntos bem delicados, que por vezes é a realidade das pessaos, pena claro a autora divagar meio demais no fim da leitura.
    É um livro que eu com certeza vou ler um dia, só para entrar nesse mundo ai em que um problema trouxe muitas neuras para a protagonista, e espero gostar dela como você!
    Pode não ser tudo mil maravilhas, mas com certeza a autora acertou e cheio na sua estreia!
    :*

Deixe um comentário

EDITORAS & PARCEIROS

Copyright © 2016 Livros&Citações. Todos os direitos reservados
Notícias, resenhas e indicações de livros!