como dizer adeus em robo

Autora: Natalie Standiford
Editora: Galera Record
Páginas:
344 
Classificação:
5/5 estrelas

Como Dizer Adeus em Robô é um livro que começa com uma narrativa meio que envolvendo nada com nada, confusa, a palavra doido não é suficiente para definir esse livro em seus primeiros capítulos, mas triste, lindo, de fazer partir o coração, definem bem o livro ao todo.

Não quero dividi-la com ninguém.

 O livro é narrado em primeira pessoa por Bea, uma garota robô. Robô?! Pois é, ela não literalmente é uma garota robô, mas em razão de consecutivas vezes sua mãe nomeá-la assim por suas atitudes frias e sua visão cínica da vida o apelido acabou pegando — pelo menos na mente de Bea, que apesar das aparências ficava sempre bem magoada quando era chamada por esse nome. E então temos Jonah, aka Garoto Fantasma. Tudo em Jonah é pálido, mas não é só por isso que ele é alvo de piadas envolvendo fantasmas, é que ele simplesmente parece não existir. Desde a morte de seu irmão gêmeo, ele respira, mas tenta não ser notado, não faz amizades, e pouco fala.

Quando Bea mais uma vez é transferida de escola, o alfabeto a coloca lado a lado com Jonah, e mesmo com as respostas curtas e grosseiras de Jonah, Bea percebe que ele quer e precisa de uma amiga. Com a vida na casa de ambos se tornando um caos, eles vão se apoiar um no outro para seguir em frente, enquanto um tipo diferente de amor cresce entre eles. Mas quando chegar a hora de dizer adeus, o coração de metal de Bea não será suficiente para impedir que sua vida fique em pedaços.

Esse livro, apesar de todos os seus defeitos, me abalou de tal forma que seria impossível não classificá-lo como cinco estrelas. Meu humor está péssimo desde que o finalizei, estou deprimida e chorosa, é uma história que deixa marcas em alguns leitores, eu inclusive.

Natalie Standiford abordou uma história envolvendo amor, egoísmo, sacrifício e laços familiares. O mais engraçado é que foi uma narrativa pouco descritiva, o que não impediu que eu formasse minha própria imagem dos personagens, e mesmo com os protagonistas estarem prestes a concluir o Ensino Médio pouco do drama se passou lá, aliás a escola foi algo que empalideceu se compararmos a real provação, que estava no lar de Bea e Jonah.

“Dói, Bea. Dói Muito.”

“Eu sei. Mas não pode doer para sempre (…).”

“Pode doer para sempre. É disso que eu tenho medo.”

Mais uma vez é escrito um romance sobre amizade verdadeira que emociona, não chorar é impossível, e eu torço para que haja uma sequência envolvendo os protagonistas. Infelizmente a autora já informou que isso não acontecerá, mas isso não deve ser impedimento para você que está interessado em ler Como Dizer Adeus em Robô. Mesmo com a sensação agridoce que fiquei após a leitura, Standiford, de uma forma divertida e insana, ensina que ninguém pode escapar do sofrimento e mesmo uma pessoa aparentemente forte e calma por dentro pode estar gritando por ajuda e um pouco de atenção.

Cadastre-se e receba novidades e ofertas
4228 pessoas visitaram
Publicado em 25/06/2013
Deixe seu comentário com o Facebook
Comentários
  1. Mareska disse:

    Gostei bastante desse, mas não virou favorito… adorei o final, mas sei lá, enquanto lia, esperava me emocionar mais.

    1. Gabrielle disse:

      Eu esperava que a mãe dela morresse, Ma! Mas tirando isso o resto seguiu o caminho esperado rsrs

  2. Tati Munhoz disse:

    Ai, já tinha me interessado pela capa, ficado curiosa. E agora com essa resenha quero muito ler! *.*
    Parabéns! 🙂

    1. Gabrielle disse:

      obrigada, Tati!

  3. susane disse:

    Eu já tava desesperada por esse livro. Lendo agora sua resenha agora que minha loucura sobe de vez. Amei sua resenha (embora eu tenha ficado ansiando por mais coisas nela).

    Bj

  4. Hortência disse:

    Nossa, nunca imaginaria que o livro é tão, jurava que era outra vibe rs. Na verdade, essa capa foi desestimulante e nem cheguei a ler a sinopse.Agora, acho que tô em apegando nessa trama… rs achei fofo Bea e Jonah sofridos se reerguendo, se apoiando e se amando.
    bjs

  5. Mônica Oliveira disse:

    Nossa posso sofrer já ??? Nem imagina que o livro era tão forte e intenso assim..Só pela sua resenha já sofri..Acho que não terei coragem de ler esse livro por mais AMOR que vc sinta por ele..é triste e eu ODEIO lr livros tristes por mais maravilhosos que eles sejam..Ai genteee tô sofrendo aqui já com a resenha imagine eu lendo o livro todo ???

  6. Cristiane Silva disse:

    Doida pra ler esse livro, é bem legal. A trama parece ser tão fofa! Só amor com esse livro, muito bom!

  7. Naty C disse:

    Quando li a sinopse desse livro achei muito confuso. Essa é a primeira resenha que leio e fico feliz de finalmente entender o livro.
    E agora que sei a temática acho que não irei lê-lo, estou evitando livros deprimentes e esse é um exemplo disso.

  8. bianca guimaras disse:

    me intrigou esse livro, e tão como estamos vivendo agora,, esse é um tempo em as pessoas acreditam que um relacionamento so começa de verdade quando o face diz que a pessoa esta em um relacionamento, se não este não é valido realmente, riculo. muito perspicaz esse autor.

  9. paulino disse:

    Sempre que vejo esse livro tenho muita vontade de lê-lo,e depois de ver na sua resenha que o livro fala sobre essa amizade dos dois personagens que se apoiam um no outro para se ajudarem nos problemas familiares,bem no estilo de no limite da atração,eu espero que o livro tenha tão profundidade quanto o no limite da atração que é por sinal um dos melhores livros que li esse ano,só espero não ir com muitas expectativas e acabar decepcionado no final ;(

  10. Caramba, que barra essa desses dois. Ainda bem que podiam se apoiar e dar força pra cada um. Ainda bem que o livro pareceu ser ruim, mais no desenrolar da história ficou mais interessante.

  11. Gabriella Alvim disse:

    Nunca tinha visto nada sobre esse livro, parece ser bem legal. Adorei resenha, fique bem curiosa ^^

  12. Juliana Jesus disse:

    Eu quero muito ler esse livro, interessei-me assim que vi a capa e quando li a sinopse e a sua resenha adorei ainda mais! Preciso muito do livro mesmo ele sendo triste!

    Obs.: Quando li a o título nao esperava que fosse história.

  13. Nattacha disse:

    Oii Gabi, então já li esse livro, mas tenho que dizer que esse começo demorou a ir adiante sabe, teve uma hora que me peguei imaginando o que a mãe da Bea tinha que ela era tão estranha, e se ela ia morrer xD
    Mas voltando ao livro eu achei ele bem interessante a amizade que os personagens tinham, mas também achei o Jonah bastante estranho e meio possessivo sabe? De mais achei a amizade deles muiito fiel, claro que todos tem seus problemas, e tal mais mostra como é importante isso, como podemos levar uma vida para achar alguém que nos compreenda que foi o caso do Jonah na escola né. E de verdade eu tive vontade de socar o pai dele por muiiitas vezes durante o livro!
    O livro não me emocionou tanto quanto você pelo que notei na sua resenha, mas sim, eu achei bem tocante, pricipalmente o final e me tirou umas lagrimas….
    Adorei sua resenha!
    Beijão :*

  14. Esse livro em particular já chamou minha atenção na capa depois nos diversos comentários positivos que li nessa blogosfera. A galera tem acertado nos livros que estão publicando esse ano e esse é com certeza mais uma prova de que a editora sabe o que faz. Parabéns pela resenha.

  15. Amanda Ishi disse:

    Estava meio em duvida com esse livro, mas após essa resenha estou morrendo de vontade ler!
    Beijoos

Deixe um comentário

EDITORAS & PARCEIROS

Copyright © 2016 Livros&Citações. Todos os direitos reservados
Notícias, resenhas e indicações de livros!