Autor: Eduardo Spohr
Editora: Verus
Páginas: 473
Classificação:  4.5/5 estrelas

Fantasia é um dos gêneros que mais gosto de ler, mas quando se trata do subgênero anjos isso muda de figura. Por que? Bem, existem centenas de religiões e outras milhares de especulações de como tudo começou, e aí um autor muito feliz escreve uma fantasia envolvendo anjos, e em dois capítulos explica basicamente como os anjos foram criados e para quê. O resultado? Um lixo.

Não, esse não é o caso dos livros de Spohr. Em Herdeiros de AtlântidaFilhos do Éden, o autor deu duro na pesquisa e o resultado foi algo bonito, que dá gosto de ler. Mesmo uma leitora chata como eu tenho que bater palmas para um trabalho desses. Já li vários livros envolvendo anjos, centenas, aliás, mas dá para contar nos dedos quantos eu realmente amei e recomendo. Três são de autores brasileiros e, como não poderia deixar de ser, Eduardo Spohr não só está entre eles como também está no topo.

Nós, anjos, e certamente os arcanjos, nunca compreenderíamos a energia terrena. Há sentimentos mais fortes que a dor e a perda, pelos quais vale a pena viver.

Filhos do Éden apresenta a guerra gerada com o conflito entre os arcanjos Miguel e Gabriel. Apesar de haver um armistício na Terra, a principal batalha ocorre lá, com alguns anjos em missão para impedir que as tropas de Miguel tombem o frágil equilíbrio a favor do Príncipe dos Anjos.

— Meu Deus! — As pernas de Hugo tremeram.

— Ele está descansando — rebateu o anjo. — Mas eu dou o recado.

A líder da missão é Kaira, uma ishim do fogo que desapareceu enquanto investigava uma suposta violação do tratado. Dois anjos, um querubim e um ofanim, agora devem encontrá-la e ajudar a finalizar a missão que foi imposta a ishim. Já não bastasse a carga dessa misteriosa missão, o que os anjos encontram é uma ishim habitando um avatar, um corpo humano, sem memória e com dificuldades de entender e usar seus poderes. Pior, os anjos caíram tanto que precisam da ajuda de um querubim exilado se quiserem ter uma chance de salvar Kaira e completar a missão.

Se o universo é uma sucessão de processos que se repetem, por que continuamos lutando?

Tudo bem, eu sei que vocês não entenderam esses nomes estranhos, eu explico! Ishim são os anjos que governam as forças elementais, ofanins são os anjos da guarda, e querubins são os anjos guerreiros. Percebem o quão diferentes esses personagens são, sem mencionar outros anjos e arcanjos secundários? E essas personalidades tão divergentes caíram como uma luva na trama. Enquanto eu, como leitora, torcia pelos anjos guerreiros, foi impossível não me emocionar com Levih, o ofanim, e Kaira/Rachel.

Um ponto que alguns podem achar cansativo são os trechos extremamente explicativos. Não foi meu caso, achei muito interessante como o autor decidiu desenvolver e abordar os conflitos angélicos. Se Eduardo Spohr, não sei por qual razão, decidisse não se prolongar tanto em suas explicações, podem ter certeza que a nota que eu daria a esse livro seria outra. Grande parte do charme desse livro está em como o autor desenrolou em pouco mais de quatrocentas páginas como o mundo foi criado,  como Deus resolveu deixar os Arcanjos como os governantes de sua obra e os humanos seus herdeiros. Com isso, foram colocados os pingos nos is, e o que fica em aberto é preenchido no final do livro, mais especificamente na Cronologia Celeste.

Não era uma guerra. Era um jogo.

Herdeiros de Atlântida é um jogo de xadrez muito bem escrito, onde o leitor sofre pelos peões, se apaixona pelas torres, e torce pela queda do Rei que está do outro lado do tabuleiro. Eu com certeza recomendo esse livro, mas seria um pecado dizer que ele possui um público ideal. Você gosta de ler? Então dá uma chance, é nacional, delicioso, e merece um pouco do seu tempo.

Cadastre-se e receba novidades e ofertas
6546 pessoas visitaram
Publicado em 30/03/2013
Deixe seu comentário com o Facebook
Comentários
  1. Eduardo Spohr disse:

    Oi, Gabrielle.

    Muitíssimo obrigado pela resenha. Fiquei super feliz ao ler ela e muito emocionado.

    Imagino que vc já deva saber, mas o segundo livro da série Filhos do Éden (chamado de “Anjos da Morte”) sai agora em abril. Fico na torcida para que curta tb essa nova aventura 🙂

    Qualquer coisa estou por aqui. Vc me encontra tb pela web (Twitter, FB e no blog).

    Bjos,
    Eduardo

    1. Gabrielle disse:

      Muito obrigada por ler a resenha, Eduardo! Eu estou esperando ansiosa a sequência, nem li o trecho que está no final do primeiro livro para não ficar ainda mais ansiosa, mas acho que Anjos da Morte tem tudo para ser ainda melhor, eu ADORO o primeiro anjo, mal vejo a hora de ele tomar mais destaque.

      Bjs

  2. Rafaela S. disse:

    Engraçado é eu dizer que comprei ABdA em Março deste ano e que ainda não li. Um crime, não? Mas vou ler. Acho que adio a leitura por causa do tamanho – coisa que nunca antes me assombrou.
    Adorei a resenha de FdE e me deu mais vontade de conhecer logo a obra deste autor que parece ser muito talentoso.

  3. Honestamente, só li A Batalha do Apocalipse do Spohr, mas já posso dizer que ele é brilhante. A literatura brasileira carece de autores assim. Ele é tão detalhista que você realmente acredita no que ele escreve. Mas enfim, estou querendo ler Filhos do Eden, mas ainda não pude. Tenho certeza de que vale a pena. É a 1ª resenha que leio sobre e gostei de saber que é indicada com gosto. Realmente, temos histórias de anjos tão estúpidas por aí…rs, eu até gosto, mas só pelos romances. Dá gosto de ler quando o tema é bem trabalhado e estudado, né? bjs

    ssentrelivros.blogspot.com.br

  4. Nossa, uma amiga minha já leu esse livro e adorou!
    Eu gostaria muito de ler. Não li muita coisa sobre anjos, e nem é uma dos meus temas preferidos, mas ainda assim acho que adoraria a leitura de Filhos de Éden. Parabéns ao Eduardo por mostrar como pode ser ótima a literatura do nosso país!

    Beijos!

  5. Talita Colonheze disse:

    Tudo bem que é uma série que muita gente gosta, mas eu não tenho o menor interesse em lê-la. Não é meu tipo de leitura…

  6. Eu tb não sou mt fã de livros de anjo, mas tenho uma amiga que gosta tanto dessa série que eu até penso em ler (um dia)…

    http://maisumapaginalivros.blogspot.com.br/
    Mais Uma Página

  7. Mariana Bricio disse:

    Eu já li tantos, mas tantos livros de anjos que eu enjoei. Estou dando um tempo, porque ano passado eu praticamente só comprava livros de anjos, demônios e etc, precisei trocar de disco né

  8. Viviane dos Anjos disse:

    Eu adoro livros com temática sobrenatural, Herdeiros de Atlântida — Filhos do Éden pela resenha parece ser uma boa opção de leitura, ainda mais sendo algo escrito por um autor brasileiro, já faz um tempinho que alguém me indicou A Batalha do Apocalipse, mas infelizmente ainda não o li por falta de oportunidade.Eu acho que vou pedir no próximo amigo oculto esse livro.

  9. WANNESSA QUEIROS disse:

    Parabéns pela divulgação de Autores nacionais!
    Nossa também gosto de ler livros com o tema fantasia,realmente concordo que o Autor deve ter realizado uma pesquisa fantástica,e a questão da guerra realmente promete conduzir muito bem a trama,sem deixar pontas soltas.

  10. Bruna Costenaro disse:

    Sabe que tb não curto esse lance de explicar os anjos? ainda mais qd vem com coisas religiosas cristãs, blagh =P
    O livro parece um jogo de xadrez então deve valer a leitura mesmo, pq um bom jogo de xadrez é para poucos rs, eu nem me lembro como joga por sinal =/

    Miquilis

  11. ana caroline basto fonseca disse:

    todos falam q os livros dela são legais mas eu ñ li nem a batalha do apocalipse.

  12. Cinthia Granizo disse:

    Anjos é um tema que gosto bastante.. inclusive estou um pouco saturada com a idéia de anjos que se apaixonam por humanos e tem que decidir o que fazer….
    mas me parece que este livro é diferente … tá a um livro para adicionar no skoob… Parece diferente das idéias que houveram nos anos anteriores… 🙂

  13. Mônica Oliveira disse:

    Então eu não curto muito esse tipo de leitura..mais achei divina sua resenha …Não sou muito daquelas que lêem livros que descrevem demais e apesar de AMAR anjos (vide Patch) eu meio que nunca me interessei por esse livro..essa história..até pq são coisas totalmente diferentes.

  14. Thais Fogaça disse:

    Já li Batalha do Apocalipse e adorei, mas com tanto livro para ler e falta de money acaba deixando um monte de livros para depois e Filhos do Éden e um! Mas em breve eu e ele nós encontramos rsrs!

  15. Bia Medeiros disse:

    Pelo visto esse livro é uma série, todos aí comentando sobre a tal “Batalha do Apocalipse” rs De qualquer modo, não me interessei muito pela história. A capa me lembrou os livros de Percy Jackson.

  16. Sarah Souza disse:

    Parece ser um livro muito bom. Mas eu fico com um pouco de receio porque os livros que eu li com anjos eu não gostei muito, apesar desse livro parecer ser interessante. Vou ver o que outras pessoas falam, quem sabe eu leio ele.

  17. Rafael Macedo da Costa disse:

    Nunca julguem um livro pela capa e a batalha do apocalipse e os demais depois dele sao classicos excelentes livros muito bem escrito ou seja o autor mandou muito bem parabens Eduardo Spohr.

    1. Gabrielle disse:

      mas a capa é maravilhosa também ahahahah

Deixe um comentário

EDITORAS & PARCEIROS

Copyright © 2016 Livros&Citações. Todos os direitos reservados
Notícias, resenhas e indicações de livros!