Autora: Francilangela Clarindo
Editora: Editora Multifoco
Páginas: 50
Classificação: 2/5  estrelas

É realmente difícil começar essa resenha, tento ver um jeito de passar o que eu senti ao ler o livro e depois ao ler as resenhas escritas sobre ele sem ofender ninguém. Difícil, caros colegas, bem difícil. Vejam bem, cada um tem sua opinião, e quando me falaram desse livro, o que mais me chamou a atenção é que me disseram que ele é engraçado. Bem, eu não achei, não dei risada. Claro, abri sorrisos enquanto lia-o em razão do sentimento de nostalgia mas mesmo agora eu me sinto enganada. Não pela autora, mas por quem me passou uma imagem errada do livro escrito por ela. Deixando o desabafo de lado, vamos à resenha.

Socorro, Meu Príncipe Virou Sapo é um conto escrito por Francilangela Clarindo onde a protagonista, Winda,  com quarenta anos, encontra um bilhete que escreveu quando era uma adolescente em seus quinze. Nele, Winda escreveu o sonho de um dia encontrar seu príncipe e a partir desse bilhete é que nossa protagonista já adulta começa a discorrer sobre sua infância e adolescência, e, claro, se encontrou o tão sonhado príncipe.

Bons tempos aqueles que não voltam mais

Em suas cinquenta páginas, eu já comecei o livro pensando “oh meu deus, já estou no final,” mas foi uma leitura gostosa, de certo modo, me fez relembrar a infância e até me sentir um pouco velha quando a protagonista menciona jogos de sua época, principalmente quando fala sobre o  jogo céu e inferno, eu adorava brincar disso. Para uma criança dos dias de hoje, céu é ser seguido no twitter pela sua celebridade favorita e inferno é a internet cair he-he. Voltando ao livro, creio que o objetivo de Clarindo foi refletir sobre o que idealizamos versus a realidade, e há até uma certa pontinha de auto-ajuda em Socorro, Meu Príncipe Virou Sapo. Como bem mencionou a autora, conselho nunca é demais porém o mesmo não me agradou muito já que o livro é curtíssimo e o conselho se estendeu bastante.

Cadastre-se e receba novidades e ofertas
3536 pessoas visitaram
Publicado em 14/07/2012
Deixe seu comentário com o Facebook
Comentários
  1. O livro começa de modo intrigante e parece ser daquele tipo que vc lê até o final e nem vê, eu li recentemente um bem pequeno também e gosto de livros assim, quando a proposta do autor é adequada ao formato.

  2. Um bom livro pra refletir, pena que é fininho :S

  3. Amy disse:

    Ainda não li o livro, provavelmente não vou.
    Eu fico muito saudosista quando leio sobre infância… :xxx muito saudosista.
    bons tempos de disney cruj e o mundo de beeeeekmannnnnnnnn, pena que o povo agora não sabe o que isso.
    pronto, tô saudosista de novoo, valeu gabssssss
    beijos

  4. Maurício Dias disse:

    Me lembro muito historias de fadas da Disney, amei a resenha!!!

  5. Me interessei pelo titulo

  6. Adriana Lúcia de Abreu disse:

    vou ler,adoro contos de fada..

  7. Adriana Lúcia de Abreu disse:

    Gostei vou ler, adoro contos de fada..

    1. Gabrielle disse:

      Na verdade não é conto de fadas, Dri. É mais uma reflexão…

  8. Selma disse:

    Li várias resenhas sobre o livro. Eu achei bacana até, apesar de não gostar muito de livros curtos, haha, odeio aquele gosto de quero mais.

    1. Gabrielle disse:

      É bem pequetuxo mesmo, Selma. Mas tem quem goste desse pequetuxo em especial

  9. Sara disse:

    bom, gosto de livros assim! pena que é pequeno.. gosto mesmo é de grandes livros, onde eu possa levar bastante tempo lendo!

  10. Cris Aragão disse:

    Para escrever uma boa história nem sempre é preciso preencher 500 páginas, contos e crônicas podem ser bem profundos em apenas poucas páginas. Esse parece ser um livro fofo e divertido para ser lido em uma sentada.

    1. Gabrielle disse:

      Eu gosto de contos, Cris. E concordo com você, tem livro de 500 paginas que nao vale a arvore que matou, infelizmente.

  11. Eits Gsbriele, sgora você me deixou intrigada de verdade… realmente li resenhas diferenciadas desse livro. Claro não tira o brilho do mesmo, mas quando leio uma resenha, espero que me dê um parâmetro real do que vou encontrar, embora casa visão seja pessoal.
    Quero muito ler para tirar a dúvida.
    cheirinhos
    Rudy

  12. Jessica disse:

    Não sou a maior fã desse tipo de livro (esses são os livros que eu prefiro pegar emprestado com as amigas), rs. Ele não me pareceu muito empolgante, e auto-ajuda ainda não é a minha praia (embora leia alguns quando a minha estante está sem um bom livro pra dar um ‘repeteco’).

  13. Bianca Maia disse:

    É, pela resenha, o livro é mto rápido de se ler. Nao gosto de livros curto, mas por que nao dár-lhe uma chance?…acho que vou ler!..bjOs

  14. Gabi, eu sinceramente não gosto de livros de páginas curtas, minha preferência é por livros com mais de 230 páginas, como leitora fanática devoro páginas em minutos e poucas páginas mal ocupam algumas horas… Não só por isso, mas como você mesma disse, curto… faltou algo. Minha pilha de desejados é enorme e minha pilha de livros também, então, não leria não.

  15. ruan disse:

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk muito engraçado vou ler tambem

  16. Driely Meira disse:

    Nunca tinha lido nada a respeito desse livro, mas confesso que quando vi o nome ri muito…a capa me interessou bastante, e quando li a sua resenha, que está ótima, fiquei ainda mais curiosa sobre o livro.
    bjs

  17. Cintia Tamires disse:

    Ameei!! vou ler com certeza!!

  18. O título parece ser legal, o q tbm acho legal é esse comparativo da nossa infância (pq tbm tenho 20 anos) e com a infância das crianças atualmente. Quando criança nunca imaginei q teria um celular com internet, tablet então estava mais para a terra do nunca e detalhe ate alguns anos atrás eramos crianças. Eis q me pergunto como deve está as pessoas com idade de nossos pais? Pq papai ja passou dos 50, e ele viveu na época q ainda se brincava na rua e a diversão da cidade era ir para uma missa e depois ir numa pracinha… O susto deve ser bem maior. Mas quanto a isso de amores antigos e atuais, sei ñ, acho q tá muito cara de sessão da tarde rsrsrrsrss Eu ñ aguento mais esses livros q só falam em romance, parece q a pessoa só é feliz se tiver apaixonada. Eu hein! O título é divo, mas acho q o livro em si ñ me convenceu. Isso me lembra quando blogueiros criam titulos de “ganhe 100 reais por dia trabalhando na internet” e quando a gente vai ler a postagem é falando sobre um site de afiliados rsrsrsrsrs o livro pelo visto tá bem assim, um título chamativo, como diz titia shame “com conteúdo podrinho”. Eu gostei de sua resenha, pq amo sinceridade e isso é tudo!

  19. Genilda Silva disse:

    Acho que para você, quase que o livro que virou sapo! (risos!)
    Espero gostar, talvez eu encontre o lado cômico da história.

  20. O titulo chama muita atenção, porém e estranho pensar em um livro tão curto. O que interessou no livro pela sua resenha, foi o lembrar da infância, que eu acho super importante, pois nunca devemos deixar morrer as lembranças.

  21. Pois é, eu vi 50 páginas, fiquei tipo: ‘-‘ só isso? Será que é bom?

    O título parece fazer o livro ser mais interessante.
    E acho que com 50 páginas, talvez desse pra explorar mais, né? O que você achou? Ou já tava bom o bastante? rs

  22. Agda disse:

    Bem curtinho né, acho tão chato quando alguém faz uma propaganda sobre um
    livro e depois não é nada disso rsrs.
    Mas deve ser legal de ler numa tarde já que é pequeno, rapidinho termina.

    @Agda01

  23. O título, de cara… Já me encantou, poxa… e agora saber que ele é um livro com poucas páginas e tão nostalgico assim? awn! me encantei mais ainda. Agora… vou lhes contar um segredo, esses dias eu encontrei uma carta que eu fiz à algum tempo e não entreguei, e era pra um menino, hehe’ E eu comecei à lê-la, poxa… eu ri e senti até um pouco de angustia, por pensar que um dia eu senti aquilo por tal, sério… É estranho, sei lá… rs. Mas enfim, quero muito ler esse livro. Espero que eu ganhe esse sorteio, sério… de coração mesmo! quero muito! ><

    http://metamorfosando.blogspot.com.br/

  24. vanessa marques disse:

    Já li este livro a algum tempo, gostei muito …pena que tenha poucas paginas !!!!

  25. É um saco quando fazem uma propagando enorme de um livro e a gente não acha tão legal, né? Senti isso quando li Melancia. =/
    Não sei se compraria o livro agora que li sua resenha…
    Beijinhos!
    Giulia
    http://prazermechamolivro.blogspot.com

  26. Puxa, só 50 páginas?? Que pequeno!! Mas pelo que você escreveu, ele realmente não tem a proposta de ser maior, nem se sustentaria assim, né?

    É horrível quando a gente se sente enganado. Que pena que você passou por isso.

Deixe um comentário

EDITORAS & PARCEIROS

Copyright © 2016 Livros&Citações. Todos os direitos reservados
Notícias, resenhas e indicações de livros!