Romance

Autora: Gayle Forman
Editora: Arqueiro
Páginas:
 224
Classificação:
4.5/5 estrelas

Brit Hemphill tinha uma família que amava. Seus pais não podiam ser mais felizes e ela era contagiada por tal alegria desde pequena. Porém, depois de ser vítima da esquizofrenia sua mãe vai embora e ela vê os seus pais se separando. O tempo passa e o pai de Brit se casa novamente e então ela precisa aguentar a chata de sua madrasta. Elas não se dão muito bem, visto que, Brit faz parte de uma banda, tem tatuagens, seu cabelo tem algumas mechas rosa e nem sempre ela está dentro do horário, e está mais do que claro que sua madrastra odeia tudo isso, mas Brit não está disposta a mudar para agradar a outros.

Seu pai então decide interná-la em um reformatório chamado Red Rock, onde ele acredita que irá “consertar” a sua filha. Mas, mal sabe ele e todos os outros pais, o quão mal são tratados os seus filhos naquele lugar. Lá, Brit faz amizade com outras garotas – V, Bebe, Martha e Cassie –, e juntas elas tentam fazer a sua vida serem menos miseráveis enquanto buscam uma luz no fim desse túnel.

Só então me dei conta de que devemos valorizar quem se preocupa com a gente. Isso é algo muito especial, que de uma hora para outra pode sumir.

(mais…)


Autora: Kristen Proby
Editora: Charme
Páginas:
400
Classificação:
3.5/5 estrelas

O segundo livro da série With Me in Seattle gira em torno de uma personagem que marcou presença no livro anterior: Jules Montgomery, a melhor amiga de Natalie.

Jules  é uma garota que tenta seguir as regras, na medida do possível, e a principal delas, e com mais chance de quebrar, é ficar longe de homens sexies, tatuados e motoqueiros. Principalmente se ele for seu chefe, já que isso também quebraria algumas regras da empresa onde trabalha.

Quero apenas ser eu mesma.

Porém, isso está longe de ser um impedimento para Nate McKenna. Ele sente que a química entre ele e Jules está cada vez mais intensa e não pode ignorá-la. Ele quer Jules e vai tê-la. E como ele não é o tipo de homem que entra numa briga para perder, Jules está prestes a deixar cair todas suas regras diretamente para a cama de seu chefe.

E enquanto ficamos nesse estica e puxa, com quase metade do livro envolvendo sexo e novas posições — kama sutra que se cuide-, mais uma vez me encontrei perdida por personagens tão queridos. É muito complicado não pegar carinho por eles e pela história, ainda que ela não seja inesquecível — tanto que eu ja havia lido Luta Comigo há algum tempo e não lembrava bulhufas do que acontece, com excessão da apradavya, isso a gente não esquece, seja ficção ou nao.

A ligação fraternal entre todos é a grande jogada da autora, a cada pagina me apeguei mais e mais ao ponto de me sentir parte dessa grande família e essa é uma das razões para que eu devore os livros dessa série: eu quero saber sobre todos e ver cada um deles encontrar a cara metade, se isso acontecer de uma forma divertida e leve, então melhor ainda.

E aos trancos e barrancos, a autora melhora sua escrita, eu diria que os dois primeiros livros de With Me In Seattle são os mais fracos e a cada livro é perceptível os retoques, Kristen deixa de apelar para o sexo (sexo pode até ser bom, mas se for para ler só sobre isso indico um filme erótico, que não pega mais de duas horas do seu tempo) para desenvolver tramas melhores.

Você não estava lá para mim. Você não lutou comigo, por nós.

Não que Luta Comigo possa ser apontado como um livro ruim, seu começo é leve e divertido, e a leitura flui que é uma maravilha enquanto eu aguardava o drama chegar — porque tem que ter um, vamos combinar –, e quando ele aparece, mesmo que se mostre exagerado, sem nexo, facilmente entrei no clima, como boa noveleira que já fui, mas todas essas características provam que esse livro está longe de ser a autora em seu melhor. Ainda que um relacionamento proibido com um chefe caliente, sonho de centenas de mulheres, não seja algo de se jogar fora, leia esse livro com a certeza que algo melhor está por vir.

É só você, Julianne. Sempre será somente você.


Autora: Jessica Park
Editora: Pandorga
Páginas:
 368
Classificação:
5/5 estrelas

Julie Seagle finalmente terminou o ensino médio e agora vai começar a faculdade. Com todos os planos prontos, ela viaja, e ao chegar a sua nova cidade descobre que o lugar onde ela iria morar na verdade é outro estabelecimento. E agora todas as vagas pela cidade estão preenchidas. Como ela vai iniciar a faculdade agora? Por sorte, sua mãe tem uma conhecida, que por acaso também conheceu na faculdade, chamada Erin Watkins, que ofereceu sua casa enquanto ela não encontra outro lugar.

E Julie percebe que há algo de errado com aquela família assim que começa a morar com eles. Além dela, moram na casa: Erin, o seu marido Roger (ambos são muito ausentes na vida dos filhos), Matt, o filho do meio, um nerd que não é muito sociável, mesmo que às vezes possa ser bem fofo, Celeste, a caçula com apenas treze anos (logo de cara Julie vê que ela enfrenta problemas) e, finalmente, Finn, o mais velho dos irmãos. Julie irá ficar no quarto dele enquanto ele ainda está viajando.

No quarto dele, ela sente que o conhece melhor do que todos. E logo descobre a sua página do facebook e começa conversar com ele. Finn é uma pessoa tão carinhosa, legal e compreensível, além de ser lindo – pelo menos por fotos. Ela não percebe, mas começa a se apaixonar por ele e contar os dias para seu retorno. E enquanto isso, ela tenta ajudar Celeste ser uma garota normal e Matt a ser menos introvertido. Mal sabe ela o trabalho que isso vai dar.

Amor fora do ar foi, definitivamente, uma das melhores surpresas do ano passado. Foi um pouco difícil me acostumar com a narração em terceira pessoa, cheguei a pensar que o livro poderia ser um pouco entediante por esse motivo, mas estava errada. Eu consegui sentir as emoções de Julie da mesma forma e ainda tive uma visão geral da história.

Você pode olhar para trás agora e ver como você poderia ter visto, mas você estava focada nos fatos ao invés dos sentimentos.

Julie é uma personagem fácil de gostar. Ela é carismática e faz de tudo pelas pessoas que gosta. Ela ajudou Celeste de uma forma que ninguém havia ajudado antes e mudou a vida da garota. Fiquei muito feliz com isso. Pondo-me em seu lugar, realmente não sei se teria a mesma coragem que ela.

E o romance? O que dizer sobre o romance? Meu Deus!!! Esse livro destruiu meu coração em pedacinhos e ao mesmo tempo o reestabeleceu ao que era antes. Apenas posso dizer que durante toda a leitura eu desconfiava de algo e, quando aconteceu, ainda assim foi uma GRANDE surpresa (muito bem escrita, por sinal).

Sempre foi você. Eu pensei que era outro alguém, mas era você. Você é a pessoa pela qual eu me apaixonei.

Amor Fora do Ar faz parte de uma série e já possui mais dois livros publicados e eu não vejo a hora que seja lançado no Brasil para que eu saiba como essa família incrível seguiu com sua vida. Enfim, é mais um auto publicado com uma escrita maravilhosa e uma história melhor ainda. É uma história que nos ensina o real valor do amor pela família, amigos e sua alma gêmea. Às vezes achamos que amamos, mas na verdade é só essa ideia que nos domina.


Autora: Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Páginas:
320
Classificação:
 4/5 estrelas
Essa resenha contêm spoilers de Como Eu Era Antes de Você.

Depois de soltar rios de lágrimas em Como Eu Era Antes de Você, chega o inesperado Depois de Você, onde seguimos com a história de Louisa Clark, que ainda não conseguiu superar o fato de ter perdido Will. Agora ela mora em um apartamento – que em suas palavras, o dinheiro de Will comprou – em Londres e trabalha em uma lanchonete no aeroporto. Tudo segue na tranquilidade que a rotina lhe proporciona, até que ela cai do terraço de seu apartamento e tudo muda.

Devido ao acidente, ela é obrigada a voltar a sua antiga casa para ficar sob os cuidados de seus pais, onde ela precisa encarar sua atual situação e a pergunta que mais uma vez surge: o que fazer de sua vida? Ela também conhece o paramédico Sam Fielding –- que a resgatou no dia de sua queda.  Ao voltar para Londres, Lou tenta aos poucos se reerguer. Porém, ela se depara com uma GRANDE surpresa pairando a sua porta e o seu maior desafio será lidar com isso. Lou agora encontrará força em um grupo de terapia de luto -– pessoas com dificuldades para seguir em frente –- e com a pessoa que mais lhe entende no momento: Sam.

(mais…)


Autora: Abbi Glines
Editora: Arqueiro
Páginas:
288
Classificação:
3.5/5 estrelas
Essa resenha contêm palavras de baixo calão.

Depois do livro anterior acabar com toda a visão que eu tinha de Grant, Mais uma chance chegou como redenção e novas surpresas. Principalmente, o livro foi a chance de dar mais espaço a novos personagens e futuros protagonistas.

Eu estava em pânico de perdê-la, mas tudo o que fiz foi expulsá-la da minha vida.

Nessa sequência, algum tempo se passou desde que Harlow deixou Rosemary Beach, e Grant está desesperado para encontrá-la e fazer tudo ficar bem novamente, tarefa impossível quando ele descobrir o que Harlow esconde. E dessa vez ela está disposta a ir contra tudo e contra todos por aquilo que acredita, mesmo que para isso seja preciso colocar sua vida em risco.

E com essas poucas palavras eu defino bem o que aconteceu nesse livro, é tudo um pouco óbvio e não há muito o que construir partindo do relacionamento de Grant e Harlow. Sim, a autora ainda faz com que tudo aconteça de uma forma melhor, que a ideia deixada por Grant cuzão no último livro desapareça um pouco, mas sem dúvidas o melhor é ver um pouco dos novos personagens e como Beth se encaminha para seu ponto de ruptura — estou louca para ver a bomba que ela carrega dentro de si explodir.

Eu não quero viver a vida como se eu tivesse um defeito.

Não que o casal protagonista também não se destaque, há sim um esforço de Abbi quanto a isso, eles amadurecem juntos para enfrentar os problemas no coração de Harlow, um pronto para apoiar o outro, e Harlow sozinha já é um ponto a mais nessa história, porém não há nada grandioso a ser destacado, é somente mais uma história doce da Abbi Glines, o tipo que aponto água com açúcar, mas apesar do meu apego por Rosemary Beach, ainda estou no aguardo do casal que deixará de me levar com a correnteza para acabar comigo ao ponto de vivenciar e ficar louca com sua história, algo que só Rush e Blaire fizeram até agora.

Acho que me apaixonei por você no instante que pus os olhos em você.


filha da floresta

Autora: Juliet Marillie
Editora: Butterfly
Páginas:
616
Classificação:
5/5 estrelas

Tenho que ser clichê e começar essa resenha informando que nada do que eu escrever será suficiente para explicar esse livro. Não só ele tem mais de seiscentas páginas como também tem um mundo todo novo para explicar, e já em suas primeiras páginas impressiona.

Se o senhor não acordar logo, perderá a nós todos, um por um.

A autora começa sua história relatando que se inspirou em um conto dos Irmãos Grimm, Os Seis Cisnes, para escrever a série Sevenwaters, que gira em torno de uma província de mesmo nome, um lugar onde os Seres da Floresta possuem forte presença e todos crescem ouvindo histórias sobre seus feitos e o perigo de se envolver com o Outro Mundo.

É nesse povoado que sete irmãos vivem e Sorcha, nossa protagonista, é a sétima filha de um sétimo filho com uma terrível tarefa pela frente. Com sua vida simples e de pequenas alegrias, ela cresceu para se tornar a curandeira entre os seus e protegida por todos os seus outros irmãos. Porém, quando uma maldição cai sobre eles, cabe a Sorcha lutar para salvar a todos. E, em uma batalha ancestral onde todos são peões nas mãos dos Seres da Floresta, ninguém vai sair ileso.

Para ilustrar melhor minha paixão e dificuldade para escrever sobre esse livro, vou confessar que o li assim que chegou em casa, na primeira metade do ano, mas ainda não estou pronta para passar tudo que senti, a loucura que foi para uma amante de fantasia encontrar algo tão bem elaborado e construído, e são livros como esse que me lembram porque amo tanto resenhar; não é só sobre contar uma história, para isso há milhares de sinopses por aí, e sim sobre como me senti e vivenciei essa história e passar toda essa gama de sentimentos para frente, com a esperança de que alguém também sinta o mesmo e se apaixone também.

Por que devo me modificar só para agradar a um homem? Se ele não gostar de mim como sou, que procure outra pessoa para se casar.

Filha da Floresta é um livro que transpira magia e a autora se mostrou uma contadora nata de historias do início ao fim, com uma capacidade de poucos para realmente te colocar dentro da trama, vivendo cada momento de paixão e desespero, muitas vezes me levando a euforia e, infelizmente, às lágrimas.  A escrita parece simples mas em retalhos algo grande é construído.

Entre lágrimas e risos, acompanhei a história de Sorcha, uma garota que precisou percorrer todo um caminho para se tornar o que estava predestinada a ser, e essa foi uma viagem além da idade ou experiência, onde uma criança perde a inocência e laços para lutar por aqueles que ama. Muitas vezes em formato de diário,  Sorcha relata o que aconteceu com ela, sua lenda, perdas e vitórias.

“Por que Sorcha? Por que justo ela tem de sofrer tanto? Ela é inocente e incapaz sequer de ter maus pensamentos. Por que deve fazer esse sacrifício por nós?”

“Porque ela é a mais forte. Porque ela se dobra com o vento, mas não se quebra.”

E ainda há os vários irmãos da protagonista, mas nenhum chama mais atenção que Connor e Finbar, cada um deles sábios de uma forma diferente, sobretudo Finbar com seu jeito introspectivo, seus segredos e a maldição do seu dom.

Juntos, eles ensinam uma lição ao leitor sobre perda, fraternidade e a realidade da vingança, de dar o troco quando já se perdeu algo que vingança alguma trará de volta. Essa é uma história que vai além dos contos bonitinhos, com uma lição para contar, e se aprofunda mais nos reais sacrifícios, o amor, as vitórias e, acima de tudo, a magia. E mesmo com essa avalanche de eventos, em momento algum a autora deixou de explorar cada nuance, e se foi difícil seguir em frente, isso simplesmente aconteceu porque, mesmo como leitora, ver alguém sofrer tanto e ser traída a cada passo não é fácil.

Ele não conseguiu encontrar as palavras corretas para se despedir. Hesitou. Deixou escapar a dor de sua alma e a feriu. Jurou que não a magoaria, mas magoou. Devia ter-lhe dito… devia ter dito… Não importa se você está aqui ou lá, pois sua imagem está em minha mente o tempo todo. Vejo-a na luz sobre a água, no balanço das árvores com o vento de primavera. Vejo-a na sombra dos grandes carvalhos e ouço a sua voz no pio das corujas à noite. Você é o sangue que corre em minhas veias e o bater do meu coração. É a primeira coisa que me vem à mente quando acordo e a última antes de eu adormecer. Você é… tudo o que sou, é o ar que eu respiro.

Ainda que seja uma ficção, sobre lendas, talvez sobre um passado que existiu, ou talvez sobre algo longe da realidade, seus personagens, suas dores e a sede por seguir em frente se tornaram reais a cada página, essa é a grande magia da leitura, e acreditar que em alguma parte do mundo existam pessoas com problemas diferentes, mas com a mesma coragem de, apesar de cada batalha, cada dor, que acreditam que é possível dar mais um passo e seguir em frente, traz um pouco de esperança.

Nada me preparou para Sevenwaters, e ainda que seja uma trama extensa, ela parece pequena para tudo o que ocorreu, é um dos poucos livros que posso dizer que vive em mim e não passará esquecido entre as centenas de outros que já li. Esse é um livro para inspirar, um livro que formará futuros escritores e ávidos leitores, porque como Harry Potter e outras tantas séries, a magia respira nessa história.

Você tem uma longa jornada pela frente. Não há tempo para chorar.


EDITORAS & PARCEIROS

Copyright © 2016 Livros&Citações. Todos os direitos reservados
Notícias, resenhas e indicações de livros!