Drama

Autor: Danilo Leonardi
Editora: Giz Editorial
Páginas:
 208
Classificação:
3/5 estrelas

O livro Por que Indiana, João? conta a história de João, um menino tímido que em grande parte de sua vida foi alvo de provocações e humilhações de seus colegas. No entanto, sua vida muda completamente quando ele reage ao ataque de Guilherme, seu principal tormentador, e a cena vai parar na internet. A partir daí, João tem que lidar com as consequências de seus atos, da fama que surge com o vídeo viral e, claro, com os problemas normais de um adolescente.

“Não importa o que eles achariam, João. O que eu gostaria é de ver que você é o tipo de pessoa que não fica de braços cruzados enquanto alguém apanha por sua causa.”
“Ninguém parecia se importar muito quando era eu que apanhava.”

(mais…)


Autora: Emma Donoghue
Editora: Verus
Páginas:
 350
Classificação:
5/5 estrelas
Contem spoilers

Que a literatura tem o poder de nos transportar para dimensões paralelas, despertar uma imensidão de emoções e nos fazer questionar o universo, qualquer leitor aficionado sabe. No entanto, alguns livros –- estes mais raros, eu diria – nos marcam de maneira especial, presenteando-nos com experiências de quase catarse. Quarto, romance publicado pela Verus Editora e escrito por Emma Donoghue, é uma dessas obras únicas.

A história, que foi adaptada para o cinema no fim de 2015, em um longa aclamadíssimo que abocanhou quatro indicações ao Oscar, inclusive o de Melhor Filme, segue Jack, um menino de cinco anos confinado junto à sua mãe dentro de um quarto. Foi no Quarto onde ele viveu toda sua vida e, para a criança, lá é tudo que existe –- do Guarda-Roupa em que dorme ao Teto e à Cama e ao Tapete e ao Termostato. A Mãe foi sequestrada pelo Velho Nick quando tinha 19 anos, sete anos atrás, e trancafiada naquele cômodo, onde é frequentemente estuprada. Sob todas as dificuldades, porém, a Mãe criou Jack dando-o o máximo que pôde, concebendo um universo próprio para ele, em que não sofresse tanto… Mas a vida no Quarto não basta; nunca poderia, por mais que tentasse se enganar. Então, a Mãe elabora um complicado plano de fuga. Nada é mais o mesmo daí em diante.

(mais…)


Autora: Jessica Park
Editora: Pandorga
Páginas:
 368
Classificação:
5/5 estrelas

Julie Seagle finalmente terminou o ensino médio e agora vai começar a faculdade. Com todos os planos prontos, ela viaja, e ao chegar a sua nova cidade descobre que o lugar onde ela iria morar na verdade é outro estabelecimento. E agora todas as vagas pela cidade estão preenchidas. Como ela vai iniciar a faculdade agora? Por sorte, sua mãe tem uma conhecida, que por acaso também conheceu na faculdade, chamada Erin Watkins, que ofereceu sua casa enquanto ela não encontra outro lugar.

E Julie percebe que há algo de errado com aquela família assim que começa a morar com eles. Além dela, moram na casa: Erin, o seu marido Roger (ambos são muito ausentes na vida dos filhos), Matt, o filho do meio, um nerd que não é muito sociável, mesmo que às vezes possa ser bem fofo, Celeste, a caçula com apenas treze anos (logo de cara Julie vê que ela enfrenta problemas) e, finalmente, Finn, o mais velho dos irmãos. Julie irá ficar no quarto dele enquanto ele ainda está viajando.

No quarto dele, ela sente que o conhece melhor do que todos. E logo descobre a sua página do facebook e começa conversar com ele. Finn é uma pessoa tão carinhosa, legal e compreensível, além de ser lindo – pelo menos por fotos. Ela não percebe, mas começa a se apaixonar por ele e contar os dias para seu retorno. E enquanto isso, ela tenta ajudar Celeste ser uma garota normal e Matt a ser menos introvertido. Mal sabe ela o trabalho que isso vai dar.

Amor fora do ar foi, definitivamente, uma das melhores surpresas do ano passado. Foi um pouco difícil me acostumar com a narração em terceira pessoa, cheguei a pensar que o livro poderia ser um pouco entediante por esse motivo, mas estava errada. Eu consegui sentir as emoções de Julie da mesma forma e ainda tive uma visão geral da história.

Você pode olhar para trás agora e ver como você poderia ter visto, mas você estava focada nos fatos ao invés dos sentimentos.

Julie é uma personagem fácil de gostar. Ela é carismática e faz de tudo pelas pessoas que gosta. Ela ajudou Celeste de uma forma que ninguém havia ajudado antes e mudou a vida da garota. Fiquei muito feliz com isso. Pondo-me em seu lugar, realmente não sei se teria a mesma coragem que ela.

E o romance? O que dizer sobre o romance? Meu Deus!!! Esse livro destruiu meu coração em pedacinhos e ao mesmo tempo o reestabeleceu ao que era antes. Apenas posso dizer que durante toda a leitura eu desconfiava de algo e, quando aconteceu, ainda assim foi uma GRANDE surpresa (muito bem escrita, por sinal).

Sempre foi você. Eu pensei que era outro alguém, mas era você. Você é a pessoa pela qual eu me apaixonei.

Amor Fora do Ar faz parte de uma série e já possui mais dois livros publicados e eu não vejo a hora que seja lançado no Brasil para que eu saiba como essa família incrível seguiu com sua vida. Enfim, é mais um auto publicado com uma escrita maravilhosa e uma história melhor ainda. É uma história que nos ensina o real valor do amor pela família, amigos e sua alma gêmea. Às vezes achamos que amamos, mas na verdade é só essa ideia que nos domina.


Autora: Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Páginas:
320
Classificação:
 4/5 estrelas
Essa resenha contêm spoilers de Como Eu Era Antes de Você.

Depois de soltar rios de lágrimas em Como Eu Era Antes de Você, chega o inesperado Depois de Você, onde seguimos com a história de Louisa Clark, que ainda não conseguiu superar o fato de ter perdido Will. Agora ela mora em um apartamento – que em suas palavras, o dinheiro de Will comprou – em Londres e trabalha em uma lanchonete no aeroporto. Tudo segue na tranquilidade que a rotina lhe proporciona, até que ela cai do terraço de seu apartamento e tudo muda.

Devido ao acidente, ela é obrigada a voltar a sua antiga casa para ficar sob os cuidados de seus pais, onde ela precisa encarar sua atual situação e a pergunta que mais uma vez surge: o que fazer de sua vida? Ela também conhece o paramédico Sam Fielding –- que a resgatou no dia de sua queda.  Ao voltar para Londres, Lou tenta aos poucos se reerguer. Porém, ela se depara com uma GRANDE surpresa pairando a sua porta e o seu maior desafio será lidar com isso. Lou agora encontrará força em um grupo de terapia de luto -– pessoas com dificuldades para seguir em frente –- e com a pessoa que mais lhe entende no momento: Sam.

(mais…)


Autora: Abbi Glines
Editora: Arqueiro
Páginas:
288
Classificação:
3.5/5 estrelas
Essa resenha contêm palavras de baixo calão.

Depois do livro anterior acabar com toda a visão que eu tinha de Grant, Mais uma chance chegou como redenção e novas surpresas. Principalmente, o livro foi a chance de dar mais espaço a novos personagens e futuros protagonistas.

Eu estava em pânico de perdê-la, mas tudo o que fiz foi expulsá-la da minha vida.

Nessa sequência, algum tempo se passou desde que Harlow deixou Rosemary Beach, e Grant está desesperado para encontrá-la e fazer tudo ficar bem novamente, tarefa impossível quando ele descobrir o que Harlow esconde. E dessa vez ela está disposta a ir contra tudo e contra todos por aquilo que acredita, mesmo que para isso seja preciso colocar sua vida em risco.

E com essas poucas palavras eu defino bem o que aconteceu nesse livro, é tudo um pouco óbvio e não há muito o que construir partindo do relacionamento de Grant e Harlow. Sim, a autora ainda faz com que tudo aconteça de uma forma melhor, que a ideia deixada por Grant cuzão no último livro desapareça um pouco, mas sem dúvidas o melhor é ver um pouco dos novos personagens e como Beth se encaminha para seu ponto de ruptura — estou louca para ver a bomba que ela carrega dentro de si explodir.

Eu não quero viver a vida como se eu tivesse um defeito.

Não que o casal protagonista também não se destaque, há sim um esforço de Abbi quanto a isso, eles amadurecem juntos para enfrentar os problemas no coração de Harlow, um pronto para apoiar o outro, e Harlow sozinha já é um ponto a mais nessa história, porém não há nada grandioso a ser destacado, é somente mais uma história doce da Abbi Glines, o tipo que aponto água com açúcar, mas apesar do meu apego por Rosemary Beach, ainda estou no aguardo do casal que deixará de me levar com a correnteza para acabar comigo ao ponto de vivenciar e ficar louca com sua história, algo que só Rush e Blaire fizeram até agora.

Acho que me apaixonei por você no instante que pus os olhos em você.


Autora: Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Páginas:
320
Classificação:
 5/5 estrelas

Louisa Clark é uma garota de vinte e seis anos que ainda não sabe muito bem o que irá fazer de seu futuro. E ela não se apercebe disso até que a cafeteria onde trabalha como garçonete fecha. Lou se vê em uma situação desesperadora, afinal, ela precisa trabalhar para ajudar financeiramente em casa, mas, ela não sabe exatamente do que. Quando vai até uma agência de empregos, descobre o “emprego perfeito” – onde ganhará muito bem e não terá de fazer muita coisa além de ser cuidadora de um tetraplégico, Will Traynor.

Will amava viver. Ele tinha um emprego que amava, fazia loucuras, se arriscava, namorava e não precisava de mais nada para aumentar sua felicidade. Ao sofrer um acidente, Will acredita ter perdido tudo e se vê aos 35 anos de idade preso a uma cadeira e dependente de outros. Ele realmente não tem mais nada para viver e perde toda a alegria que tinha, restando apenas uma versão mal humorada do seu antigo “eu”.

Algumas coisas não podem se prever na vida. E uma delas é como um até então desconhecido pode mudar tão drasticamente o que você acredita em poucos meses. Lou e Will não tiveram um bom começo, mas, aos poucos eles foram se acostumando com a presença um do outro e construindo uma amizade que os levou a um sentimento maior e que os deixaram em uma situação um tanto complicada.

Ser atirada para dentro de uma vida totalmente diferente – ou, pelo menos, jogada com tanta força na vida de outra pessoa a ponto de parecer bater com a cara na janela dela – obriga a repensar sua ideia a respeito de quem você é. Ou sobre como os outros o veem.

Esse foi meu primeiro livro de Jojo Moyes e, eu devo dizer que comecei com o pé direito. Amei a escrita da autora. A narração feita em primeira pessoa por Lou é repleta de sentimentos e detalhes, e a autora complementou com alguns capítulos narrados pela mãe, pai e o fisioterapeuta de Will, além de um pela irmã mais nova de Lou. Com isso, tivemos uma visão geral da história com as narrações feitas em medida certa.

Como eu era antes de você me deixou com a pulga atrás da orelha a partir da metade do livro em diante, onde eu não sabia como seria o final e eu estava desesperada para descobrir. Eu precisava saber se o motivo de todos viverem chorando e destacando o quão emocionante esse livro é, era devido ao final que eu imaginava que acontecesse. E isso fez com que eu não conseguisse largar o livro até terminá-lo. Obviamente não contarei qual foi a minha surpresa ao terminá-lo, mas, como todos os outros, terminei em lágrimas.

Onde há vida, há esperança, não é assim?

Lou é uma personagem carismática, é difícil não gostar dela. Por alguns momentos fiquei incrédula pensando se ela não descobriria logo o que estava na frente dos seus olhos. Mas, tirando isso, a amei do início ao fim. Foi incrível ver o seu desenvolvimento durante o tempo que se passa na narrativa. De como ela não sabia o que faria da sua vida, presa com aquele namorado horrível, a uma pessoa persistente, decidida e que busca os seus sonhos.

Já Will é alguém que facilmente poderíamos julgar. Dizer que suas atitudes e pensamentos são errados e que ele jamais deveria pensar mal de si mesmo. Mas como podemos fazer isso se nunca passamos por isso? Então, às vezes, eu ou você na mesma situação a dele poderíamos agir do mesmo modo ou completamente diferente. Nunca saberemos. Talvez ele pudesse ser menos egoísta e levar em questão os sentimentos dos que estão a sua volta ou talvez todos que estão a sua volta pudessem ser menos egoísta e levar em consideração os sentimentos de Will.

Como eu era antes de você é um livro que desafia todos os clichês. É uma leitura que eu jamais vou superar e acredito que ninguém conseguirá. E depois de terminá-lo posso dizer com meu coração na mão e lágrimas nos olhos que eu amei essa obra.

Se ele amar, sentirá que pode seguir em frente. Sem amor, eu já teria afundado várias vezes.


EDITORAS & PARCEIROS

Copyright © 2016 Livros&Citações. Todos os direitos reservados
Notícias, resenhas e indicações de livros!