Drama

Autora: J.A. Redmerski
Editora: Suma de Letras  
Páginas:
 248 
Classificação:
 4/5 estrelas

Esse livro é o terceiro da série Na Companhia de Assassinos, e ainda que você possa lê-lo sem ler os anteriores, indico fortemente que não faça isso.

Em O Cisne e o Chacal vamos mergulhar fundo na história de Fredrik Gustavsson e a caçada que inicia para encontrar, e matar, sua esposa, Seraphina, a mulher que ele mais amou na vida — o que só fez sua traição ainda pior.

Meu belo cisnei. Minha salvadora e minha perdição.

E a única pessoa que pode levá-lo diretamente à ela é Cassia, uma doce e inocente garota que pode ser a chave de tudo. Mas Cassia está ferida após escapar de um incêndio, e não se lembra de nada. Fredrik não tem escolha a não ser manter a mulher por perto, porém, depois de um ano convivendo com seu jeito delicado e piedoso, ele se descobre em uma batalha interna entre o que sente por Seraphina e o que sente por Cassia. Porque ele sabe que, para manter o amor de uma, a outra deve morrer.

(mais…)


The Song of David

Autora: Amy Harmon
Editora:  CreateSpace
Páginas: 260
Classificação: 5/5 estrelas

Essa é a sequência de The Law of Moses, e teoricamente irá girar em torno do melhor amigo de Moses, David “Tag”, mas logo ao começar o livro você se pega envolvido mais uma vez com Moses e pouco a pouco percebe que The Song of David vai muito além de Tag.

Você vai me devastar, David?

Por um lado fica um ponta de decepção porque o livro em nenhum momento foi o que eu esperava. De supetão, nas primeiras páginas, já ficamos a par de como está a vida de Tag. O grande mistério está em seu recente desaparecimento, e aos poucos vamos descobrir o que levou-o a esse ponto de ruptura.

Tag construiu um império, está a caminho de lutar pelo cinturão do MMA em sua categoria, e ainda conheceu uma dançarina especial de diversas formas diferentes. Quando ele deixa tudo para trás, a autora nos joga em suas memórias, os encontros e desencontros, as vitórias e o evento que trouxe a infeliz partida. Mas um terço da história também é sobre Moses, seu dom, e a ligação com Tag.

Entretanto, diferente do livro anterior, a leitura de The Song of David se arrastou, quando você lê tanto de uma autora, você sempre espera ela em seu melhor e duvidei disso em alguns momentos, até perceber que essa á uma história que vai muito além da escrita, de uma simples união de frases, e precisei parar para entender e sentir toda a gama de sentimentos que Amy Harmon preparou para os leitores dessa vez.

O que ela não sabia, o que não poderia ver, era que ela me derrubava, eu poderia estar em pé ao seu lado, mas eu já estava caindo.

Sim, meu entrosamento e ligação com os personagens não aconteceu em um estalar de dedos, mas mesmo com essa barreira, isso não foi suficiente para impedir as lágrimas de caírem. Tudo é muito intenso, cru; os obstáculos, as batalhas, a ideia de conseguir se reerguer no pior cenário e ir em frente, de ser empurrado até não aguentar mais, e ao cair, aceitar que certas vezes é preciso de ajuda para se reerguer. E essa não será uma viagem fácil, nem para o leitor, muito menos para os personagens.

É estúpido destacar isso, mas essa resenha não é suficiente para o que a autora quer mostrar, seu livro ora é doce, repleto de sensações, e ora é dilacerador e magoa porque coloca por terra o sonho encantado de que tudo dará certo.

“Eu não posso ver o caminho a seguir.”

“Eu também não. Mas isso não me parou.”

E preciso manter um pouco de distância dos livros dessa autora porque o fardo é pesado, nunca é “só mais um livro” ou “só mais uma história“, parece louco explicar dessa forma, mas não é, sério. Talvez seja complicado entender e até colocar em palavras como um livro que aparentemente não gostei se tornou algo tão grande, minha vontade ao terminar foi só ir atrás de algo mais “feliz” para ler, mas a verdade é que esse livro é sobre a vida, e mesmo com as tragedias, as alegrias tomam tudo ao olhar para trás. Essa é a maior mensagem de Amy. Não é para ser fácil, é para ser inesquecível, e isso The Song of David com certeza foi.

Assim nossa jornada começou. E assim foi onde terminou.


lev

Autora: Belle Aurora
Editora:  –
Páginas: 370
Classificação: 4.5/5 estrelas

Ainda me pergunto o que me levou a ler mais esse livro de Belle Aurora, pois por mais livros que eu tenha lido dessa autora, nenhum realmente me ganhou a ponto de eu me tornar uma. Até Lev, e esse livro é a prova que quem persiste alcança.

Ele me encontrou e, ele sabendo ou não, eu era sua. É como dizem, quem encontra fica.

O livro é o primeiro de uma série que girará em torno de um bar de stripe — e na família que o gerencia. Cada qual com suas particularidades, começamos com Lev, um homem taciturno, poderoso e disposto a tudo para proteger aqueles que ama. E então ele vê uma garota tentando roubar a carteira de seu irmão e é afetado completamente por ela. Sendo alguém que toda sua vida ouviu que não pode entender ou processar emoções, garotas magrelas não é algo que deveria interessá-lo, até chegar Mina.

Quando Mina Harris é pega em flagrante com uma carteira que não é dela, ela desmorona. Ela está cansada, solitária e não come nada há dias. Lev lhe dá um ultimato… uma cama quentinha, uma refeição quente e um emprego, ou os policiais. Mina aceita suas chances com Lev. Afinal de contas, uma pessoa que não tem nada, também não tem nada a perder.

“Eu não sei o que é amor,” eu comecei devagar. “Mas se eu pudesse amar alguém…” Eu dei um beijo suave atrás de sua orelha, puxando-a para perto. “Eu amaria você. Muito.”

Nem preciso destacar que um cara autista e uma mendiga já é algo ímpar, certo? E tinha tudo para dar errado, a autora poderia exagerar no drama, poderia ficar doce demais, bobo demais, enfim, poderia ser demais, mas não foi. O relacionamento cresce de forma leve, gostosa, e até soltei algumas lágrimas pela história de ambos. Para adicionar mais tempero ainda há o suspense.

E com a narração acontecendo de diferentes pontos de vista, só isso já torna possível entender bem o que está se desenrolando entre Lev e Mina, porque ainda que a ligação seja instantânea, a união entre eles cresce aos poucos, Lev não é uma pessoa fácil para se lidar, mas isso vem de forma natural para Mina, e ela, de forma inesperada, mostra-se forte o suficiente para ultrapassar cada barreira que encontra até chegar ao seu coração.

— Ela é um desastre. Os problemas perseguem-na. Ela me pressiona quando não quero falar. Sorri e ri de coisas que não são engraçadas. Rouba comida que estou prestes a colocar na boca. — Sacudi minha cabeça — E tudo isso a torna perfeita.

O livro atingiu picos inesperados, eu já li, reli, e dei uma olhada novamente só para não esquecer. E a forma como me envolvi com cada personagem é a carta na manga da autora, nem bem terminei o livro e já estava ansiosa para saber mais sobre Nas e Sasha, o grande filha da puta.

Eu diria que esse livro é a linha que separa os outros da autora, que ainda que sejam bons, não destoa de muito do que a gente encontra na livraria hoje. E Lev surpreende porque mesmo que cheio de uma trama que podemos já ter lido antes, a escrita da autora não é a mesma, ela está melhor. Não é só o romance, é tudo, cada página, cada situação entre o casal, cada palavra ou abraço entre essa louca família. No final, minha única escolha era me esbaldar. E sim, eu me joguei.

Dizem que os pinguins se amam para toda vida e eu quero ser seu pinguim.


Autor: John Boyne
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 416
Classificação: 5/5 estrelas

Desde que despontou no mercado editorial com a publicação do best-seller O Menino do Pijama Listrado, que vendeu milhões de exemplares, o irlandês John Boyne tem visto sua obra cada vez mais reverenciada em diversos círculos. Isto, obviamente, não sem mérito: o talento do autor em tecer histórias arrebatadoras e muitíssimo bem-escritas, somado aos personagens encantadores que traz à vida e à sua capacidade de transitar entre publicações para crianças, jovens e adultos, com uma versatilidade invejável, colocam-no entre um dos melhores nomes da literatura contemporânea europeia. Em seu último e mais pessoal livro até então — onde prova, novamente, seu primor —, Uma História de Solidão, lançado em 2016 pela Companhia das Letras, Boyne esmiúça com primazia um enredo inesperado e para lá de atual: a trajetória de um padre irlandês e sua visão privilegiada do cerne de uma omissa Igreja Católica imersa em escândalos de abusos sexuais contra meninos e meninas.

(mais…)


Autora:  Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Páginas:
 320
Classificação:
5/5 estrelas

Jess Thomas é a mãe de duas crianças: Tanzie e o enteado Nichy – que ela cria há oito anos e vem sofrendo bullying pelos vizinhos. Marty, pai dos dois, a abandonou há dois anos e desde então a sua vida se resume a trabalho, e ainda assim, o orçamento da família é muito apertado. Tudo piora quando Tanzie – que é uma expert em matemática – ganha noventa por cento de uma bolsa de estudo em uma das melhores escolas da região e os dez por cento restantes teriam que ser financiados por Jess, mas ela não tem dinheiro o suficiente para isso. Ainda há esperança em uma Olimpíada de Matemática na Escócia que se Tanzie vencer, ganhará um valor que será o suficiente para a sua escola. A única questão é: como chegar lá?

As escolhas que você fizer agora vão determinar o resto da sua vida.

Por outro lado, Ed Nicholls – um cliente de faxina de Jess – é um gênio em informática e está sofrendo um processo por ter vazado informações privilegiadas para Deanna Lewis (um caso que ele estava querendo se livrar). Ed, então, se refugia em sua casa da praia, onde conhece Jess – que logo de cara o odeia. Porém, no momento que ela mais precisa, Ed está lá para ajudá-la e incrivelmente oferece uma carona até a Escócia, esperando que isso o redima de seus grandes erros. Mas, o que essa viagem reservará a eles?
(mais…)


Autora: Fisher Amelie
Editora: Fisher Amelie
Páginas:
 –

Se você está procurando por uma história com uma garota boazinha, humilde, que foi ferida por alguém em quem confiava para depois se apaixonar pelo cara que a ajuda a se reerguer e bla bla bla… bem, então talvez você não goste tanto assim da história de Sophie Price. Ou talvez você acabe amando, como 80% dos outros leitores, incluindo eu, amaram.

É mais fácil fingir. Muito mais fácil.

Sophie Price é uma vaca. Nenhuma palavra define ela melhor. Ela é a amiga que usa, drogada, viciada em sexo. É o pior pesadelo de qualquer namorada e fantasia de qualquer homem. E essa é a história de como ela foi de garota mais invejada do mundo para a mulher que ninguém queria perto e por que ela não trocaria isso por nada no mundo. Essa é uma história de humildade e descoberta, e sim, eu sei que você provavelmente vai amar.

(mais…)


EDITORAS & PARCEIROS

Copyright © 2016 Livros&Citações. Todos os direitos reservados
Notícias, resenhas e indicações de livros!