Fora dos livros

Além de ler, algo que eu tenho muito prazer em fazer é assistir séries. Amo me distrair e por certo período de tempo estar ocupada em outro universo, seja ele triste, romântico ou muito engraçado. E durante as minhas últimas férias, eu escolhi assistir uma série que já havia visto algumas vezes na TV por assinatura, porém, antes nunca havia sentido interesse de efetivamente sentar e assisti-la: “How I Met Your Mother”, A.K.A. Como eu conheci a sua mãe.

Minha reação depois de ver a série

(mais…)


Às vezes sinto que o cinema é um lugar sombrio para os fãs de fantasia, com poucos acertos e recheado de erros, e se você pensa que “Deuses do Egito” é uma boa aposta para o gênero, assim como eu pensava, já pode ir tirando o cavalinho da chuva.

Inspirado na famosa rixa entre Horus (Nikolaj Coster-Waldau) e Seth (Gerard Butler), o longa ainda se aprofunda em um terceiro elemento que surge para tentar salvar a humanidade — e sua amada — do caminho sangrento que o deus sombrio deseja trilhar. Bek (Brenton Thwaites) é um mortal audaz que não espera muito dos deuses, mas precisará colocar essa ideia de lado e ajudar Horus se não quiser perder tudo o que preza.

(mais…)


Finalmente chegou a tão aguardada première de “Shadowhunters,” que aconteceu ontem no Freeform (ABC Family) e que será transmitida para diversos países hoje (13) através do nosso tão querido Netflix. E vamos dizer que para dois fãs da série de livros, foi uma experiência um tanto engraçada (e traumática em alguns momentos).

Para mostrar nossas reações de forma um tanto natural, aí vai um resumo do chat que aconteceu durante a transmissão do episódio entre eu e o Rafael e você pode pular porque há mensagens de baixo calão e alguns poucos spoilers:

Gabi: Luke que voz é essa. Nossa.

Rafael: Super curti ele. Já Madame Dorothea virou Dot que trabalha pra mãe da Clary. Nossa. Pera. Me perdi aqui.

Gabi: Simon apareceu. Simon > Jace. Pelo menos o ator de Simon tá melhor que o esperado, Jace melhore.

Rafael: Sim. Ai me julguem, mas sinto falta do Jamie Bower.

Gabi: Nossa.  Achava ele subnutrido.

Rafael: vdds. Mas era carismático

Gabi: Comparado com o novo não fica difícil. E a Clary? Eu curti ela.

Rafael: Ela parece menos Mimizenta que a Lily. Gosto dela, não da cor de água de salsicha do cabelo mas gosto dela. Gosto da Jocelyn também, achei sucesso já.

Gabi: sim, mas efeitos blergh.

Rafael: E desnecessário a Maureen e a Dot. Quando colocaram Luke como policial ao invés de livreiro fiquei tipo meh, mas acho que super casou, acho que vai fazer muito bem pra série o personagem (um lobisomen) ser o chefe de Polícia até porque o submundo acaba invadindo o mundo mundano ai entra ele.

Gabi: Maureen devem mudar muita coisa ainda. Já Jocelyn poderosíssima, diva lacradora.

Rafael: desde o filme. Lembra dela batendo nos cara com uma frigideira ? Jocelyn ta 100% pra mim.

Gabi: E quero esse luke na minha cama

Rafael: Nossa, até eu.

Gabi: E efeitos podres demais.

Rafael: Demais, esses aparatamentos desnecessários.

Gabi: Nossa, achei Jace super tosco até agora, mas essas mãos, esse corpo, tá difícil não dar uma chance ahahhaha

Rafael: ai esse Jace zzzZzzZ

Gabi:  fio imagina as mãos, adoro mãos de homem ave

Rafael: Só dou crédito pra heterocromia

Gabi: Estava pensando nisso agora

Rafael: Sucesso, quero os sêmen dele, todos os genes

Gabi: Vamos ter bebês verdes e azuis, amigo

Rafael: Você gera pra mim?

Gabi: Só se a reprodução for carne a carne

Rafael: Achei que ele fosse um ator melhorzinho. Em VA ele tava sucesso

Gabi: Nem lembro dele em VA,  que passável. E Izzy tá diva demais

Rafael: Maravilhosa

Gabi: E o Alec também porque achava ele detestável no primeiro livro, ele tá bem nessa onda tipo cretino gostoso.

Rafael: zzzZ enrustido, nunca fui loco pelo alec mas gosto dele na série.

Gabi: Mas ele com Magnus é tão escrito nas estrelas, sofro por eles.

Rafael: Sim, isso é.

Gabi: Depois de magnus o Alec é outro pra mim, eu me coloco na pele dele, é o unico jeito de pegar magnus de alguma forma.

Rafael: HUAUAUAHAHAUAUAUA miga pare Huajauauau adoro isso da Clary.

Gabi: Nossa, essa Clary foi um up dos céus.

Rafael: Ela quer A MÃE DELA, adoro isso. Cabeça dura capricorniana do meu jeito ou do meu jeito.

Gabi:  Eu adorava no livro o Jace não sabendo se poderia fazer runas nela, ou ela criando a primeira runa, e não sei se vai ter isso.

Rafael: vamos pular pra parte que eles são irmãos

Gabi: Acabou com isso no ar, sera que dá pra atingir um pouco do potencial do livro.

Rafael: Ai adorei essas propagandas sobre cigarro americana, quase me deu vontade de parar de fumar.

Gabi: Sabe o que é o foda? Os efeitos na propaganda do cigarro estão melhores que os efeitos de Shadowhunters.

Rafael: SSIIIIIMHUAHAUAHAUA  OS EFEITOS DA PROPAGANDA DAO INCRIVEIS HAISHSIA

Gabi: Acabou?  a maquiagem do magnus parece melhor no segundo epi, da pra ter esperança. AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH IRMAOS SILENCIO.

Rafael: SEGUNDO EP PROMETE RAFAEL RAPHAEL

Bem, espero que você tenha passado direto por essa conversa mais pecaminosa do que instrutiva. Voltando as primeiras impressões de uma forma mais séria, e digna, separamos alguns dos pontos fracos e fortes.

Particularmente, achei que foi bom o suficiente para empurrar a pessoa a assistir o próximo episódio, como esperado houveram várias mudanças, algumas podem ser boas, outras podem ser trágicas, mas gostei de já mostrar Jocelyn e Clary como um par de mulheres poderosas. Faltou mais do Simon, talvez. Mas uma mudança ótima foi Lukelicious.

Rafael – Então, no meu caso já comecei com um pré conceito muito grande. São 6 livros completos então eu já tenho todo o mundo Shadowhunter pronto na minha cabeça, a série trouxe uma abordagem nova, uma reformulação desse mundo que eu (e todos os leitores da serie) já tem pronto e isso não foi de todo ruim, a maior reclamação são os efeitos especiais. Porém, mudanças como idade e outros detalhes foram ótimas. Sem contar que é só o piloto da série e por incrível que pareça já foi apresentado mais da metade de Cidade dos Ossos de uma forma até que natural, sem correr muito com a trama e quase da a sensação de algo bem construído. Quanto ao Simon, realmente faltou mais presença, e isso provavelmente se deve porque não vão se aprofundar tanto no Simon Mundano e mais em um Simon Vampiro, o que não sei se é bom porque ele sempre será o Simon Mundano. Quanto aos outros personagens, Clary, Jocelyn, Luke e Izzy estão com tudo, já os outros: vamos melhorar, por favor.

Enfim, pode não ser o melhor dos melhores, há várias falhas, alguns acertos, e acreditamos que dá para chegar lá. Vamos acompanhar cada episódio até o final e ficar ansiosos em todos.


Se você não está acompanhando a temporada atual não leia. Contém spoilers! Esse texto foi escrito por Gabriela e Débora (cor azul).

Depois de uma onda de episódios fracos e queda de audiência, The Vampire Diaries iniciou a sexta temporada com a promessa de uma possível melhora em sua trama.  E isso aconteceu, porém com uma triste notícia: Nina Dobrev –- mais conhecida como a personagem Elena Gilbert – deixaria a série. Como a série poderia ter continuação sem a personagem principal? Qual seria o rumo de TVD? O que aconteceria com o tão famoso triângulo amoroso?

Com muitos mistérios e ansiedade conferimos a última cena de Elena. Eu, particularmente, gostei do fim que os produtores decidiram dar a ela. Eles conseguiram dar uma brecha para a mesma retornar no fim da série e solucionar algumas questões ainda abertas.

Primeiramente, eu queria parabenizar todos que ainda estão assistindo TVD. Afinal de contas, não foi nada fácil ter que aguentar plots horrorosos e sem nexos, como a caça da outra Salvatore que não deu em nada e aquela coisa horrível que foi a história da origem dos doppelgangers, personagens avulsos que não serviram para nada e só roubaram tempo dos nossos favoritos – cof April Young cof-, vilões que prometiam tanto e não entregaram nada, como Silas e aqueles mágicos viajantes que eram moradores do reino do patético e que agora os nomes eu não recordo  e por fim a morte da nossa amada, diva, rainha de TVD: Katherine Pierce.

A sexta temporada não foi tão ruim assim, eu particularmente gostei daquele mundo alternativo que era a prisão de Kai e as interações entre Bonnie e Damon trouxeram um frescor a série que eu não via desde as primeiras temporadas e eu realmente queria que tivesse durado um pouco mais, afinal Kat e Ian possuem uma química incrível e não é a toa que grande parte da crítica americana elogiou as cenas que eles fizeram juntos.

Ademais, Kai foi até um bom vilão – nunca no nível dos Originais, mas quem consegue? – e realmente causou bastante estrago, sinceramente acredito que ele tinha potencial para ser um vilão incrível na sétima, mas todo mundo sabe que Julie Plec  não se importa com potencial – um exemplo seria a Kat, que foi mal utilizada por mais de cinco temporadas.

E foi nessa sexta que a querida Nina decidiu se libertar e procurar novos horizontes – acho que ela tava cansada de interpretar mil e quinhentas doppelgangers, afinal de contas é TVD e não Orphan Black. Mas como a Gabi disse, haviam várias especulações de como seria a saída da Nina e como ficaria a série depois dela.  

Eu gostei do último adeus da Elena, tocou vários pontos importantes da personagem, nos fez relembrar de vários momentos fundamentais, como quando  Bonnie revelou que era uma bruxa, e nos fez derramar algumas lágrimas. Mas eu acho que seria muito melhor se a personagem tivesse decido sair da cidade por um tempo para descobrir quem ela é depois de tudo, afinal, Elena e seus amigos passaram por muitas coisas e perderam pessoas suficiente para que uma viagem para longe de Mystic Falls pareça uma ótima saída.

Mas como The Vampire Diaries está se saindo depois da saída da personagem principal?

Damon: Damon ainda estava aprendendo a lidar com a falta de seu amor. Ele me parece uma “alma perdida” e não sei o que esperar dele pelos próximos episódios.

Para mim, o Damon sem Elena está bem melhor, não que isso seja um opinião imparcial já que eu estou farta do triângulo e suas angustias. Mas mesmo ainda se apegando a memória da Elena, o que é meio chato, nem reclamo porque é algo tão Damon,  afinal o cara ficou cento  e tantos anos procurando a Katherine. Além disso, é divertido e interessante ver ele interagindo mais com outros personagens, como a Bonnie, Alaric e, principalmente, Stefan.

Sinceramente, eu acho que uma das escolhas mais acertadas foi focar mais na relação entre os irmãos, os dois tem muita história juntos que merece ser melhor explorada e cada momento entre eles é uma delícia de assistir.

Stefan: Raramente se lembra de Elena, e está mais focado em seus problemas pessoais (que são muitos!). Stefan teve um maior destaque nessa temporada e estou gostando das mudanças

Stefan é um dos personagens que eu mais gosto na série e, como eu declarei acima, estou amando todos os momentos entre ele e Damon, é ótimo ver os dois interagindo sem o triângulo pesando em suas consciências e ações. E claro, estou adorando o relacionamento de Stefan e Caroline, que merece o troféu de casal mais fofo do ano.  Tem algumas coisas que são desnecessárias, mas eu falo mais delas abaixo.  

Bonnie: A Bonnie continua sendo maravilhosa como sempre e roubando o meu pobre coraçãozinho a cada momento. Eu estou amando todas as interações dela com o Damon e como ela não tá nem aí para o mimimi dele, sempre pronta para chamar a atenção do bad boy quando necessário, ajudar nos planos malucos deles (mas vamos falar a real, esses dois juntos são muito mais eficientes que a gangue de Mystic Falls inteira), e ser uma das melhores amigas do mundo, além de um potencial interesse amoroso para Damon (O quê? Não me culpe. O meu clichê predileto é de amigos que viram algo mais e se funcionou para Stefan e Caroline, por quê não Damon e Bonnie?)

E enquanto isso não acontece, eu estou amando ver o desenvolvimento do relacionamento entre Bonnie e Enzo, a química entre os dois está irresistível e  deixa sempre com um gostinho de quero mais, aquele beijo no flashfoward só me fez ficar mais ansiosa para ver os dois juntos e como o Damon vai reagir depois de souber seu amigo e sua melhor amiga estão ficando juntos.

Caroline: Agora com ainda mais destaque após a saída de Nina, Caroline se faz muito importante na série. A atriz que a interpreta engravidou na vida real (parabéns, Candice!), e a pergunta no ar é o que será agora sem Caroline?

Caroline continua fofa como sempre, mas participando do plot mais sem noção da temporada, quiça de toda TVD. Gente, até que deu para engolir o bebê do Klaus, sendo ele um híbrido e a mãe uma loba, mas vampiro tendo filho? Como assim? Não faz nenhum sentido biologicamente e nós poderíamos ter vivido sem essa.  

Além disso, o que que foi aquilo nos flashfowards? Que coisa horrorosa, eu não sei como pode aquele povo teve a coragem de colocar a Caroline, minha baby vamp e a pessoa mais doce do mundo, com aquele professorzinho aspirante a caçador que está ficando mais horroroso a cada ano.

Matt, Alaric e Tyler: Sim, vamos falar deles todos juntos porque são aqueles personagens ignorados que já deram o que tinha que dar e agora estão aí sem função na trama.

O Trevino, que interpreta o Tyler, estava até pronto para sair da série e deu o adeus junto com Nina, mas retornou porque o piloto da série que ele estava fazendo não deu certo e agora está fazendo ponta, o que para mim não é problema porque né, homem bonito é sempre bom de se ver. Mas gostaria que os roteiristas tivessem mais amor pelo Tyler, pelo menos poderia explorar mais a mitologia dos lobos e parar um pouco de inventar mil e quinhentos híbridos.

No entanto, os outros dois personagens, Matt e Alaric, já deveriam ter saído da série, primeiro que o Matt não serviu para nada desde o início e não acrescenta em nada agora, enquanto Alaric deveria estar morto há muito tempo ao lado de Jenna, a história dele já teve seu desfecho e não dá mais para investir nessa trama de noiva cadáver, gêmeas de O Iluminado e pegando a sua antiga estudante (alguém lembra o povo que isso aqui é TVD e não PLL).

Triângulo amoroso: O novo triângulo amoroso envolvendo Stefan é demais. Eu mal posso esperar pelo seu desfecho. Quem diria que ele teria tanto o que viver após Elena, não e mesmo?

Diferente da Gabi, eu não curti muito esse novo triângulo amoroso, porque antes de mais nada é um triângulo  e eu tenho pavor disso, e ainda há essa bobagem de primeiro amor do Stefan que já deu, a cada temporada um amor novo não dá, colega, sério.

Novos vilões: Esperava muito mais deles e no fim eles estão longe de representarem um real terror como nos tempos de Klaus (bons tempos).

Vamos falar a verdade, faz muito tempo que os vilões de TVD não são críveis, bons tempos aqueles entre a segunda temporada e a terceira. E vocês pode me falar: Mas Débora, os Originais só começaram a agir mesmo na terceira e quarta temporada e eu concordaria, porém desde que Klaus começou a fazer desenhos do My Little Pony para a Caroline, a Rebekah ficou correndo atrás do amor eterno e o Elijah dividido entre a Elena e Katherine que o meu radar de péssimos vilões começou a apitar.

Se vale a pena destacar alguns dos vilões, eles seriam Kol, que acabou sendo morto pelo pseudo caçador Jeremy (e que coisa vergonhosa  é ser morto pelo irmãozinho mais novo da Elena), e  Kai Parker, que merecia ter continuado como vilão dessa temporada.

Já com os novos vilões é difícil distinguir quem é quem naquele círculo e olha que eles tinham tudo para serem extremamente fodas, afinal de contas são híbridos de bruxa e vampiro, algo que nunca antes visto. Mas não! Eles ficam nesse mimimi ridículo e estou esperando que apresentem um vilão melhor nessa nova metade que está para estrear, porque a versão paraguaia do Klaus não me convenceu e nem esse vampirinhos de nada. 

O único desses Heréticos que eu salvaria seria  o Oscar – e olha o que aconteceu com ele – e o Kai, porque ele pelo menos era um vilão digno e dava até mesmo para ser um anti-herói dessa turminha do barulho que é o povo de Mystic Falls.

Enfim, já tivemos perdas, surpresas e romances nessa temporada. E eu admito: até que está andando, mas, espero do fundo do meu coração que pare por aí. Não há mais o que acrescentar em TVD. A questão da audiência está tão crítica que a partir desse ano a série começará a ser exibida nas sextas-feiras (anteriormente era nas quintas) e agora estamos apenas aguardando a notícia de seu cancelamento.

Diferente da Gabi, eu ainda acho que a série vai durar por um bom tempo, primeiro porque ela passa na CW e todo mundo sabe que essa daí nunca deixa suas séries acabarem com dignidade, vide Supernatural. Segundo porque aparentemente TVD e TO triplicam sua audiência quando se conta as visualizações online, então acho que vamos ter que aguentar TVD por algum tempo. 


Faltam poucos dias para o natal pisquei e o ano passou e decidi elaborar uma pequena lista de presentes, todos se tornarão uma meta minha para o próximo ano que vai passar voando também e quem sabe isso facilite a vida de alguém que não sabe bem o que dar para um viciado em livros!

Kindle Unlimited: Já usei diversos leitores de livros e Kindle, com suas várias funcionalidades, é de longe meu favorito, PORÉM ao assinar o Kindle Unlimited a experiência não foi assim tão maravilhosa, vários livros que estavam gratuitos eram mal revisados, e provavelmente apenas 15% das leituras valeram a pena. Só que não mais, VÁRIOS autores nacionais se uniram e assinaram com a Kindle e agregaram e muito ao catálogo. Tá lindo, tá maravilhoso e milhares de livros por R$19,90 ao mês é um puta presente.

Golem e o Gênio: esse é um livro que encantou por onde passou. A história mescla lendas árabes e judaicas para formar uma fantasia de dar gosto envolvendo uma improvável amizade entre um Golem e um Gênio. Pela bagatela de R$36, esse livro é a chance de presentear alguém com uma ótima fantasia que não só emociona como também tem muito a ensinar. Tá, eu não li, mas as expectativas estão altas!

Corte de espinhos e rosas: outra fantasia safada que chegou no mercado e quer furar meu bolso é a nova série de Sarah J. Maas. Essa dona já me encantou em Trono de Vidro, mas criar uma história à la A Bela e A Fera já é muito mais apelativo, e ainda há fadas, magia antiga, então não teve como escapar, foi para a lista. Preciso de R$ 39 e preciso já!

Caneca Mágica Mapa Maroto: parece bobo e é mesmo, mas essa caneca mágica do Harry Potter que mostra o Mapa Maroto realmente me encantou. Infelizmente as canecas aqui em casa não possuem uma boa longevidade, e nem sequer gosto de café, mas ta aí uma que valeria meu precioso dinheiro, a água ficaria até mais gostosa ao vir acompanhada com essa belezura.

Winter: já espalhei minha paixão por Crônicas Lunares aos quatro ventos, a série é inspirada nas famosas princesas da Disney, mas com uma pegada muito mais futurística e gostosa. Em novembro, o desfecho da série, Winter, foi publicado, e deve sair somente na metade de 2016 no Brasil, mas a ansiedade é tanta que já estou contando as moedas para ver se dá para adquirir um box com todos esses livros em capa dura porque se há uma série que vale esse investimento é essa.

Uma Chama entre as Cinzas: para encerrar, esse é um livro que pouco ouvi falar no Brasil, mas que persegue meus sonhos (e ele grita me compre, me compre!). Não posso deixar de mencionar o livro da maravilhosa Sabaa Tahir, onde a autora nos apresenta um romance entre uma escrava e um soldado, ambos presos aos papeis impostos à eles pela sociedade, e uma rebelião que vai balançar o Império. Vou ser sincera, esse plot bate com vários livros de alguma forma, dentre eles Rainha Vermelha, A Seleção, Trono de Vidro, mas o potencial vai além de comparações então que o Deus da Leitura faça chover na minha horta e me traga esse livro. E essa é uma ótima dica para presentear alguém que já gostou de alguma dessas series. O livro está a partir de R$27.

Capa de invisibilidade: porque a gente cresce mas esse desejo não passa… Feliz natal, de qualquer forma.

Essa é minha não tão pequena lista de natal, e você, o que pediu para o papai noel este ano?


Autora: L.J. Smith
Editora: Amazon Kindle Worlds
Páginas:
191
Classificação:
3/5 estrelas

Gostaria de começar essa resenha explicando o porquê da autora L.J. Smith precisar fazer fan fics para continuar escrevendo sua série. Muitos ao verem a notícia no Livros & Citações, ficaram dizendo que não fazia sentido ou que estávamos errados com o anúncio publicado pela autora. O que acontece é que L.J. vendeu os direitos de seus livros à editora, e eles queriam decidir como sucederia os acontecimentos das séries. Vendo isso, ela decidiu se demitir porque gostaria de escrever seus livros da maneira como achasse melhor. E a única maneira que viu para continuar escrevendo, foi por meio da plataforma Kindle World da Amazon – onde ela poderia publicar sua fanfic (que não faz parte da sequência de livros originais da série Diários do Vampiro) sem nenhum problema.

Sempre será nós.

Essa fanfic, intitulada Paradise Lost, tem seus acontecimentos iniciados logo após o último livro escrito pela autora quando ainda era a autora oficial pela editora, que é Meia-Noite. Em Meia-Noite, temos um trágico destino ao melhor personagem de todos os tempos: Damon. Sim, ele morre e depois disso Elena e seus amigos conseguem apagar da memória de todos os habitantes de Fell’s Church as lembranças sobre os eventos bizarros que aconteceram na cidade.

Em Paradise Lost, já temos Damon de volta dos mortos (não entendi bem o porquê ou realmente não foi explicado), e Elena e todos os seus companheiros estão cursando a faculdade. Stefan e Elena estão em um relacionamento perfeito e todos estão felizes. Porém, certo dia Elena vai ao quarto de Stefan na faculdade (o que é proibido) e as coisas vão muito além do que o que havia sido planejado – o que deixa sérias consequências para Elena. Stefan fica desorientado, não sabe o que fazer depois do acontecimento e decide que o melhor para todos é que ele se afastasse e fosse embora.

Seguindo com essa linha de pensamento estúpida, Stefan apaga da memória de Elena e de todos os seus conhecidos qualquer lembrança sobre ele. E, adivinhem, coloca Damon em seu lugar. O problema é que está começando a aparecer outros casos como o de Elena pela cidade. E fica a pergunta: quem é o grande vilão da vez?

Eu sou um monstro. Eu sou um demônio. Não posso nem mesmo amar sem destruir.

Em minha opinião, ao ler um livro de Smith, você tem que literalmente abrir sua mente. Nunca ninguém está preparado para ler as loucuras da autora –- sim você leu certo, loucuras. Muitos já desistiram da série por tantos livros ou plots desnecessários propostos. Mas, eu sou fã, então apesar de não estar gostando dos últimos livros, eu ainda persisto. E em Paradise Lost, L.J. esqueceu um pouco daquele sobrenatural bizarro e nos abriu os olhos sobre o mal que tanto Damon quanto Stefan fazem para Elena.

Sim, eu sou Team Delena, mas nessa fanfic é difícil escolher um lado. Ambos tomam decisões erradas que prejudicam a nossa heroína e tudo o que eu consegui pensar é que dessa vez estou tomando o lado de Elena. Afinal, ninguém tem direito de bagunçar a mente de outra pessoa como eles estão fazendo com ela e com todos osu seus amigos.

Eu poderia matar você em uma batida de coração se o amor fosse uma guerra.

Além de nos mostrar esse outro lado – o que foi o único ponto positivo dessa fan fic – L.J. Smith apenas encheu linguiça para dar continuidade à série que tanto ama escrever. Não me levem a mal, eu amo Diários do Vampiro, mas já deu o que tinha que dar. Acredito que já passou da hora da nossa querida autora partir para outra e nos levar para um novo mundo louco.

Para ter acesso a fan fic, clique aqui.


EDITORAS & PARCEIROS

Copyright © 2016 Livros&Citações. Todos os direitos reservados
Notícias, resenhas e indicações de livros!